Postagem em destaque

Blogueiro pede a sua ajuda!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Filmes: "No Limite do Amanhã"

MARMOTA VERSUS ALIENS

Filme se perde num roteiro tolo, direção burocrática e desenho de produção sem graça

- por André Lux, crítico-spam

Você se lembra daquela comédia "Feitiço do Tempo" (ou "Groundhog Day", o Dia da Marmota) em que o Bill Murray fica preso num redemoinho temporal, revivendo o mesmo dia sem parar? Agora, troque o Bill Murray pelo Tom Cruise e a marmota por um monte de aliens malvados e, pronto: nasce esse "No Limite do Amanhã".

Mas não se trata de uma comédia, embora ele tenha sim alguns momentos que tentam fazer rir (quase todos envolvendo o milico feito por Bill Paxton, de "Aliens"), mas de uma ficção científica que fala sobre mais uma invasão alienígena que quer acabar com a raça humana e conquistar a Terra.

Não é um filme ruim, mas confesso que, mesmo sendo razoavelmente bem dirigido pelo sujeito que fez os filmes do Jason Bourne, não conseguiu prender muito a atenção nem produzir suspense.

Apesar do roteiro se esforçar em gerar algum carga emocional, o filme falha em alguns pontos que seriam primordiais para isso. Começa com o ridículo da situação de desejarem mandar o personagem de Cruise para o meio do campo de batalha, sendo que ele é apenas um oficial burocrata que cuida do marketing do exército. Pra que isso? Se ainda houvesse uma justificativa que estivesse ligada à trama, tudo bem. Mas não, é pura barra forçada só para ter um soldado sem qualquer preparo e que depois vai se tornar um "super-ninja".

Depois, o desenho das criaturas é muito ruim e lembram demais as lulas de Matrix, mas sem qualquer personalidade ou voz. Além disso, as cenas de guerra são fracas, picotadas, corridas, mal dá pra gente ver direito o que está acontecendo. O pelotão do qual Cruise acaba fazendo parte tem participação importante no final, mas erraram feio na escolha dos atores e nenhum chega a marcar, impedindo que a gente se importe com o destino deles.

A história da volta no tempo poderia até ser interessante, mas tudo é estragado por explicações didáticas imbecis. Chegam ao cúmulo de ter uma cena ridícula onde um dos personagens explica tudo que está acontecendo inclusive com desenhos holográficos, alguns deles sem o menor sentido de existirem, já que ninguém viu as tais criaturas que ele descreve!


Aquela cena que explica tudo nos mínimos
detalhes, no caso de você ser burro
E como é que com um poder daqueles, herdado diretamente dos invasores, não vão direto para o comando? Ah, tá, a heroína avisa que se ele fizer isso vão mandá-lo para um hospício ou para dissecação! 

Só que logo depois eles não vão até o general e conseguem convencê-lo a dar um item que precisavam? Obviamente, com Cruise podendo voltar no tempo o tanto quanto queira, seria fácil para eles convencerem as autoridades de que falavam sério.

Enfim, esse é aquele típico produto que até poderia render um bom filme de ação e ficção, mas que se perde num roteiro tolo, direção burocrática e desenho de produção sem graça. Sem falar da música que, claro, é mais uma que vem na esteira do lixo produzido pelo abominável Hans Zimmer e está presente agora em todos os filmes de aventura - tem até a bendita "Buzina do Inferno" que o picareta inventou para "A Origem" e mais parece aquele som irritante das vuvuzelas!

A melhor coisa do filme acaba sendo justamente a presença de Tom Cruise que, aos 52 anos, amadureceu bem e perdeu aquela cara de "mauricinho intragável" que usava em tudo quanto era filme. Ficou até carismático, acredite se quiser. A bela Emily Blunt (de "O Diabo Veste Prada") tenta mudar de perfil na pele de uma guerreira poderosa que detona os aliens usando uma clava, mas no final das contas fica parecida demais com a soldado Calhun da animação "Detona Ralph" para ser levada a sério.

Entre mortos e feridos até dá para assistir, mas acaba sendo uma decepção.

Cotação: * * 1/2

27 comentários:

Rodrigo Andrade disse...

“Começa com o ridículo da situação de desejarem mandar o personagem de Cruise para o meio do campo de batalha, sendo que ele é apenas um oficial burocrata que cuida do marketing do exército. Pra que isso?”. Você não entendeu o verdadeiro motivo? Queriam descartar ele, por saber de muita merda que rolava nos bastidores da guerra, no inicio inventaram uma historia que o personagem do Tom Cruise teria de filmar a batalha para usarem imagens como marketing, mas quando o mesmo ameaçou abrir o real jogo para a imprensa, decidiram mandar ele na marra. Se não vai por bem, vai por mal.Pois nada mais limpo e fácil do que mandar alguém que você quer morto para lutar no Front. É isso ai, depois fazem críticas falando que os filmes deixam tudo explicadinho para o público.

André Lux disse...

Bom chute, Rodrigo, mas nada disso está no filme. É mera suposição sua.

Super Nathan disse...

NADA DISSO ESTÁ NO FILME? Quando ele está na sala do general é isso que ele está dizendo pra ele, que ele vai ter que ir pra batalha pra filmar lá, pra fazer mais propaganda. Ele diz "agradeço a oferta mas não". Aí o cara diz "não é uma oferta, é uma ordem". Aí o Cruise chantageia ele e ele, pra mostrar quem manda, coloca logo ele como soldado na frente de batalha.

E é assim mesmo, se falar com uma autoridade vão achar que ele é louco. "Com o poder dele fica fácil convencer". Ué, e foi o que ele fez, depois de muito tentar, falou com o general lá. E conseguiu convencer ele? Não totalmente. E seria assim mesmo na vida real, ninguém nunca acreditaria.

" É isso ai, depois fazem críticas falando que os filmes deixam tudo explicadinho para o público [2]"

Curinga disse...

"Na vida real". Kkkkkkkkkkkk!!!!!

Curinga disse...

"Na vida real". Kkkkkkkkkkkk!!!!!

Music!Music! disse...

alguem pode me explicar o fim do filme? se o Cruise tinha perdido o poder e recuperou no final do filme e volta no tempo na parte em q ja venceram a guerra, como q a garota estaria viva e pronta para o combate? Muito confuso isso

Anônimo disse...

No final do filme ele absorve não o poder do alpha e sim do omega. O poder era do omega, ele soh reiniciava o dia quando o alpha morria e como o cage ganhou o poder do alfa ele ficou no loop tbm. Já no final ele consegue o poder do omega, é o sangue do omega que aparece no final, o alpha ficou "petrificado". ENtão com o poder do omega ele não está mais preso no loop. Ele controla o poder temporal, podendo voltar no dia em que quiser e reinicia-lo sem morrer. Outra teoria interessante é que o omega é o mesmo, isto é, o omega do "passado" (começo da guerra) é o mesmo que o omega do "futuro". Eles são o mesmo omega interligados no passado e futuro, então matando o omega do futuro o omega do passado não poderia existir, portanto, os aliens não tem mais como saber o que os humanos vão fazer.

Anônimo disse...

Em relação a critica, sinceramente, achei muito falha. O autor não prestou real atenção no filme e não conseguiu se colocar dentro do enredo para entender o que está acontecendo. Soh concordo que faltou suspense e tbm achei os aliens muito fracos visualmente.O começo do filme outros usuários jah explicaram. Pq as explicações são imbecis? se vc não se lembra a emily teve "visões" dos aliens por diversas vezes, então sim, alguém o viu. Cara o poder dos aliens é surreal, claramente ngm acreditaria. Eles não não conseguem convencer o general e o pouco que conseguem se deve a inúmeras tentativas do Cage junto com a experiência de emily.

Anderson disse...

Discordo um pouco da critica, foi um pouco rasa e com alguns erros sobre o que aconteceu no filme. E' um filme inovador, coisa que não temos ultimamente. O roteiro em alguns momentos e' bobo mesmo, mas acho foram adaptações devido falta de tempo para o lançamento do filme, cenas feitas de ultima hora ou estouro de orçamento.
O filme assemelhasse as iterações um jogo de vídeo game, onde vc ao perder retorna a um check point. E quando vc voltar a jogar e chega onde vc perdeu, vc vai saber e o que acontece (onde vem os inimigos, ataques, bombas, posição dos seus colaboradores), com varias repetições você acaba decorando tudo. Com isso você acaba sabendo o que fazer e melhora as suas habilidades motoras, no caso do protagonista do filme isto acontece e ele acaba endurecendo a personalidade por passar por anos em lutas diárias, convivendo grande stress e com mortes.
O filme tem cenas engraçadas, pois o protagonista tem que lidar todos os dias com a personagem coadjuvante (esta que da a ele um treinamento). Durante uns minutos iniciais e' difícil, mas quando ele explica a situação resolvesse pois ela já passou pela mesma coisa, mas isto e' todo dia.
Em geral e' um filme que compensa ser assistido, ele acabou passando despercebido por ser um filme do Tom Cruise, e todos tem um pouco de preconceito pensando que seria o mesmo tipo de roteiro e a formula usada em todos os últimos filmes dele.

Vinnih Caetano disse...

Crítica revoltada de quem quer aparecer. Ótimo filme que (assim como qualquer outro) tem seus pontos fortes e fracos.

Mateus Leite disse...

Ótimo filme, infelizmente as pessoas tem dificuldade em interpretar. Querem tudo mastigado !

Ale disse...

A verdade era um bom filme, foi divertido eo Imax tem um claro valor acrescentado, eu gostei do enredo e muito boa ação. É altamente recomendável Edge of tomorrow acho que é um dos melhores do gênero.

Unknown disse...

Não entendi muito bem mesmo com a explicação acima...o ator virou um senhor do tempo?
Se o ômega morreu pq eles ainda vão para a guerra...?

Daniel Senra disse...

Não entendi muito bem mesmo com a explicação acima...o ator virou um senhor do tempo?
Se o ômega morreu pq eles ainda vão para a guerra...?

Anônimo disse...

Poxa, como a Rita sabe que perdeu o poder de voltar no tempo em Verdum? Pois para saber ele teria q ter morrido definitivamemte

CeZo* disse...

Ela sabe pq acordou em uma maca no hospital com várias bolsas de sangue recebidas de outra pessoa... Tornando a sem o poder de reboot!

Michael Paneff disse...

Que recebeu o sangue foi ele e nao ela

@michellkruz disse...

Nossa, essa critica é um lixo. perdi 3 minutos da minha vida, lendo merda.

Sander Carvalho disse...

Falar que o Hans Zimmer é um péssimo compositor é ser muito idiota e não entender nada de trilha sonora. Vai assistir Xena e pare de falar merda. O filme é ótimo e Hans Zimmer é fera!!!

André Lux disse...

Zimmer é "sertanejo universitário" das trilhas. Tem quem goste, claro.
Adoro Xena, a música é ótima, toda composta pelo excelente Joseph Lo Duca, da série Evil Dead. Tenho todos os 5 CDs.

Mike Yuri silva disse...

Crítica equivocada!
Pareceu até criança revoltada, enfim respondendo as perguntas e afirmações que por algum motivo 'óbvio' essa criatura não correspondeu.

1º Mesmo sendo um oficial burocrata, ele pode ser convocado à guerra ainda mais se tratando de uma guerra em escala global. Essas chances aumentam muito mais quando tenta bater de frente com um superior.

2º "explicações didáticas imbecis; ninguém viu as tais criaturas que ele descreve!"... bom no dia que Rita Vratski não for ninguém, quem será não é? afinal ela só esteve no combate mas creio que ela não tenha tido contato algum com essas criaturas e depois descreve-las é muito difícil pra quem viveu o dia mais de 300 vezes.

3º E como é que com um poder daqueles, herdado diretamente dos invasores, não vão direto para o comando?
R: Olá, eu já vivi este dia inúmeras vezes lutei até cansar e morrer como não houve jeito, resolvi apelar e tentar convencer o comando e mostrar que não estou louco, afinal de contas isso é muito comum de acontecer. respondeu?


Entre equivocadas e nenhum senso crítico até dá para ler, mas acaba sendo uma decepção. (e que decepção)

Anônimo disse...

Kkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Kkkkkkkk

Anônimo disse...

Bla bla bla...
Mania que essa galera tem de colocar mil defeitos nos filmes e falar que são bosta. O filme é bom e ponto. Quero ver essa galera que fica de bla bla bla ir lá e fazer melhor... me poupe!

anjelo Ieda disse...

Gostei do filme, teve muita coisa pra chegar num final quase sem sentido! Foi tudo pra quase nada, no final...

Anônimo disse...

Critica ridícula, parece criança revoltada falando sobre algo. Quer ser critico de cinema, estude a forma literária correta de expor algo. Menos palavras infantis e mais explicação lógica a respeito da cena que não gostou. Excesso de opinião pessoal por não gostar e pouco conteúdo analático técnico.
É como criança falando mal do coleguinha na escola por ele ser gordinho ao invés de um adulto julgar uma pessoa por ser sem educação e grosseiro por exemplo.

johny disse...

André você não passa be um imbecil.
Não tem capacidade de adimirar um trabalho tao bonito como um filme deses. Seu medíocre voce nao passa de nada. So serve pra fazer críticas exageradas e errôneas. Vai asistir novele da globo seu lixo bossal.
Resto de aborto.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...