sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Cine-Trash:"Yor, O Caçador do Futuro"

Poster bacana enganador
BABACA LOIRO DE TANGA

Lixo pode ser descrito como “Conan” versus Ming de “Flash Gordon” no "Planeta dos Macacos"

- por André Lux, crítico-spam

Escrevendo sobre “O Humanoide”, lembrei de outra pérola do trash italiano fingindo ser superprodução de Roliud que, incrível, eu também vi nos cinemas por volta de 1983!

O filme em questão chama-se “Yor, O Caçador do Futuro” e é uma das coisas mais horríveis que já assisti, até porque é uma redução de uma mini-série feita para a TV italiana. 

Se vocês acham que “O Humanóide” é trash, imaginem então esse, que foi feito com sobras daquele filme! Inclusive a mocinha é a mesma do clássico do Aldo Lado! 

Felizmente, desse eu não gostei nem um pouco, afinal já era um pouco mais “experiente” e fui enganado pelo pôster bonito (veja à direita e negue que não parece um puta filme bacana, com um cara loiro fortão de tanga gritando e agitando seu tacape em direção a naves alienígenas animais, enquanto uma morena gostosa e submissa se agarra em sua perna!).

“Dirigido” pelo italiano Antonio Margheriti (ou Anthony M. Dawson para os incautos), que foi o supervisor de "efeitos especiais" em "O Humanoide", esse lixo pode ser descrito como um cruzamento de “A Guerra do Fogo” encontra “Conan, O Bárbaro” versus Ming, o Impiedoso de “Flash Gordon” no "Planeta dos Macacos"...

"Eu quero essa peruca loira pra mim!"
Ou seja, fala sobre homens da caverna de tangas (que falam inglês fluente), salvos de um dinossauro de borracha por um sujeito fortão que usa uma peruca loira e um tacape, chamado Yor.

Só que, na verdade, ele possui, diz o narrador, inteligência superior e é o herdeiro de uma civilização avançada que vive numa ilha isolada sob o comando de um ditador malvado conhecido como Overlord. E tudo se passa depois que a Terra foi devastada por uma guerra nuclear!

O filme já começa de maneira inacreditável, com uma seqüência que deveria estabelecer toda a virilidade do Yor (“interpretado” pelo mega-canastrão estadunidense Reb Brown), mas mostra o babaca loiro dando corridinhas e pulinhos ridículos enquanto tenta escalar umas pedras. 

Tudo acompanhado por uma canção escrita por Guido e Maurizio de Angelis que mistura Queen com new age e cuja letra dispara algo parecido com “Yor’s World, He’s The Man!”. Essa canção, por sinal, é usada várias vezes em cenas que deveriam ser heroicas, mas só conseguem nos fazer rolar de rir!

Se não acredita, veja por si mesmo e não deixe de reparar nos sorrisinhos que Yor dá toda vez que olha para os lados. O que será que ele viu de tão divertido la no meio do deserto?


Esse filme é tão ruim que nem a música orquestral do excelente John Scott (de “Greystoke, a Lenda de Tarzan”) foi aproveitada em sua totalidade, sendo substituída em grande parte por uma batida eletrônica brega dos já citados Guido e Maurizio de Angelis. 

Verdade seja dita: a música de Scott era boa demais e destoava completamente do que se vê na tela e a nova trilha de Guido e Maurizio é uma das melhores qualidades trash de "Yor"!

Mas, ainda assim vale a pena ver para crer. Nem que seja pela cena em que Yor mata um morcego gigante e usa-o como uma espécie de asa-delta para invadir uma caverna cheia de vilões barbudos! Veja abaixo:


Saiba mais sobre "Yor" neste link.

16 comentários:

Ricardo Melo disse...

Noooosssaaa, que barbudos horríveis!

Devem ser os irmãos perdidos do Lula soltos pelo Sertão!

E a cena da voadora, pura adrenalina.

Assim eu morro.

Abraço.

Jorge H. Saladino disse...

Muito bom seu blog.
Bom saber que também em Jundiaí há uma resistência forte aos mandos e desmandos destes Psdbestas batedores de carteira

Christian disse...

Pô, vamos chutar o pau da barraca e promover o "filme" Cannibal Holocaust!

Eli Araujo disse...

Acho que a situação é a seguinte:
O nosso herói na verdade esta desesperado procurando um cantinho pra cagar. Não falta lugar,porém, falta com que se limpar, já imaginou limpar-se com pedras e se repararem bem as pedras parecem paus.

Anônimo disse...

E q tal montarmos 1 listona dos filmes mais trash de todos os tempos.

Tenho minha lista ... imensa. Vai do brega total ao crtino metido a sci-fi.

Inté,
Murilo

André Lux disse...

Opa, divulga aí a sua lista, Murilo.

Anônimo disse...

Ué André.

Cade a minha lista?

Inté,
Murilo

André Lux disse...

Que lista? Não recebi nada...

Anônimo disse...

Nao sei explicar, entao. Escreví 1 peqena listinha dos nefastos sci-fi, se é podemos chamá-los disso, e curto comentários sobrea cada 1.

Listei:

1 - The Island of Doctor Moreau - M. Brando tá tao ridículo qto os de-feitos especiais. Já o roteiro, bem, q roteiro?

2 - Qlqr porcaria q tenha o nome Sylverter Stallone. Sem comentários. Na minha opiniao, 1 dos mais repugnates crápulas do tal cinemao-pipocao dos EUA.

3 - Lost in Space. 1 desastre na telona. O bom ator Gary Oldman se perde numa salada maluca e sem o menor sentido q, se tiveram algum na idéia, ficou entre os roteiristas e o pseudo-diretor. Jonathan Harris tomou a figura prá sí e, ao q parece, será compicado recriar esta personagem. A coisa vai, até onde acompanha a idéia original da tv, depois disso ... é 1 porcaria só. Lixo sentimentalóide misturado a, again, de-feitos especiais q enm adolencentes engolem. ZERO.

Tmbm qero registar aqí o falecimento de Bob May (18.01.09), o ator q ficava dentro do robô B9, enquanto a voz era feita por Dick Tufeld.

4 - Se na TV eram simpáticos e tinham alguma personalidade, mesmo c/ aqelas estranhas "palavras" usadas durante seus movimentos, e sendo os legítimos donos do q desde aqela época passei a chamar de "desenho des-animado" (por serem mesmo estáticos demais), qdo levados prá telona, Roliúde destruiu tudo:
Batman + Iron Man + Spider Man + Hulk (esse último é comédia pior q as originais norte-americanas ... q detesto).

Qem ainda mantém algum charme sao os q ainda nao foram levados ao ridículo dos pc´s de psudo-diretores e produtores de video clipes apelativos e baratos, metidos a "artistas".
Casos de O Homem Subarino, Mighty Thor e 1ro gay in quadrinhos: Captain America.

Bom, prá nao monopolizarmos, paramos por aqí, mas a coisa por ir longe, pois cinema é coisa séria (e divertida).

Q tal criarmos o Troféu Pipocao Podre?

Acho q vao chover cadidaturas?

Inté,
Murilo

Anônimo disse...

Ah ... ia me esqecendo:

Segundo o próprio Jonathan Harris, a melhor dublagem de seus personagem q ele jamais viu foi de Borges de Barros - o q tornou o Dr Smith inesqecível.


Inté,
Murilo

Luís Henrique disse...

"O mundo de Yor, ele é o cara!"

Dá pra ser mais cafona que isso?

Para uma resenha em vídeo (em inglês), deem uma olhada em:

http://www.spoonyexperiment.com/2008/07/06/yor-hunter-from-the-future-movie-review/

Aliás, o sujeito acima é apenas um entre muitos que estão revolucionando o jeito de se fazer TV, pela internet.

Doutor When disse...

Sou suspeito, mas este filme consegue ser melhor que "O Humanóide"!

Filme pré-histórico ruim mesmo é "Quando as Mulheres Tinham Rabo"!

Eu, que sou fanático pelo gênero, tive que assistir em 3 vezes de tão ruim!

Antonio thomaz disse...

tamben entrei nessa fria,mas vendo por outro lado,o filme nos deixou espertos para outros dragoes do futuro.

Anônimo disse...

o filme foi otimo,porque nos deixou mas espertos para outros dragoes do futuro,me lembro muito bem do dinossauro de borracha,sai do cinema antes de acabar kkkkk.

Michael Carvalho Silva disse...

Assisti a esse clássico do cinema italiano pela primeira vez no cinema em 1984 na companhia do meu finado Pai Luíz e desde então ele marcou minha infância. Fiquei surpreso quando descobri anos mais tarde que seus atores principais são o ex-Capitão América do antigo seriado de televisão Reb Brown como Yor e a belíssima Bond Girl francesa Corinne Clery de "007 Contra O Foguete Da Morte" como a linda Ka-Laa, paixão de Yor. Além de "007 Contra O Foguete Da Morte," Corinne também filmou no Brasil "Forever" dirigido pelo saudoso Walter Hugo Khouri.

Facundo disse...

Bom, acabo de assistir novamente e me diverti pacas. Uma curiosidade, o filme é baseado na história em quadrinhos argentina "Henga, el cazador" (que na Itália foi chamado "Yor")de Juan Zanotto e Ray Collins que teve um relativo sucesso na Itália (isto aparece nos créditos no 1:44 do video), na verdade o filme e uma remontagem de uma minissérie de TV de quatro capítulos de 50 minutos cada, feito pela RAI. Sou doido para assistir os 100 minutos de filmagem que foram cortados para virar filme. Quando era criança na Argentina eu lia o "Henga" na revista Skorpio, ele na verdade não é do futuro, ele é um sobrevivente da Atlântida na era paleolítica(após a era do gelo) em busca do seu passado. Como adaptação de HQ, achei melhor Yor do que Thor por exemplo, e infinitamente mais divertido! Abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...