sábado, 25 de outubro de 2014

É fácil entender o ódio que grande parcela da classe média tem do PT

A classe média brasileira é estupidamente manipulada pela mídia burguesa e, por isso, delira que está a poucos passos de um milionário tipo Antônio Ermírio e muito longe da pobreza. 

Quando Lula chegou ao poder e ajudou os pobres a subirem de vida com os programas sociais e de créditos, os idiotas da classe média começaram a ver o porteiro do seu prédio no banco ao lado do avião que os levava para a Disney ou estacionando um carrinho zero ao lado do deles. 

Isso estourou a bolha de ilusão em que esses inocentes úteis viviam e os fez enxergar que estão a apenas dois passos dos pobres e a dez mil dos realmente ricos. 

Por causa disso eles JAMAIS vão perdoar o PT. Jamais.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

O amor vai vencer o ódio. Mas até quando?



Desde que Lula foi eleito presidente da República pela primeira vez é a mesma coisa. De 4 em 4 anos uma onda de ódio irracional, propagada pela elite a partir de sua mídia golpista, enche os corações e as mentes de milhões de brasileiros que se deixam manipular.

Assim, de uma hora para outra, pessoas aparentemente normais e pacatas passam a agir como verdadeiras bestas feras, atacando com fúria qualquer um que cheire a PT ou a esquerda em geral.

Sinceramente, eu simplesmente não aguento mais isso, ser alvo desse ódio todo, que joga amigos contra amigos e até irmãos contra irmãos.

Domingo mais essa onda de loucura acaba. Mas eu espero de coração que, depois da vitória de Dilma novamente, o PT comece a se mexer para tentar contrapor de algum maneira todo esse lixo inominável que a elite joga em nosso país, via seus papagaios amestrados na mídia criminosa.

O Brasil não merece isso...



Em Jundiaí!


Ódio irracional tem cura


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Filmes: "O Expresso do Amanhã"

LUTA DE CLASSES NO TREM

Não é uma obra-prima, mas vale pelas questões básicas que ao menos tem a coragem de levantar

- por André Lux, crítico-spam

No futuro próximo, o aquecimento global está destruindo a Terra. Numa tentativa de salvá-la, cientistas lançam um experimento nos céus que acaba congelando toda a superfície do planeta. Os poucos sobreviventes vivem num trem, chamado de "Snowpiercer" (picador-de-gelo), que roda sem parar.

Essa é a premissa básica de "O Expresso do Amanhã",  primeiro filme em inglês do diretor sul-coreano Bong Joon-ho (do cultuado "O Hospedeiro"), que foi baseado numa história em quadrinhos francesa

O filme, na verdade, é uma alegoria ao sistema capitalista e sua divisão de classes, reproduzida também no trem: os pobres vivem amontoados nos vagões finais, enquanto os ricos moram no luxo da parte da frente. No meio, claro, fica a força policial responsável por manter as massas subjugadas.

"O Expresso do Amanhã" vem recebendo críticas muito positivas ao redor do mundo, mas confesso que fiquei num meio termo. Apesar da sempre pertinente reflexão sobre o sistema no qual somos obrigados a viver hoje, no qual o dinheiro vale mais do que uma vida, o filme derrapa em vários aspectos que, na minha opinião, o impedem de atingir resultados mais altos.

Um dos maiores problemas é de escala. O trem é estreito demais para conter tantas parafernálias como as que aparecem durante a projeção. A cena do aquário dos seres marítimos é a mais ridícula, de tão desproporcional. Poderiam ter resolvido isso de forma simples: bastava inventarem um trem maior, mais largo, mais radical e estilizado. 

Todavia, o que mais me decepcionou foi realmente a conclusão. Primeiro porque a grande "revelação" dos motivos reais da rebelião dos oprimidos é frouxo. E segundo porque escolheram o final mais tolo e sem impacto possível. 

Mas, ao menos a direção é inventiva e abusa de um humor negro e nonsense digno dos melhores filmes do diretor Terry Gilliam (do "Monty Python" e "Brazil"). O personagem de John Hurt, por sinal, chama-se Gilliam - homenagem mais explícita, impossível. 

O resto do elenco também é de primeira linha, com Chris Evans (o "Capitão América") surpreendendo num papel pesado, e Ed Harris fazendo o possível para dar algum sentido ao personagem do dono do trem, que é cultuado quase como um deus nessa nova ordem social.

Embora não chegue a ser uma obra-prima do gênero, vale a pena assistir e refletir um pouco sobre as questões básicas que o filme ao menos tem a coragem de levantar.

Cotação: * * *

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Sai o novo Datafolha: Dilma tem 46% e Aécio 43%


Foi divulgada, nesta segunda-feira, a nova pesquisa Datafolha sobre sucessão presidencial. Agora, a presidente Dilma Rousseff aparece numericamente à frente, com 46% das intenções de voto (subiu 3 pontos), contra 43% do tucano Aécio Neves (caiu 2 pontos). No levantamento anterior, Aécio tinha 45% das intenções de voto e Dilma aparecia com 43%.

Nos válidos, Dilma tem 52% contra 48% de Aécio. Na contagem de votos válidos na pesquisa anterior, o tucano tinha 51% contra 49% da petista.

A aprovação ao governo subiu para 42% (subida de 2 pontos). Os que consideram regular são 37% (variou 1 ponto para baixo). Os que desaprovam são 20% (reduziu 1 ponto).

O Datafolha também perguntou, entre os dois candidatos, em quem os eleitores votariam com certeza, em quem talvez votassem e em qual não votariam de jeito nenhum.

Veja os números:

Dilma
45% - votariam com certeza
15% - talvez votassem
39% - não votariam de jeito nenhum
1% - não sabe

Aécio
41% - votariam com certeza
18% - talvez votassem
40% - não votariam de jeito nenhum
2% - não sabem

No primeiro turno, Dilma teve 41,59% dos votos válidos e Aécio, 33,55%

O Datafolha ouviu 4.389 eleitores no dias 20 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. 

Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01140/2014.

Meritocracia é isso!


Informados pra burro


Nova pesquisa CNT já aponta Dilma à frente do candidato da direita neoliberal


Pesquisa CNT/MDA divulgada na manhã desta segunda-feira 20 confirma o empate técnico apontado nas mostras Datafolha e Ibope da semana passada, mas com a presidente Dilma Rousseff (PT) numericamente à frente de Aécio Neves (PSDB).
A candidata à reeleição registrou 50,5% dos votos válidos, contra 49,5% do candidato tucano. Esta foi a primeira pesquisa do instituto MDA no segundo turno, portanto não há como comparar com levantamentos anteriores.
Contabilizando os votos gerais, com brancos e nulos, a vantagem da petista é mesma: 45,5% das intenções de voto de Dilma, ante 44,5% de Aécio Neves. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.
O instituto MDA realizou 2.002 entrevistas em 137 municípios de 25 estados nos dias 18 e 19 de outubro, portanto antes do terceiro debate presidencial, exibido pela TV Record.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...