domingo, 12 de fevereiro de 2012

Filmes: "A Pele Que Habito"

REPULSIVO

Este filme ainda faz um grande mal para a luta dos homossexuais contra o preconceito. Recomendado para sádicos ou masoquistas

- por André Lux, crítico-spam

* ATENÇÃO: Essa crítica contém spoilers! *

O diretor Pedro Almodóvar fez alguns filmes muito bons (meu preferido ainda é "Carne Trêmula"), mas também fez algumas porcarias indefensáveis (como "Má Educação"). Esse "A Pele Que Habito" é de longe o seu pior trabalho.

Apesar de ser supostamente baseado na obra "Tarantula", do francês Thierry Jonquet, o filme está mais para uma releitura de "Frankenstein", com o coitado do Antonio Banderas fazendo o papel de um cirurgião plástico que quer fazer renascer os mortos. Só que aqui ele quer transformar alguém vivo num sósia da sua mulher que morreu.

Para isso, ele rapta um rapaz que, bêbado e drogado, tentou transar com sua filha sem sucesso, deixando-a ainda mais traumatizada a ponto dela se suicidar (justo quando ela estava tentando se recuperar do suicídio da mãe). Ou seja, para vingar a morte da filha, o personagem de Bandeiras transforma o pobre rapaz em um transsexual que se parece com a ex-mulher! Essa história não só é ridícula, como extremamente repulsiva (quando queria ser apenas perturbadora). Assistir a esse filme é um exercício penoso.

Aqui os recalques de Almodóvar contra os homens ditos heterossexuais nunca estiveram tão explícitos. No filme todos são loucos, drogados e estupradores (não necessariamente nesta ordem), o que só comprova que o cineasta, que é homossexual assumido, deve ter uma raiva enorme deles e usa seus filmes para se vingar de algum trauma do passado. É evidente também a atração que sente por transsexuais e travestis, figuras sempre presentes em sua obra, e por mulheres fortes e dominadoras (serão elas uma representação de algum figura materna ou da própria mãe do cineasta?).

A verdade é que este filme, além de ser repugnante, ainda faz um grande mal para a luta dos homossexuais contra o preconceito, já que utiliza do mesmo como artifício narrativo. Só recomendado para sádicos ou masoquistas.

Cotação: *

13 comentários:

Anônimo disse...

Péssimo comentário.

Anônimo disse...

Eu achei ótimo.

Cybershark disse...

Conta aí quais vc gostou e quais não gostou do Almodóvar, além dos dois já citadas no primeiro parágrafo. Serve como dicas de filmes a buscar e/ou fugir na locadora, para quem se identificar com sua opinião.

Até hoje conheço só uns 5 filmes do Almodóvar e não acho nenhum memorável. O melhorzinho deve ser justamente "A Pele que Habito"...

André Lux disse...

Dele eu gosto do "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos", "Tudo Sobre Minha Mãe" e "Carne Trêmula". Acho ele superestimado.

André Lux disse...

"Ata-me!" também é legalzinho.

Cybershark disse...

Dos que você citou vi os dois primeiros e acho bem fracos. Quando puder vou procurar o "Carne Trêmula", que ainda falta ver.

Também acho ele (bastante) superestimado.

Nelso Eduardo disse...

Poxa, descobri que eu e vários amigos meus somos sádicos e/ou masoquistas, porque adoramos o filme. O mais curioso é que do meu círculo de amizades o único que não gostou do filme é um tremendo machista. Vai-se entender o mundo...

Curinga disse...

Gostar de qualquer coisa feita pelo Almodovar é coisa de gente chique!

M. Exenberger disse...

Eu também achei horrível, mas tem muita gente que gostou de ver o pobre rapaz, que na verdade era um estuprador, no papel de mulher estuprada. Nesse caso, a vingança é até convincente. Difícil é engolir a grotesca transformação do transsexual em um clone da ex-mulher do médico. Nada justifica tamanha aberração. Almodóvar consegue ser mais escatológico que Dr. Frankstein.

M. Exenberger disse...

De Salto Alto é um dos meus preferidos

Cybershark disse...

Um alerta: reli esse texto agora e notei que ele acaba, sem querer, entregando um monte de spoilers. Essas revelações sobre a operação de sexoe etc só acontecem lá pela metade do filme. Talvez seja o caso de avisar isso num primeiro parágrafo, sei lá, pra quem não viu e ler não sair prejudicado...

Alexandre Figueiredo disse...

Não é o pior filme do Almodovar, não concordo com sua avaliação. Gostei do filme e não sou sádico nem masoquista. Até o Antônio Bandeiras, que não é um grande ator, está bem no filme.

Anônimo disse...

O recalque do Almodovar sempre foram as mulheres.
Todas desequilibradas, problemáticas e sofrem feito um cão.
Demonstrando sempre q de uma maneira ou outra para ser mulher basta ter a aparência de uma e trejeitos.
Neste filme isso ficou explícito, ao menos para mim.
No fundo, no fundo ele é bem sexista.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...