quarta-feira, 7 de abril de 2010

Filmes: "Capitalismo: Uma História de Amor"

A VITÓRIA DO BOM SENSO

Michael Moore mostra a realidade das pessoas comuns que foram expulsas de suas casas como bandidos e passaram a sentir na pele a crueldade do sistema capitalista também nos EUA.

- por André Lux, crítico-spam

Michael Moore é um sujeito admirável. Não tem medo de colocar a cara para bater e de denunciar as mazelas que assolam seu país, virando alvo do ódio de fundamentalistas da extrema direita estadunidense e de seus capachos mundo afora.

Seu novo documentário, “Capitalismo: Uma História de Amor”, é uma porrada em quem ainda defende esse sistema econômico injusto e desumano que tem levado a humanidade cada vez mais perto do abismo. Sempre de maneira bem humorada, Moore mostra como o capitalismo criou uma bolha de ilusão nos Estados Unidos a partir do fim da II Guerra Mundial, gerando uma classe média próspera e feliz sobre os escombros de outras grandes potências como Japão, Alemanha e Inglaterra cujo parque industrial encontrava-se totalmente destruído. E foi exatamente esse modelo de “capitalismo dos sonhos” que os EUA exportaram durante décadas para o resto do mundo como se fosse o ideal de sociedade passível de ser atingida por todos.

Mas o que o bom senso já dizia ser mentira, a história confirmou. A nova crise do sistema, iniciada pelo estouro da bolha imobiliária nos EUA que gerou a quebra de vários bancos e financiadoras, jogou a classe média daquele país numa situação de penúria, digna dos chamados países do “terceiro mundo”. Famílias inteiras, convencidas por peças de marketing mentirosas a investir suas casas no cassino da bolsa de valores, perderam tudo e viram suas vidas serem destruídas em questão de dias.

Michael Moore mostra no filme um pouco da realidade dessas pessoas comuns, que foram expulsas de suas casas como bandidos e passaram a sentir na pele a crueldade do sistema capitalista, enquanto os bancos e empresas que quebraram receberam ajudas bilionárias do governo, as quais foram usadas na maioria dos casos para pagar polpudos bônus a seus executivos.

Enfim, tudo aquilo que os que lutam contra esse sistema brutal vem denunciando há tempos, agora exposto da maneira didática e corrosiva de Michal Moore. É o tipo de filme que todo mundo deve assistir, inclusive aqueles que precisam rever seus conceitos com urgência.

Cotação: * * * *

6 comentários:

jose carlos lima disse...

Lamentável esta tragédia que se abateu sobre o RJ. A vergonhosa falta de distribuição de renda levou milhares de brasileiros a edificarem suas casas sobre um local onde era um aterro sanitário. Seria uma questão lógica o lixão desabar, o que ocorreu em grande parte foi isso. Pois como pode se morar sobre terra de papel? Isto é o resltado desta miséria absoluta que, é claro, está sendo minorada por este governo progressista mas que, exatamente por causa disso, a parte podre e corrupta da elite brasileira quer dar um fim neste processo de conserto do Brasil e trazer de volta conhecidas aves de rapina.
A ignorância produzida por falta de banco escolar ou por uma ideologia mentirosa difundida por meios de comunicação que funcionam como verdadeiros partidos políticos tais como Folha de SP ou Tietê, Globo, Veja Estadão..
Eles adoram que o povo tenha ódio de política ou polis ou cidade, pois assim, o povo distante do que deveria ser de seu interesse, podem roubar mais e mais,,,estes jovens que deveriam procurar fazer o que fazer ficam por aí raqueando ou roubando orkuts ou coisas alheias comos se isso, roubar ou matar ou humilhar gays ou velhos fosse o must ou máximo.
Pois tenham cuidado que as coias vão mudar.
A mentira e o engodo através da comunicação...através dos séculos tem sido esta a prática desta elite podre ou predatória ou corrputa que tem a insensatez que o povo feliz e com grana no bolso é ótimo para os empresários que, com dinheiro na praça, faturam mais e mais.
No entanto o Brasil está tendo o infortúnio de ter a imprensa que tem.
Esta eliete escravocrata derrubou a CPMF que, é claro, era um justo instrumento de distribuição de renda, daí a sua defesa por pessoas de direita mas sensatas como Adib Jatene e Cládio Lembo, mas não por pessoas infelizes ou porta-vozes deste monstro chamado elite brasileira. Estes infelizes desgraçados estão diiariamente nas telas de TV e respondem por nomes como Lúcia Hipódromo, Miriam Leitão, Arnaldo Jabar, Alexandre Gracinha, William Vaca,,esta fauna...ainda bem que de vez em quando o Judiciário tem um lampejo de luz, como esta decisão do STF em considerar como litigância de má fé esta malandragem do advovado do ex-deputado Roberto Jeferson em pedir repetidas vezes a inclusão de Lula como réu no processo do "mensalão". Leia mais http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/04/roberto-jefferson-queria-colocar-lula.html#comments

Lux ou luz, favor configure a caixa de comentários na opção "caixa de comentários abaixo incorporada" para que o espaço de comentar fique logo abaixo do textp;;vc não é um critico spam e sim spin sigla de sistema poético informativo nato. Poético ou patológico, tanto faz..
Este meu texto que segue abaixo começou no blog do Eduardo Guimarães, estou parando um pocu em cada blog, é o passeio do IV Avatar pela blogosfera, ontem ele fico emburrado o dia todo porque estes serviçais de Zé Serra, a filha deste crápula dona do Mercado Submarino ou Submenundo...ela tentou deletar o orkut do IV Avatar e os seus 70 e outros blogs
A VITÓRIA DO BOM SENSO

Michael Moore mostra a realidade das pessoas comuns que foram expulsas de suas casas como bandidos e passaram a sentir na pele a crueldade do sistema capitalista também nos EUA.

- por André Lux, crítico-spam

Michael Moore é um sujeito admirável. Não tem medo de colocar a cara para bater e de denunciar as mazelas que assolam seu país, virando alvo do ódio de fundamentalistas da extrema direita estadunidense e de seus capachos mundo afora.

Anônimo disse...

O Filme já está disponível na Internet?

RLocatelli Digital disse...

Parece um típico estadunidense: gordinho, boné, jaqueta de alguma universidade, calça jeans e tênis. Mas por trás dessa aparência inocente há um cérebro que vai além das críticas superficiais aos EUA. Ao comentar seu novo filme, Moore disse que o capitalismo "não pode ser regulado, tem de ser simplesmente eliminado e substituído por um sistema mais justo."

Clarissa Polati disse...

Hoje mesmo estava assistindo online a um episódio de True Life, da MTV gringa. São documentários sobre diversos temas, uns mais leves, outros mais sérios. Entre lá no site (mtv.com/truelife) e procure o episódio "My parents are broke". São 2 famílias de Flint cujos pais perderam o emprego por causa da crise, não conseguem se sustentar e estão à beira de ir morar na rua. É duro assistir, mas é surpreendente vendo americanos passando pelas situações que passamos diariamente. Acho que vc ia gostar, desse e de alguns outros episódios.

Rolt disse...

Filme pseudo-moralista e parcial. É um filme de qualidade crítica ? Sim. Mostra a verdade ? Sim, mas apenas uma parte dela.

De qualquer jeito, não vou me alongar, só deixo uma pergunta no ar.

O autor da crítica sobre o filme fala muito em substituir o capitalismo. Eu pergunto, substituir pelo que ? Comunismo, que já se mostrou um erro que leva dezenas de milhões de pessoas ?

O que Moore mostra é o real capitalismo de forma geral, ou o resultado de uma má administração do governo americano ?

Laís Melo disse...

Michael luta por um país mais democrata ou seja pela democracia,já que o USA é uma plutonomia,onde a sociedade é reservada para um porcento da população!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...