Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Filmes: "Círculo de Fogo"

DESLIGUE O CÉREBRO

Premissa do filme é "Monstros Gigantes versus Robôs Gigantes". Ou seja, você foi avisado!

- por André Lux, crítico-spam

"Círculo de Fogo" (um nome ruim que não quer dize nada!) é uma daquelas produções que exigem que você desligue o cérebro antes de entrar no cinema. Isso já fica claro a partir da premissa do filme, que é "Monstros Gigantes versus Robôs Gigantes". Ou seja, você foi avisado!

Então, se você conseguir realmente desligar sua massa encefálica, vai se divertir bastante com o filme que, sejamos francos, encerra ao menos por enquanto qualquer pretensão de Guillermo Del Toro (de "Hellboy" e o "Labirinto do Fauno") em querer ser levado a sério como cineasta. Mas ele é um bom diretor e é isso que salva esse "Círculo de Fogo" e o impede de se tornar outra monstruosidade insuportável como os filmes da saga "Transformers".

Del Toro filma suas sequências de ação de maneira bastante clara e permite que você veja as lutas! Não tem aquela chatice atual de câmera tremida, cortes bruscos e rápidos e flashes de luz na sua cara. As brigas são muito bacanas e, pasmem, chegam até a gerar emoção.

Pena que o filme seja tão fraco nas partes em que precisa ter algum peso dramático. O ator que faz o protagonista é um loiro aguado que fica o tempo todo com a mesma cara de quem comeu e não gostou e fala tudo no mesmo tom de voz rouco. Para piorar, ainda colocaram um outro sujeito que fica irritando ele que tem quase a mesma cara. Tem horas que não dá pra sabre qual é um e qual é o outro!

É uma pena também que a trama seja cheia de buracos (aliens que querem tomar posse da Terra mandando monstros clonados gigantes um por vez?) e clichês do gênero, principalmente para quem já viu aqueles velhos seriados japoneses de lutas entre robôs e monstros, tipo Ultraseven. Como sempre, os heróis possuem armas incríveis em seus robôs (como uma poderosa espada e gases congelantes), mas só usam de vez em quando ou no final da luta. Até entendo que os roteiristas tenham tentado prestar "homenagem" aos seriados antigos, mas, sinceramente, se isso já estúpido antes, agora então fica mais ridículo ainda.

Ao seu favor o filme tem um bonito desenho de produção (os monstros são bem bacanas), excelentes efeitos visuais e sonoros e uma trilha musical que funciona bem junto às imagens, coisa rara em se tratando de algo criado por um dos discípulos do abominável Hans Zimmer.

Enfim, eu avisei. Tem que desligar o cérebro... 

Cotação: * * *

6 comentários:

ARM_Coder disse...

Peraí! Os tradutores chamaram o filme de "Círculo de Fogo"??? Até onde sei, o nome já foi usado para nacionalizar o título "Enemy at the Gates". Realmente um nome sem sentido para um filme, por sinal, excelente!

Abraço!

Pedro Guedes disse...

Existe uma área no pacífico chamada ''pacific rim'', e em português ela foi traduzida como ''círculo de fogo''. Quando Guillermo del Toro resolveu intitular o filme como ''Pacific Rim'', ELE PRÓPRIO EXIGIU que o filme tivesse o nome da área do pacífico em todos os lugares do mundo - com as traduções, obviamente. Por isso, o filme se chama ''Círculo de Fogo''.

André Lux disse...

Então é o próprio diretor o culpado por esses nomes ruins. Que coisa.

Eduardo Spitale Brings disse...

Péssima crítica, sem qualidade nenhuma.

Victor Hugo Pereira Lopes disse...

Pior critica de filme que eu já vi!

Anônimo disse...

Não que adiante muita coisa pro lado do roteiro (o que, aliás, não chega a ser tão relevante dentro do que o diretor se propôs a cumprir - e cumpriu), mas foi numa fenda na área do Círculo de Fogo onde a civilização alienígena transportou os aliens de batalha clonados pra "nossa" dimensão. E que por isso mesmo também é o lugar da batalha final.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...