Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Afinal, o PiG é contra ou a favor de Ditaduras?

Estranho.

A imprensa corporativa (que visa o lucro acima de tudo), vulgo PiG (Veja, Folha, Estadão, Globo, etc), que exige "democracia" em Cuba Socialista é a MESMA que clamou pelo golpe militar no Brasil em 1964 (o qual eles chamavam de "revolução" até ontem) e apoiou a Ditadura, dentro do sistema Capitalista, que o seguiu por 21 anos.


É a mesma imprensa que chamava Mubarak de "Presidente do Egito" (só começou a chamá-lo de Ditador quando ele já estava para ser deposto por uma revolução popular). Detalhe: a Ditadura de Mubarak, que durou 3 décadas, era Capitalista.


É a mesma imprensa que NADA fala sobre a Ditadura dos Sheiks na Arábia Saudita (talvez a mais cruel Ditadura Capitalista do mundo atual).

Estranho, não? Ditadura Capitalista, tudo bem para o PiG. Ditadura Socialista, aí não pode?

17 comentários:

Bola de Fogo disse...

Falta uma análise mais profunda do caso, quem apoiou a ditadura não tinha bola de cristal, como você que apoia agora algo que se tornará uma ditadura no futuro...na verdade quase já é.

Curinga disse...

Que coisa mais sem nexo. A mídia brasileira não apenas pediu pelo golpe contra um presidente eleito, como depois apoiou a ditadura que o seguiu. Falta estudar história eu acho...

Bola de Fogo disse...

Tem nexo sim, os mesmos apoiadores foram os mesmos que retiraram o regime, mas tem gente que ainda acredita que o povo ou a guerrilha teve participação nisso... pobres coitados.
Na faculdade de História tentaram me empurrar a sua versão, não pude engolir, a maioria engole porque é mais fácil.

Sei que é difícil analisar quando se é preso a algum partido político ou ideologia.

Curinga disse...

Nossa, dizer que foi a mídia que acabou com a ditadura aqui no Brasil não é nem ingenuidade, é má fé mesmo. Aposto que se você estivesse vivo e fosse adulto em 1964 também apoiaria a ditadura, mas hoje fingiria que não apoiou, igual a mídia. Que feio...!

Luis W disse...

Não sei disso de retirarem a ditadura não. Como historiador, eu só sei que a Globo tentou esconder as Diretas Já dizendo que eram manifestações do aniversário de São Paulo; que Plínio Corrêa fundador da TFP e megalomaníaco reacionário escreveu na Folha de São Paulo até 1990; que os editoriais de O Globo, Estadão e Folha choramingavam tanto sobre os temas da constituinte que um deles (descubram qual!) chegou a aplaudiu a "supervisão" dos militares na transição e na formulação da constituição... Olhe que piada! Sair duma ditadura com uma Constituição supervisionada pelos ditadores! Isso sem contar a legislação de mídia do país, uma piada se comparada até com nossos primos burgueses do 1º mundo 9 inclusive os EUA, olhe que disastre - que favorece o maior canal deste país, que cosntruiu seu império dentro do grande oligopólio civil/militar fruto da ditadura. Alguém realmente precisa parar de ver William Waack de noite, nem o Bonner fala tanta besteira...

Bola de Fogo disse...

É sempre o mesmo discurso embasado no que vocês acreditam que as pessoas fazem, incrível como colocam coisa na boca e nas vidas das pessoas, eu prefiro os jornais de outra emissoras, principalmente o Jornal da Cultura que é comentado... como podemos discutir algo com o mínimo de civilidade se do outro lado tem pessoas que se julgam saber mais da nossa vida do que nós mesmos, de alguma forma isso é repressor demais.

Curinga disse...

Jornal da Cultura, a emissora oficial do PSDB? Tá explicado!! Risos!

Bola de Fogo disse...

É, tá explicado...

Fiquei com vergonha alheia agora, vou me retirar.

Curinga disse...

Pelo jeito ficou com vergonha alheia de si mesmo e então, como não tem mais argumentos, prefere fugir. Típico de papagaio da direita mesmo!

França disse...

Curinga, não adianta. Quando o problema é indigência mental não há possibilidade de apreensão da realidade, dos fatos, e, menos ainda de analisá-la... O negócio é continuar pesquisando, estudando e tentando construir a verdade a partir dessa mesma realidade. Há muito que ler, ainda.

Anônimo disse...

Não vou entrar em filigranas, mas uma coisa eu digo: amestrados pela mídia nativa a classe média brasileira e a direita desenvolveram um ódio insano e raivoso a Cuba.

Henrique disse...

Em um editorial publicado no dia 17 de fevereiro de 2009, o jornal Folha de S. Paulo utilizou a expressão “ditabranda” para se referir à ditadura que governou o Brasil entre 1964 e 1985. Na opinião do jornal, que apoiou o golpe militar de 1964 que derrubou o governo constitucional de João Goulart, a ditadura brasileira teria sido “mais branda” e “menos violenta” que outros regimes similares na América Latina.

Henrique disse...

DITABRANDA
Colocar barata viva na vagina de mulher para torturá-la é DITABRANDA??

Henrique disse...

A ditadura brasileira apoiou política e materialmente uma série de outras ditaduras na região, sendo responsável por muitas torturas, mortes e desaparecimentos em outros países.
Em setembro de 1983, o general Augusto Pinochet, em resposta às críticas dirigidas à ditadura militar chilena, afirmou: “Esta nunca foi uma ditadura, senhores, é uma dictablanda”.

Henrique disse...

OS LACAIOS DA ORDEM AMERICANA
O golpe militar de 1964 e a ditadura militar brasileira alimentaram política e materialmente uma série de outras ditaduras na América Latina. As democracias chilena e uruguaia caíram em 1973. A argentina em 1976. Os golpes foram se sucedendo na região, com o apoio político e logístico dos EUA e do Brasil. Documentos sobre a Operação Condor fornecem vastas evidências dessa relação.
A Operação Condor é o nome dado à ação coordenada dos serviços de inteligência das ditaduras militares na América do Sul, iniciada em 1975, com o objetivo de prender, torturar e matar militantes de esquerda no Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai e Bolívia.

Henrique disse...

A HUMILDADE DOS GENERAIS DA DITABRANDA
Em uma entrevista ao jornal O Estado de São Paulo (30/12/2007), o general Agnaldo Del Nero Augusto admitiu que o Exército brasileiro prendeu militantes montoneros e de outras organizações de esquerda latino-americanas e os entregou aos militares argentinos. “A gente não matava. Prendia e entregava. Não há crime nisso”, justificou na época o general. Humildade dele. Além de prender e entregar, os militares brasileiros também torturavam e treinavam oficiais de outros países a torturar. Em um dos documentos divulgados no Paraguai, um militar brasileiro diz a Pinochet para enviar pessoas para se formarem em repressão no Brasil, em um centro de tortura localizado em Manaus.

Henrique disse...

O editorial da DITABRANDA faz eco às palavras do general Del Nero: “a gente só apoiava e financiava a ditadura; não há crime nisso”.
...
SERÁ QUE O PIG É CONTRA OU A FAVOR DA DITABRANDA??

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...