Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Mais sujeira vem aí: Serra 2010 é o Collor de 1989, preparem-se

Já há alguns dias Serra vem tentando colar no PT a pecha de facção, de grupo extremista, de bando. O fato de hoje seria um pouco a consagração desta estratégia.

- por Renato Rovai, editor da Fórum


Ao ficar sabendo da confusão em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, imediatamente recordei-me do que ocorreu no dia 30 de novembro de 1989, quando um comício de Collor se transformou numa imensa confusão na cidade gaúcha de Caxias.

Era o segundo turno eleitoral, Lula já crescia nas pesquisas e o clima era de alto astral na campanha petista. De repente estoura esse confronto. E Collor que nem havia chegado ao evento, do aeroporto da cidade, já sai atacando o PT de ter incentivado o quebra-quebra. Depois as imagens do conflito, editadas, claro, vão para o Jornal Nacional e para o seu programa eleitoral, ficando lá por alguns dias.

Muito, mas muito mesmo, parecido com o que Serra fez hoje.

Vejam duas fotos do confronto de Caxias e depois sigam lendo o post, porque acho que vem coisa torta pela frente. Não só eu acho isso, o Rodrigo Vianna com quem falei ao telefone agora há pouco também escreveu um post sobre o assunto.


Percebam um homem com um revólver na mão. Vejam que camisa ele usa

Já há alguns dias Serra vem tentando colar no PT a pecha de facção, de grupo extremista, de bando. O fato de hoje seria um pouco a consagração desta estratégia.

Se isso for parar no Jornal Nacional e no seu programa eleitoral buscando vitimizá-lo, podem tirar o verbo ser da última frase do parágrafo anterior do condicional. Eles vão usar essa picada como caminho para tentar virar o jogo nos últimos dias.

Vai ser a última rodada do jogo Serra é do bem, contra o PT do mal.

Ainda pode acontecer coisa pior? Evidente. E o Rodrigo Vianna levanta hipóteses que devem ser consideradas, como pichações em igrejas, carros de reportagens sendo atacados etc.

Também não me surpreenderia com comitês de campanha ou diretórios do PSDB sendo assaltados e violados. E com novas confusões deste tipo em locais onde o conflito poderia ser ainda mais amplificado. Imaginem isso acontecendo, por exemplo, numa visita ao metrô de S. Paulo.

Aliás, falando em local, este evento foi agendado por Indio da Costa, que hoje completa 40 anos, e teria dito a Serra que fazia questão de realizar a agenda do seu aniversário no seu estado.

Indio da Costa é a chave para abrir certas portas das profundezas da campanha de Serra.

E ainda há muitas portas a serem abertas. Todo cuidado é pouco.

PS: Há imagens que demonstrariam que a campanha de Serra estava bem preperada para esta caminhada. Com rapazes bem fortinhos e que agiram com destreza e rapidez para animar o evento.


Relatos sobre a confusão no Rio:
Serra quer virar vítima para preparar “Quinta Onda”?

Na minha humilde opinião, está só preparando o clima. Semana que vem tem mais. É a quinta onda de terror, para “provar” violência de Dilma e PT.

- por Rodrigo Viana, no blog Escrevinhador

Recebi agora relato de Flávio Loureiro – jornalista e blogueiro no Rio - sobre os incidentes ocorridos em Campo Grande, envolvendo Serra, militantes do PSDB e militantes do PT.

Segue o relato:

===

1 – Serra marcou uma caminhada no calçadão de Campo Grande com forte aparato de segurança.

2 – O sindicato dos mata-mosquitos, demitidos na época em que Serra era ministra da Saúde de FHC, se localiza nas imediações.

3 – O processo de demissão dos mata-mosquitos foi traumático, a ponto de trabalhadores perderem tudo, e foram registrados cinco suícdios entre os mata-mosquitos demitidos.

4 – A categoria organizou manifestação no calçadão de Campo Grande.

5 – Os petistas da região, que organizam panfletagens no calçadão, sabendo do quadro, foram para lá evitar confrontos.

6 – Mas os seguranças de Serra, liderados por Júnior, filho da vereadora e deputada estadual Lucinha (PSDB), rasgaram os cartazes dos mata-mosquitos, aí o tumulto começou. Vale lembrar que a comitiva de Serra estava distante do local do conflito, mas Serra foi visto entrando numa Van sem qualquer ferimento.

7 – O miltante petista Carlos Calixto foi agredido e teve o supercílio rasgado, e ainda sangrando foi para a Delegacia Policial registrar a ocorrência.

8 – Segundo o militante petista Sebastião Moraes, a confusão só não foi maior porque outros mata-mosquitos que vinham se incorporar à manifestação chegaram atrasados.

9 – O pessoal mata-mosquitos que estava na manifestação não tem vínculo com o PT. Essa turma tem dois sentimentos básicos: paixão por Lula, que os reincorporou; e ódio por Serra/FHC, que os demitiu.

Abs, Flávio Loureiro

===

Agora volto eu, Rodrigo Vianna. Como informei via twitter durante a tarde, assisti imagens brutas da confusão. Vou relatar o que vi:

1) Serra caminha numa calçada, ao lado de Indio e Gabeira…

2) Há militantes com bandeiras do Serra e vários seguranças à paisana, com aquele corte de cabelo típico de p-2 (serviço reservado), vao empurrando a turma do PT que está por ali.

3) Há empurrra empurra. Cenas nitidas de um rapaz muito forte, de camisa amarela: bate nuns caras de camisa vermelha. Petistas reagem.

4) Serra para varias vezes. Entra numa loja, depois entra numa van. Sai de novo. Quando vai pra van pela segunda vez, põe a mao na cabeça.

5) Parece mesmo ter sido atingido. Mas a gente não vê direito o que era. Depois, aparece um cara com camisa vermelha (petista?), ensanguentado. Serra entra na van.

6) Sai pela última vez, fica só na porta da van, e dá tchauzinho ao lado de Índio. A careca reluzente, nenhum machucado à vista. E vai embora.

Na sequência, pelo que me contam colegas jornalistas do Rio, Serra seguiu para um hospital, foi atendido por um médico (ex-secretario de Cesar Maia) que recomendou repouso. Serra cancelou agenda.

Dizem que foi atingido por um rolo de fita crepe, ou algo parecido.

Na minha humilde opinião, está só preparando o clima. Semana que vem tem mais. É a quinta onda de terror, para “provar” violência de Dilma e PT.

Para saber mais sobre as “Ondas” da campanha contra Dilma, clique aqui.

2 comentários:

Cybershark disse...

Minha sugestão: já que o PSDB quer falar de agressões, então que o PT mostre na TV como Zé Chirico tratou na porrada os professores grevistas em SP (do ensino fundamental ao universitário).

Cybershark disse...

ALÍVIO: fontes seguras me garantem que o rolinho de durex passa bem.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...