Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Comparações incômodas: Combate à corrupção no governo FHC e no governo Lula

Muita gente acredita que a corrupção aumentou durante o governo Lula. Nada mais falso. O que houve, de fato, foi um aumento brutal do número de operações da Polícia Federal contra a corrupção - principalmente o chamado "crime do colarinho branco", cometido por altos figurões como banqueiros, juízes, políticos e empresários.

Vamos aos fatos. Leiam o texto abaixo do blog Palmatoriadomundo e comprovem.

- André

COMBATE À CORRUPÇÃO - COMPARAÇÕES

Dados atualizados até 03/09/2010 Fonte: http://www.dpf.gov.br/

Governo FHC: em 8 anos foram 28 operações da Polícia Federal.

Governo Lula: 1150

Nas operações acima foram presas diversas autoridades, servidores públicos e empresários. Atestando a imparcialidade do trabalho foram presos juízes federais, estaduais, policiais civis, federais (94 da própria corporação), rodoviários federais, Auditores Fiscais, membros do Ministério Público Federal, prefeitos, inclusive do PT, governadores, deputados, vereadores, senadores e tantos outros. Também foram investigadas pessoas ligadas a grandes empresas (Daslu, Schincariol, Odebrecht, OAS, Camargo Correa, etc).

O trecho abaixo reproduzido, de entrevista concedida pelo ex-procurador geral da República Cláudio Fontelles à Revista Caros Amigos Especial Corrupção de setembro/2005, repórter João de Barros, ajuda a entender como uma nova orientação, decorrente da vontade política do Presidente Lula, foi decisiva para a obtenção desses resultados: “Olha que coisa interessante se dá de 2003 pra cá: nestes dois últimos anos, você vê, como nunca se viu, várias operações em conjunto da polícia federal com o Ministério Público. É que as instâncias de investigação do governo, ele as tem nas mãos, leia-se Polícia Federal, Receita, Banco Central, fiscalização do IBAMA, Previdência, essas instâncias começaram a se articular com o Ministério Público, que não é governo, e aí surgiram essas ações. Um combate cotidiano a esse tecido podre.”

Ao contrário do Procurador-Geral da época de FHC, Geraldo Brindeiro, homem ligado ao ex-PFL, atual DEM, combatido por seus pares por ficar no cargo por 8 anos (!!!) e famoso por ter entrado para a história como “o engavetador geral da República”, o Procurador-Geral nomeado por Lula deixou o cargo com enorme prestígio junto ao mundo jurídico e à sociedade.

Na sequência, destacam-se as indicações pelo Presidente Lula de três Procuradores-Gerais da República – os mais votados entre seus pares – com perfis de firmeza, eficiência e isenção que contribuíram para valorizar o papel do Ministério Público Federal, antes acometido pelo inquietante fenômeno do engavetamento. São eles:

Claudio Fonteles- 2003 a 2005;
Antonio Fernando de Souza- 2005 a 2009;
Roberto Gurgel- 2009 a 2010.

Pelos números apresentados e pelas explicações da entrevista, pode-se aquilatar a envergadura dessas operações e os motivos que levaram à excelência no desempenho da instituição: mudanças de orientação, compromisso e vontade política para defender o patrimônio público, prevenir, apurar e combater a corrupção.

Sem exagero, pode-se dividir a história da Polícia Federal em dois momentos qualitativamente distintos: antes e depois do governo Lula. As remunerações e o quadro efetivo da Polícia Federal praticamente dobraram se comparados aos 8 anos de FHC. Há pesquisas comprovando a aprovação da população quanto às Operações da Polícia Federal.

4 comentários:

Anônimo disse...

O aumento do número de operações da reflete tanto um aumento da corrupção - há mais crimes para reprimir - quanto a insitucionalização progressiva de um estado policial no Brasil. Os estados policiais são as sociedades mais corrompidas de todas.

André Lux disse...

Se essa baboseira que escreveu aí fosse mesmo verdade tenho certeza que vc teria coragem de assinar seu nome... risos!

Fernando Romano Menezes disse...

O babaca anônimo talvez ache que é "estado policial" quando se prende ladrões ricos. Típico de fascistóide. Pra refrescar a memória do otário, alguns que foram presos pela PF no período Lula:

Paulo Maluf;
Law Kim Chong;
Naji Nahas;
Daniel Dantas;
Celso Pitta...

Realmente, se todos esses estivessem soltos, o Brasil não teria um "estado policial" e seria melhor. Só preto, pobre e puta tem que sem preso, mesmo... (ironia mode ON)

Hélio de Barros disse...

O "anônimo" deve ser um desses articulistas de umas dessas revistinhas pornográficas a soldo da mentira, da corrupção, do tráfico de drogas e da violência.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...