Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

sábado, 14 de agosto de 2010

O desabafo de Eduardo Guimarães: "O CRIME NÃO COMPENSA"

Antes de lerem o desabafo do meu amigo blogueiro Eduardo Guimarães, que eu assino embaixo com todas as letras, peço que assistam ao vídeo no qual o casal de assessores de comunicação do PSDB, que atuam travestidos de "jornalistas" no mais pútrido panfleto midiático do Brasil, é obrigado a dar os resultados do último DataFraude, onde a candidata de Lula, Dilma Roussef, abre 8 pontos de vantagem sobre o candidato da direita hidrófoba, José Serra.

Na verdade, o DataFraude, que até ontem atuava com último baluarte da candidatura de Serra, jogou a toalha e foi obrigado a se alinhar aos resultados que todos os outros institutos de pesquisa já vinham dando há tempos. A credibilidade do DataFraude estava mais do que comprometida, então, como bons negociantes, resolveram tentar salvar o que resta dela. Sabe como é, os caras fazem o que podem para tentar ajudar o candidato deles, MENOS rasgar dinheiro!

Como dizem os Klingons, "vingança é um prato que se come frio..."



O CRIME NÃO COMPENSA

Em vez de vir fazer análises sobre a vitória da verdade que coroou a semana de todos os homens e mulheres decentes deste país imenso e promissor, portanto, venho aqui lhes garantir, apenas, que a esperteza que este país cultuou durante tanto tempo, e na qual tantos crêem com fervor messiânico, é uma farsa, porque a verdade, a sinceridade, a decência, a honradez, como valores preponderantes em nossas vidas, são insuperáveis.

- por Eduardo Guimarães, no blog Cidadania

Sou de uma geração que foi ensinada pelos mais velhos a acreditar que o crime não compensava. Minha mãe, Joanna, mulher de grande cultura, advogada, socióloga, fluente em sete idiomas (inclusive no Esperanto), educada no Sion (tradicional escola para moças de São Paulo), sempre me orientou a buscar o bom caminho, o caminho da verdade, que dizia ser uma força da natureza como o vento ou a chuva, a qual é impossível conter.

Cresci em um país no qual foi prevalecendo uma cultura nefasta que pregava a esperteza, o atalho ilícito para o sucesso, o desprezo pelos valores democráticos, pela justiça, pelo ser humano. Consternado, passei a vida vendo muitos defenderem abertamente o logro, a capacidade de embromar o próximo e dele tirar o maior proveito no menor espaço de tempo.

Tenho cinqüenta anos e uma vida modesta, uma família estruturada e a intenção firme de terminar os meus dias apenas com isso. Meus três filhos crescidos não precisarão de herança ou de bens – que não deixarei porque não os tenho – porque herdarão cultura e valores democráticos e humanistas que lhes transmiti desde o berço até que a lucidez os iluminasse com o amadurecimento.

Em vez de vir fazer análises sobre a vitória da verdade que coroou a semana de todos os homens e mulheres decentes deste país imenso e promissor, portanto, venho aqui lhes garantir, apenas, que a esperteza que este país cultuou durante tanto tempo, e na qual tantos crêem com fervor messiânico, é uma farsa, porque a verdade, a sinceridade, a decência, a honradez, como valores preponderantes em nossas vidas, são insuperáveis.

Palavras, palavras, dirão os que se opõem aos pedidos desesperados que faço por menos “esperteza” e mais bom senso. Digo que não me crêem quando afirmo que o crime não compensa porque não entendem o que é o crime intelectual, produto da desonestidade intelectual, da vilania intelectual, da falta de humanidade intelectual.

Só lamento uma coisa, após cinco décadas de vida: não ter conseguido elaborar um meio de explicar que não sou “babaca” por defender o império da verdade. Para além da retórica que tantos adotam em favor de tais valores, não me compreendem quando digo que não os defendo só da boca para fora e sim porque neles creio com pureza d’alma. No dia em que eu não passar por “babaca” por pensar assim, o Brasil será muito melhor.

4 comentários:

Cybershark disse...

Ótimo texto, sobretudo o último parágrafo.

Mack disse...

O WB piscou mais que piá pançudo em frente a uma barraca de doces

Ricardo Melo disse...

O que não tem preço mesmo é ver o contrafeito casal puxa-saco de tucano noticiando a vantagem de Dilma. A vida é bela...

Piort disse...

Se a Dilma disse realmente que a entrevista foi correta, então não podemos esperar mesmo, da parte dela, uma reação contra a manipulação jornalística, não é mesmo?

Nossa candidata deveria ser mais ela mesma, mais dura e aguerrida. O temor da "mída gorda" é bem certo, mas não se deve agir de maneira assustada. Ela deveria,após a "entrevista" ter se queixado com o casal de "jornalistas".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...