Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quarta-feira, 10 de março de 2010

Vergonha alheia: “Jornal de Jundiaí” defende o loteamento da Serra do Japi



Numa nova jogada desesperada para desqualificar o projeto de Lei do deputado estadual Pedro Bigardi (PCdoB) que propõe a criação do Parque Estadual Serra do Japi e tentar jogar a população da cidade contra o parlamentar, o “Jornal de Jundiaí” dá mais um tiro no pé e acaba expondo sem querer os verdadeiros objetivos e desejos daqueles que verdadeiramente defende e representa.

Em editorial assinado por um certo Sidney Mazoni intitulado “Que a Serra não seja cabo eleitoral” (sutil como um elefante correndo numa loja de cristais) publicado no domingo, dia 07 de março de 2010, o JJ em mais um de seus atos falhos mira no deputado Pedro Bigardi, mas acaba acertando em cheio nos especuladores imobiliários que estão literalmente loteando a nossa Jundiaí ao mesmo tempo que dão uma banana para a ecologia e a preservação do meio ambiente, conceitos que, na visão deles, servem apenas para atrasar o “progresso” (leia-se: lucro rápido e fácil). Como qualquer pessoa minimamente inteligente sabe, o sonho dessa patota é transformar a Serra do Japi num imenso condomínio de alto luxo, de preferência com uma filial da Daslu lá no topo, cobrando R$ 50 de estacionamento por hora (para garantir que a gentalha não freqüente).

Mas, por mais grotesco que isso pareça, para o JJ essa seria a solução ideal para preservar a Serra do Japi! Absurdo? Não para o editor chefe do jornal, que fala em nome da publicação. Em seu editorial, depois de afirmar ser plenamente favorável à proteção do meio ambiente, Mazoni conta uma historinha edificante envolvendo William Wack, uma celebridade da rede Globo de televisão, que, segundo ele, acaba de comprar uma “terrinha” na Serra do Japi e, coitado, não está conseguindo dormir à noite por causa do projeto do deputado Pedro Bigardi.

Fazendo uso da lógica que lhe é peculiar, o porta voz do JJ tenta então convencer a meia dúzia de masoquistas que lêem o que ele escreve que a venda de terras para pessoas como a citada em seu texto seria a solução ideal para proteger o Japi. E termina seu texto implorando: “Precisamos de mais gente como William Wack e não de mais leis”.

Parece invenção. Parece brincadeira. Mas não é. Assim pensam a elite econômica de Jundiaí e seus fiéis escudeiros da imprensa. Para eles, a Serra do Japi, considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, não passa mesmo de uma propriedade privada sobre a qual bem nascidos e celebridades devem ter o direito divino de fazer o que bem entenderem. Isso, pasmem, é sinônimo de “proteção ambiental” para eles.

Durma-se com um barulho desses...

Aproveitando o ensejo, sugiro então ao “Jornal de Jundiaí” que crie uma seção fixa em algum de seus cadernos com o seguinte título: “Qual vai ser a próxima celebridade a comprar um pedaço da Serra do Japi?”. É ou não é um luxo?

Se quiser ler o grotesco texto do sr. Mazoni na íntegra, clique neste link. Mas tenha à mão um saco de vômito caso não queira sujar a tela do seu computador!

4 comentários:

ModeloBrasil disse...

Um modelo para o Brasil - http://modelobrasil.wordpress.com/

Anônimo disse...

O lugar de um sociopata como o Waack,é mesmo isolado numa mata fechada,assim,nao poe as sociedade em risco!
Por outro lado,deve ficar numa jaula reforçada e bem fechada,senao,pode prejudicar os animaiszinhos silvestres!!

Antonio Carlos disse...

O Sr. Aziz Nacib Ab'Saber, esteve em Jundiaí para ser aplaudido só isso. Serra do Japi é detalhe.

O Deputado sim colocou o tema em debate, chamou o povo para falar, aceitou o contraditório. Isso é democrático.

O J.J. é o diário oficial do PSDB, o Editor se encantou com a quantidade de títulos do Sr. Aziz Nacib Ab'Saber, porém esqueceu dos principais, que são: humildade e conhecimento.

Vivi's disse...

Jundiaí é uma piada

E a mídia jundiaiense mais ainda;
Um é jornal falido, o outro mama nas tetas do governo.

Me sinto vivendo em uma terra de mafiosos italianos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...