quinta-feira, 28 de maio de 2009

Bertold Brecht: Se os tubarões fosssem homens...

Se os tubarões fossem homens, perguntou a filha de sua senhoria ao senhor K., seriam eles mais amáveis para com os peixinhos?

Certamente, respondeu o Sr. K. Se os tubarões fossem homens, construiriam no mar grandes gaiolas para os peixes pequenos, com todo tipo de alimento, tanto animal quanto vegetal. Cuidariam para que as gaiolas tivessem sempre água fresca e adoptariam todas as medidas sanitárias adequadas. Se, por exemplo, um peixinho ferisse a barbatana, ser-lhe-ia imediatamente aplicado um curativo para que não morresse antes do tempo.

Para que os peixinhos não ficassem melancólicos haveria grandes festas aquáticas de vez em quando, pois os peixinhos alegres têm melhor sabor do que os tristes. Naturalmente haveria também escolas nas gaiolas. Nessas escolas os peixinhos aprenderiam como nadar alegremente em direcção à goela dos tubarões. Precisariam saber geografia, por exemplo, para localizar os grandes tubarões que vagueiam descansadamente pelo mar.

O mais importante seria, naturalmente, a formação moral dos peixinhos. Eles seriam informados de que nada existe de mais belo e mais sublime do que um peixinho que se sacrifica contente, e que todos deveriam crer nos tubarões, sobretudo quando dissessem que cuidam de sua felicidade futura. Os peixinhos saberiam que este futuro só estaria assegurado se estudassem docilmente. Acima de tudo, os peixinhos deveriam rejeitar toda tendência baixa, materialista, egoísta e marxista, e denunciar imediatamente aos tubarões aqueles que apresentassem tais tendências.

Se os tubarões fossem homens, naturalmente fariam guerras entre si, para conquistar gaiolas e peixinhos estrangeiros. Nessas guerras eles fariam lutar os seus peixinhos, e lhes ensinariam que há uma enorme diferença entre eles e os peixinhos dos outros tubarões. Os peixinhos, proclamariam, são notoriamente mudos, mas silenciam em línguas diferentes, e por isso não se podem entender entre si. Cada peixinho que matasse alguns outros na guerra, os inimigos que silenciam em outra língua, seria condecorado com uma pequena medalha de sargaço e receberia uma comenda de herói.

Se os tubarões fossem homens também haveria arte entre eles, naturalmente. Haveria belos quadros, representando os dentes dos tubarões em cores magníficas, e as suas goelas como jardins onde se brinca deliciosamente. Os teatros do fundo do mar mostrariam valorosos peixinhos a nadarem com entusiasmo rumo às gargantas dos tubarões. E a música seria tão bela que, sob os seus acordes, todos os peixinhos, como orquestra afinada, a sonhar, embalados nos pensamentos mais sublimes, precipitar-se-iam nas goelas dos tubarões.

Também não faltaria uma religião, se os tubarões fossem homens. Ela ensinaria que a verdadeira vida dos peixinhos começa no paraíso, ou seja, na barriga dos tubarões.

Se os tubarões fossem homens também acabaria a ideia de que todos os peixinhos são iguais entre si. Alguns deles se tornariam funcionários e seriam colocados acima dos outros. Aqueles ligeiramente maiores até poderiam comer os menores. Isso seria agradável para os tubarões, pois eles, mais frequentemente, teriam bocados maiores para comer. E os peixinhos maiores detentores de cargos, cuidariam da ordem interna entre os peixinhos, tornando-se professores, oficiais, polícias, construtores de gaiolas, etc.

Em suma, se os tubarões fossem homens haveria uma civilização no mar.

terça-feira, 26 de maio de 2009

AI-5 Digital do PSDB: Como a Lei Azeredo põe as liberdades individuais em risco

É uma lei sem precedentes. Arrisca as liberdades individuais e o direito de ir e vir sem ser observado. Por fim, o custo. A armazenagem em “ambiente controlado e de segurança” é caro, e o cibercafé da esquina talvez não tenha como pagar. Seria um custo do Estado. O contribuinte vai adorar saber.

Por Pedro Doria, no site Vermelho.

Neste momento, dois grupos de acadêmicos trabalham num projeto de lei alternativo para crimes de informática. Enquanto isso, tramita no Congresso o PL 84-99 original, que fez fama como Lei Azeredo ou, como a apelidou um grupo de militantes, AI-5 Digital.

Os especialistas trabalham no texto alternativo são da Fundação Getúlio Vargas do Rio e da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, da USP. Há vários trechos polêmicos na lei que pretende definir os crimes e as punições na era digital. O mais polêmico é o artigo 22, que obriga provedores a armazenar os logs de acesso de usuários por três anos.

Conversei por Skype com Ronaldo Lemos, da FGV-Rio, um dos maiores especialistas em Direito digital do Brasil. Numa discussão marcada por extremos, Ronaldo é um moderado. E se às vezes parece que os críticos da lei estão na esquerda, é engano. O projeto atenta contra as liberdades individuais e arrisca a criação de um Estado de vigilantismo que ofende os valores de qualquer liberal.

Diz o artigo 22: “O responsável pelo provimento de acesso à rede de computadores, comercial ou do setor público é obrigado a manter em ambiente controlado e de segurança, pelo prazo de três anos, com o objetivo de provimento de investigação pública formalizada, os dados de endereçamento eletrônico da origem, hora, data e a referência GMT da conexão efetuada por meio de rede de computadores e fornecê-los exclusivamente à autoridade investigatória mediante prévia requisição judicial.”

Há três argumentos contra o texto: não há precedentes no mundo; é tão aberto que concede poderes demais ao Estado ferindo direitos constitucionais básicos; e impõe um custo muito alto.

“Dados de endereçamento eletrônico” não quer dizer nada. Se o texto se refere ao endereço IP, provedores podem guardá-los por 10 anos que não serão úteis. São números. Para que sejam úteis, além do tal endereçamento, é preciso saber quem estava ligado ao IP naquela hora.

A vaguidão vai além. Provedor de acesso à rede de computadores não é mais só quem liga computadores à internet. As operadoras de celular seguem na lista. E como não está claro que dados de endereçamento eletrônico são estes, as telefônicas talvez se vejam obrigadas a armazenar seus registros, como a localização física localização física de seus clientes. Seremos rastreados.

Thomas Jefferson, autor da Declaração de Independência dos EUA, estaria de cabelos em pé. Talvez nem tanto. Afinal, Jefferson pensou as leis dos EUA, não as do Brasil. Nos EUA, o Estado não obriga provedores a armazenar logs. Alguns países da Europa obrigam — por seis meses. Azeredo argumenta que o projeto adequa o Brasil à Convenção Internacional de Budapeste para Cibercrimes, que o País não assinou e que exige que logs sejam guardados por 90 dias.

É uma lei sem precedentes. Arrisca as liberdades individuais e o direito de ir e vir sem ser observado. Por fim, o custo. A armazenagem em “ambiente controlado e de segurança” é caro, e o cibercafé da esquina talvez não tenha como pagar. Seria um custo do Estado. O contribuinte vai adorar saber.

Rir para não chorar: Mais charges sobre a CPI do PSDB contra a Petrobras





















sábado, 23 de maio de 2009

PT é igual a bolo: Quanto mais batem, mais ele cresce!

Vejam só os resultados da pesquisa Vox Populi abaixo e entendam porque a direita e sua mídia golpísta estão de cabelos em pé...



BRASIL

67% estão satisfeitos ou muito satisfeitos, igual a maio de 2008; 7% estão insatisfeitos; 5% muito insatisfeitos

Para 60%, Brasil melhorou nos últimos anos; para 14%, piorou; para 56%, vai melhorar nos próximos 2 anos; para 13%, vai piorar

PARTIDOS

Preferência

PT tem 29% da preferência partidária; alta de 4 pontos em relação a 2008 e de 10 pontos sobre 2004; PMDB tem 8%; PSDB tem 7%; e DEM tem 1%

Eleitores sem preferência: 49%, queda de 15 pontos em relação a 2004 (64%)

Rejeição

PT tem 8% de rejeição, estável em relação a 2008; PMDB tem 5%; PSDB tem 5%; e DEM tem 3%; 67% não rejeitam nenhum partido, queda de 2 pontos em relação a 2008 (69%)

Imagem

Primeiro partido que vem à cabeça: PT, 35%; PMDB, 24%; PSDB, 14%.

AVALIAÇÃO DO PT

59% têm muita ou alguma simpatia pelo PT, aumento de 12 pontos sobre 2008; 81% acham o PT forte ou muito forte, aumento de 5 pontos em relação a 2008; 65% consideram positiva a atuação do PT na política, aumento de 5 pontos sobre 2008

Para 70%, o PT ajuda o Brasil a crescer, aumento de 5 pontos sobre 2008

Opiniões sobre o PT

É dinâmico e trabalhador: 75%, contra 69% em 2008

É moderno, com idéias novas: 75%, contra 69% em 2008

Deve ter candidato próprio à Presidência: 68%, contra 67% em 2008

GOVERNO LULA

Desempenho do presidente

Avaliação positiva: 87% (ótimo, bom e regular positivo), contra 84% em 2008; avaliação negativa: 13% (ruim, péssimo e regular negativo), contra 15% em 2008

Melhores ações do governo

Programas sociais, 36%; política econômica, 19%; Educação, 8%; Habitação, 7%

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Chupa direita, que a uva é doce! Dilma sobe 10 pontos, Serra despenca 10!

É fácil entender o desespero da direita...

DILMA SUBIU 10 PONTOS,
SERRA DESPENCOU 10!

Serra: 36%
Dilma: 19%
Ciro: 17%
Heloisa Helena: 8%
Branco e nulos: 19%

Comparando-se com pesquisa realizada pelo Vox Populi há um ano, em maio de 2008, Dilma subiu 10 pontos, Serra despencou 10 pontos e Ciro caiu 6.

CHUPA DIREITA, QUE A UVA É DOCE!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Chamada para Ato contra a direita golpista: O petróleo é nosso, PSDB!

O blogueiro Eduardo Guimarães está fazendo uma chamada para mais um ato contra a direita golpista, que agora mira suas baterias pútridas contra a Petrobras em mais uma tentativa de obter os holofotes da mídia e prejudicar o país e, por tabela, o governo do PT.

Saibam mais sobre o assunto no blog Cidadania.com.

domingo, 17 de maio de 2009

CPI da Petrobrás: Direita não tem propostas e precisa de holofotes...

A direita brasileira, representada na política pelas agremiações do PSDB (Partido Só De Bacana, DEMo e seus partidinhos de aluguel de sempre, quer criar mais uma CPI, a da Petrobrás. É triste, é lamentável, porém é esperado. Eles não têm mais discurso, não têm mais propostas, não têm nem eira nem beira, então só lhes resta ficar inventando CPIs para poder alimentar o PiG (Partido da imprensa Golpista) e, com isso, ganhar seus holofotes para poderem continuar vivos e emocionando aqueles velhinhos reaças que têm saudades da época da ditadura com seus soníferos discursinhos falso-moralistas.

Além disso, é claro, querem tentar desmoralizar a Petrobras a fim de preparar o caminho para sua privatização (sim, eles ainda querem nos convencer que entregar o patrimônio público a empresas privadas é a solução para todos os problemas do Brasil!), caso o vampiro José Serra vire presidente da República nas próximas eleições.

Enfim, mais uma cartada patética de um bando de panacas que não têm o que fazer em Brasília e no final das contas vão acabar atirando contra os próprio pés de barro em mais uma ridícula e grotesca CPI... Quem viver, verá!

O jeito é rir dessa cambada. Deixo então registradas as charges abaixo, que acabam dizendo mais do que mil palavras...







sexta-feira, 15 de maio de 2009

Abaixo o fascismo do PSDB! Ato em São Paulo disse um Mega-Não ao AI-5 Digital

Foi bem ao estilo da internet, colaborativo, livre e online que aconteceu na Assembleia Legislativa de São Paulo o ato contra o que está sendo chamado de AI-5 Digital 2.0 – movimento contra a aprovação do substitutivo do senador Eduardo Azeredo que está em tramitação no Senado Federal e transforma em crime a troca de arquivos digitais, proíbe a existência de redes abertas e torna os provedores em polícias privadas da internet.

Com a eloquência que lhe é peculiar, o ativista pela liberdade na web Sérgio Amadeu da Silveira, professor da Faculdade de Comunicação Cásper Líbero, apresentou às cerca de 300 pessoas presentes no ato, os impactos nocivos que a nova lei, se aprovada, poderá trazer à liberdade e à democracia.

“Essa lei é um absurdo”, afirmou Sérgio Amadeu, “a simples prática comum de recontar uma história que antes fazíamos em nossos quintais e que hoje crianças e jovens fazem na rede pode ser criminalizada. A dimensão lúdica não poderá mais existir”, disse ao contar a história da menina que foi processada pela Warner Bros., por ter feito um diário online do Harry Potter.

Internet precisa de marco civil

O advogado e professor da Faculdade Getúlio Vargas do Rio de Janeiro Luis Moncau fez uma análise técnica do projeto, afirmando que “por ser uma lei que trata de questões criminais com uma abrangência muito ampla e incerta” ela pode representar um perigo para a sociedade. Ele explicou que o Direito Penal sempre é o último recurso a ser usado e, no caso da internet questionou: “O que um projeto de lei como esse poderá trazer já que o Brasil não tem um marco regulatório civil para a internet? O Brasil precisa antes de tudo de um marco civil e não penal”, disse sob aplausos.

De acordo com o projeto substitutivo do Senador Azeredo, a troca livre e anônima de pacotes digitais passará a ser crime. “Se você comprar um CD e passar a música do seu CD para um pen-drive, você poderá estar cometendo um crime, de acordo com a redação do artigo 285-A do projeto”, explicou Sérgio Amadeu.

Estavam presentes no ato os deputados estaduais Simão Pedro, que coordenou a atividade, Rui Falcão e Paulo Teixeira, todos do PT, o deputado estadual Carlos Gianazzi (PSol), o deputado federal Ivan Valente (PSol) e o senador Eduardo Suplicy (PT).

Comunicação livre e democrática

A internet inaugurou uma nova forma de comunicação interativa, multidirecional, transnacional e interagentes. É uma comunicação baseada na liberdade e na diversidade. É isso que permite os avanços tecnológicos da própria rede. O equilíbrio entre liberdade e controle, privacidade e vigilância precisa sempre estar no horizonte de qualquer iniciativa para regular a atividade da internet.

No entanto, essa preocupação nem tangencia a proposta em tramitação no Senado. “Essa é uma lei inócua contra os criminosos, abusiva em relação aos criadores e arbitrária diante dos cidadãos”, resume Sérgio Amadeu.

Rui Falcão sublinhou todos os perigos que o projeto representa caso seja aprovado e, diante da possibilidade real de sua aprovação no Congresso Nacional já levantou a bandeira do veto. “Se a luta da opinião pública não prosperar na Câmara dos Deputados e no Senado Federal ela vai prosperar com o veto do presidente da República a esse projeto”.

Interesses econômicos querem limitar a internet

O deputado federal Ivan Valente alertou que “os interesses econômicos que estão por detrás desse projeto precisam aparecer”. Marcelo Branco, do Fórum Internacional de Software Livre listou alguns desses interesses: a indústria cinematográfica de Hollywood, a indústria fonográfica, a Febraban. “Essa lei é contrária a todas as políticas públicas de inclusão digital desenvolvidas pelo governo Lula”, lembrou Branco.

Na internet um abaixo-assinado contra a aprovação do projeto do Senador Azeredo já conta com mais de 144 mil assinaturas.

O ato foi um alerta para que todos estejam atentos e participem das mobilizações pela liberdade na internet. Caso aprovada essa lei atingirá a todos, como demonstrou Fernando Aniteli do grupo Teatro Mágico ao perguntar quem, entre os presentes, já tinha trocado algum arquivo na internet. 99% das pessoas que estavam no ato levantaram as mãos.

Se fosse resumir o debate desta quinta-feira, 14/05, para postar no twitter, o recado final poderia ser: Defensores de 1 sociedade + justa, colaborativa e que tenha livre circulação do conhecimento ñ podem permitir que o AI-5 Digital seja aprovado.

Da redação

domingo, 10 de maio de 2009

Filmes: "STAR TREK"

PRA NERD NENHUM BOTAR DEFEITO

Minha esposa chegou a chorar duas vezes durante a projeção! E olha que ela nem tinha ouvido falar de “Star Trek” antes de me conhecer... É ou não é uma glória?

- por André Lux, crítico-spam

Esse novo “Star Trek” é simplesmente espetacular! Palmas para o diretor J.J. Abrams, que estava na crista da onda depois do sucesso de “Lost” e se arriscou bastante ao aceitar fazer esse renascimento da série original com Kirk, Spock e o Dr. McCoy que desperta paixões em várias gerações de espectadores. Mas ele não poderia ter acertado mais.

Tudo está no lugar certo neste filme, a começar pelo elenco homogêneo e sem pontos baixos e pelo roteiro muito bem escrito, que consegue o milagre de resolver satisfatoriamente uma trama tortuosa e complexa a qual inclui até viagens no tempo (sempre uma armadilha perigosa em filmes desse tipo), chegando a ter participação especial de Leonar Nimoy, o Spock original!

O mais bacana de tudo é que Abrams revela-se um bom cineasta, com completo domínio da narração e da imagem. Reparem como ele e seu diretor de fotografia posicionam a câmera e usam lentes zoom em várias tomadas para criar o máximo efeito de profundidade de campo no frame, deixando “Star Trek” com cara de filme grande (comparem, por exemplo, com o fraquinho “X-Men Origens: Wolverine”, cuja fotografia utilizada deixa-o quase todo chapado, com cara de filme para televisão).

A música de Michael Giacchino, colaborador constante de Abrams (é dele as trilhas de “Missão Impossível 3” e da série “Lost"), também é muito boa e o compositor tem talento para alternar orquestrações pesadas com outras mais intimistas sem perder a lógica interna do desenvolvimento temático (coisa rara atualmente). Giacchino teve o luxo de compor músicas para cenas chave (como a do nascimento de Kirk) desprovidas de efeitos sonoros. Ou seja, Abrams deixou só as imagens e confiou acertadamente na trilha musical para elevar a dramaticidade da cena (outra opção rara e corajosa). Interessante notar também que o músico vai inserindo aos poucos o tema da antiga série (composto pelo falecido Alexander Courage) no filme, culminando com uma rendição enérgica e empolgante dele nos créditos de encerramento.

São muito legais e bem-vindas paras os fãs as citações a vários episódios da série original e até mesmo dos filmes do cinema, algumas delas bem sutis. Os efeitos visuais também são ótimos, a nova Enterprise é simplesmente linda e o filme tem muito humor. Mas, na minha modesta opinião, a melhor sacada dos realizadores foi eles terem inventado toda uma trama de viagens no tempo que culminou na criação de um universo paralelo, onde os heróis vão poder viver suas aventuras sem precisar se preocupar em serem fiéis à cronologia de eventos da série original (engraçado ver alguns profissionais da opinião criticando o roteiro de forma a dar claras evidências que não entenderam esse ponto crucial - pior que esse fato é tão óbvio e importante para a apreciação do filme que a Uhura chega a citá-lo literalmente!)

Enfim, é um renascimento para “Star Trek” para nerd nenhum botar defeito. Minha esposa chegou a chorar duas vezes durante a projeção! E olha que ela nem tinha ouvido falar de “Star Trek” antes de me conhecer... É ou não é uma glória?

Cotação: * * * * *

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Terrorismo midiático: O PiG a serviço da indústria farmacêutica

Exclusivo: Mais uma ficha falsa do Serra terrorista!

A exemplo do que fez Paulo Henrique Amorim em seu site, aqui no Tudo Em Cima você também encontra com exclusividade uma ficha falsa do Serra terrorista! Sim, a ficha é falsa, portanto, pode ser usada pela Falha de São Paulo na capa da próxima edição do jornal como se fosse verdadeira e depois eles podem dizer que não tem como provar nem que é falsa nem que é verdadeira!

Salvem a ficha falsa do Serra (que foi feita pelo meu amigo Valdir Fiorini) e enviem para o jornal do Otavinho "Ditabranda" Frias!

Clique na figura para vê-la em tamanho real.

Não deixem de ver! ZEITGEIST 1 e 2

Graças à dica do meu amigo Ricardo Melo conheci os documentários Zeitgeist (cuja tradução literal seria Espírito do Tempo). São dois filmes, um de junho de 2007 e outro de outubro de 2008 (chamado "Addendum").

O primeiro destrói com muita propriedade e embasamento os mitos religiosos que muitos ainda seguem cegamente, a farsa dos atentados terroristas de 11/9 ao World Trade Center e ao Pentagono e o corrupto e fraudulento sistema econômico que rege nossas vidas.

Mas se o primeiro já era bom, o segundo filme, o "Zeitgeist Addendum", é realmente excepcional. Ele começa com um aprofundamento das explicações do corrupto e criminoso sistema monetário mundial - essencial para quem, como eu, não entende quase nada de economia.

O segundo ato conta com a participação de John Perkins, ex-agente da CIA que escreveu o ótimo livro "Confissões de um Assassino Econômico", que ajuda a revelar a participação do governo dos EUA em golpes de Estado e assassinatos de políticos, principalmente na América Latina, culminando com o frustrado golpe contra Hugo Chávez, na Venezuela em 2002. Perkins joga luz também sobre o que chama de "Corporatocracia" que é o sistema que realmente manda no mundo, onde um grupo fechado de grandes empresas multinacionais dá as cartas e rege as sociedades de maneira ditatorial e anti-democrática sempre visando o lucro acima de tudo e de todos.

Mas é no terceiro ato que o documentário eleva-se acima da mera crítica ao sistema, apontando corajosamente soluções para os problemas mundiais e apresentando um novo tipo de sociedade, proposta pelo movimento "Projeto Vênus", que não seria baseada na perseguição do lucro. Algo totalmente revolucionário e, por incrível que pareça, bastante plausível, mas que exigiria acima de tudo uma mudança no comportamento e na consciência dos seres humanos.

Existem várias formas de ver os dois documentários. Ambos estão no youtube e também podem ser baixados pelos torrents da vida. No próprio site oficial dos filmes também dá para vê-los, com legendas e tudo: Zeitgeist The Movie.

Não deixem de assistir e disseminem para o maior número de pessoas possível!

Humor Negro: Rir para não chorar...









quinta-feira, 7 de maio de 2009

Nem o PiG consegue esconder essa vergonha: Miguel Haddad, recordista de cassações!

A revista Época, que faz parte da rede Globo e é portanto afiliada ao Partido da imprensa Golpista (PiG), trouxe em sua última edição uma reportagem sobre os políticos cassados no Brasil.

E adivinhem que é o destaque da matéria, com direito a foto e tudo? Isso mesmo, o candidato de Jundiaí Miguel Haddad, do PSDB (Partido Só De Bacana), que, segundo a própria revista do PiG é o recordista nacional de cassações! Ou seja, Jundiaí passa vergonha até mesmo nos panfletos da direita tupiniquim...

Clique na figura acima para vê-la em tamanho real.

O mais estranho de tudo é que aqui em Jundiaí ninguém encontra mais a revista Época desta semana nas bancas. Por que será, não? Afinal, quem não deve não teme... ou teme?

Vejam abaixo o trecho da reportagem que dá destaque ao caso de Jundiaí:

"Um dos casos que mais chamam a atenção é o de Jundiaí, no interior de São Paulo. Lá, o prefeito, Miguel Haddad (PSDB), recebeu sete sentenças de cassação na primeira instância, possivelmente um recorde nacional. Nem todas eram por compra de votos. Haddad chegou a ser afastado do cargo por 19 horas em janeiro, mas, por meio de liminar, voltou. Cinco condenações foram reformadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). O principal adversário de Haddad, Pedro Bigardi (PCdoB), já disse que vai levar o caso ao TSE, em Brasília. Se Haddad terminar cassado, Jundiaí terá novas eleições."

Vejam a reportagem completa da revista Época neste link.

Gilmar Mendes, odiado pela esquerda e pela direita Como é possível essa unanimidade?

Dias desses, estava na casa de um sujeito mega-fascista, daqueles que tem ódio mortal do Lula, do PT e de tudo que cheira a esquerda, quando no meio de uns de seus resmungos típicos, que eu não respondo para não cair em provocação barata, começou a falar mal da Justiça e do presidente do STF.

Fiquei curioso. Como é possível o senhor Gilmar Mendes, o Darth Vader do STF, ser odiado tanto pela esquerda quanto pela direita?

A esquerda não gostar do sujeito é algo natural. Afinal, trata-se de uma pessoa autoritária, truculenta, típico filhote da ditadura que adora os holofotes da mídia golpista para falar mal de tudo que cheire a esquerda e fazer pré-julgamentos canhestros - algo que é no mínimo anti-ético levando-se em conta a posição que ocupa.

Agora, como é que um representante típico do pensamento elitista, preconceituoso e anti-democrático pode ser desprezado também por pessoas do campo da direita? A resposta está, é claro, no Partido da imprensa Golpista.

Da mesma forma que, como diz o Mino Carta, agarrariam fio elétrico desencapado se isso representasse a derrota das esquerdas, os barões do PiG foram todos em bando lamber as botas do Darth Vader do STF. Viram nele a melhor opção para tentar mais um golpe contra o governo Lula ou, caso não desse certo, representar a direita no próximo pleito eleitoral. Cogitava-se até que Mendes fosse o vice na chapa de Serra, da aliança PSDB-DEMo. Graças à atuação do PiG, via seus jornalistas-jagunços e vomitadores de opinião, Gilmar Mendes virou celebridade da noite para o dia.

Mas as coisas começaram a desandar quando o banqueiro Daniel Dantas foi em cana. Como todo o PiG tinha (e tem) rabo preso com o orelhudo, saíram rapidinho na defesa do sujeito, tentando transformar bandido em mocinho e mocinho em bandido, numa das operações midiáticas mais ridículas e grotescas que se tem notícia no Brasil.

Isso, por si só, já deixou todo mundo com a pulga atrás da orelha. Mas o que foi realmente o prego final no caixão das esperanças de Gilmar Mendes deu-se quando o PiG deu nó em pingo de água para tentar atrelar os crimes do Daniel Dantas ao PT. Assim, Folha, Veja, Estadão, Globo e esgotos afins, convenceram seus leitores boçais que Daniel Dantas era, antes de tudo, um operador dos esquemas de corrupção do PT, inclusive do dito "mensalão".

Bom, aí vem o Gilmar Vader e solta o banqueiro duas vezes, uma atrás da outra! Se esse fato isolado já não seria suficiente para deixar todo mundo puto da vida, para a turma da direita ele ainda é o cara que tirou da cadeia o banqueiro bandido que, segundo o PiG, alimentava a roubalheira do PT!

Pensem comigo: é ou não é hilariante? O PiG, mais uma vez, deu um tiro de espingarda calibre 12 não apenas no próprio pé, perdendo mais um pouco da pouca credibilidade que ainda lhe resta, mas também acertou em cheio na sua "nova esperança" contra as esquerdas, o Gilmar Mendes!

Olha, eu vou te dizer. As duas eleições do Lula fizeram a todos nós embarcar numa grande aventura, cheia de idas e vindas, altos e baixos e momentos de forte emoção. Mas essa aventura tem reservado também momentos de alta comicidade, oriundos principalmente do destrambelhamento do PiG e de seus jornalistas-jagunços e vomitadores de opinião.

O negócio é, portanto, relaxar e aproveitar o passeio, pois muitas emoções e divertimentos ainda estão pela frente...

domingo, 3 de maio de 2009

Filmes: X-MEN ORIGENS: WOLVERINE

É bem fraquinho esse “X-Men Origens: Wolverine”. No fundo, não passa de um filminho classe B e com jeitão de produção para a TV feito às pressas para tentar lucrar em cima da franquia dos mutantes da Marvel, cujo primeiro filme tinha qualidades. Como perceberam que fazer uma quarta continuação de "X-Men" ficaria muito cara, principalmente por causa do elenco estelar, resolveram então inventar um filme solo para o personagem mais carismático da série.

Com exceção do astro Hugh Jackman, que se esforça em vão tentando passar alguma emoção, todo o resto do elenco e da equipe técnica é de segundo linha, particularmente o sujeito que faz o coronel Striker, canastrão ao extremo. Podiam ao menos ter feito um filme desfrutável se tivessem investido num roteiro melhor. Mas que nada, a história é cheia de furos e as reviravoltas e resoluções soam falsas e forçadas. Entre as piores de longe ficam a desculpa que inventaram para a perda de memória do protagonista e a história da morte da sua namorada, totalmente ridículas.

E como sempre acontece com esse tipo de produção, na falta de um melhor roteiro e diálogos minimamente inteligentes, apostam todas as fichas em perseguições, lutas e explosões exageradas a cada cinco minutos. Chega a ser tedioso ver Logan lutando com seu irmão Dente-de-Sabre pela enésima vez, quando sabemos muito bem que ambos não vão morrer.

Enfim, é uma perda de tempo. Pior é que li profissionais da opinião dizendo que essa bobagem caça-níqueis é melhor que “Watchmen”! Depois ficam nervosinhos quando percebem que a maioria dos mortais não leva o trabalho deles a sério...

Cotação: **
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...