Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Adote Um Vereador: Crítico-spam participa do debate e irrita turma do PiG



Eu participei do debate público promovido pela ONG “Voto Consciente” de Jundiaí sobre o projeto “Adote Um Vereador”. Fui na condição de adotador, já que criei um blog para acompanhar o vereador Durval Orlato, petista que recebeu meu voto mas não um cheque em branco, por isso terá sua atuação na Câmara dos Vereadores escrutinada por mim sempre que possível.

O debate contou com a participação de mais de 50 pessoas, mas apenas dois vereadores marcaram presença, ambos do PT: o Durval Orlato (que não ficou até o final para minha decepção e justificou que tinha um compromisso inadiável às 20 horas) e a Marilena Negro.

O debate foi aberto pelo jornalista Milton Jung, que trabalha rádio CBN (da rede Globo) afiliada do Partido da imprensa Golpista (PiG). Ele falou sobre o projeto “Adote Um Vereador”, como funciona, como começou, quem já está aplicando e outras coisas. Acabou falando demais e tornou-se cansativo. E ainda soltou pérolas que me fizeram contorcer de dor na cadeira como “Se você quiser ficar bem informado sobre o que acontece na política é só ler os jornais”. Sem comentários. Esses caras vivem no mundo da fantasia, só pode ser!

Felizmente, o representante do PiG terminou seu discurso e aí foi a vez dos adotadores apresentarem-se e falarem sobre o que bem entendessem. Nem preciso dizer que provoquei polêmica na minha fala, né?

Comecei apresentando-me e explicando porque havia adotado o vereador em questão. Depois, claro, comecei a falar do poder que a internet - principalmente, a blogosfera independente - está ganhado dia a dia no embate com a mídia corporativa, que visa o lucro acima de tudo e de todos e, por isso, distorce, esconde e manipula as informações em favor das ideologias e interesses dos seus donos ao mesmo tempo em que posa como imparcial, isenta e apartidária na maior cara de pau.

Fiz questão de elogiar a iniciativa da ONG "Voto Consciente" e do projeto "Adote Um Vereador" e também de falar sobre a manifestação em frente ao feudo da famiglia Frias, a Folha de S.Paulo, contra a ofensa cometida pelo panfleto da direita contra os cidadãos brasileiros ao chamar de “ditabranda” a ditadura cívico-militar que prendeu, torturou e matou centenas de pessoas durante 21 anos e deixou o país esbodegado. Lembrei que aquela manifestação, que chegou a reunir quase 500 pessoas, algumas oriundas de outros Estados (até de Goiás!), foi totalmente organizada pela internet a partir do blog Cidadania, do Eduardo Guimarães.

Bom, foi só eu terminar minha fala que outro jornalista presente, radialista da Rádio Difusora de Jundiaí, pediu a palavra e começou a fazer uma defesa deslavada da mídia corporativa e da coragem que ele e outros jornalistas tem de “botar a cara para bater”, enquanto “esses blogs aí são todos anônimos”. Eu interrompi a fala dele e disse: “Meu blog não é anônimo não, pode entrar para ver”. Enfim, ninguém vestiu a carapuça e ele ficou espumando de raiva sozinho.

O debate esquentou também quando pessoas ligadas ao PSDB da cidade começaram a tentar convencer os presentes de que o projeto “Adote Um Vereador” não tem credibilidade, pois “qualquer um pode criar um blog e sair escrevendo”. Alguns, mais exaltados com esse absurdo (imagine só, um mundo onde qualquer um pode se expressar livremente!), chegaram a afirmar que era preciso existir “controle” sobre os blogs, com algum tipo de “selo de qualidade” para garantir qual tem credibilidade ou não! Isso, na verdade, pareceu-me uma defesa velada do projeto do senador Eduardo Azeredo, do PSDB (o pai do Valerioduto), que tem o objetivo real de promover a censura na internet a fim de transformá-la completamente numa cópia carbono do PiG, na qual apenas "pessoas com credibilidade" teriam direito de expressar suas opiniões!

Obviamente, nesse momento eu pedi a palavra e disse ao sujeito, que era um publicitário e estava acompanhado do Presidente do “PSDB Jovem”, que credibilidade é uma coisa totalmente subjetiva e quem vai decidir se um blog, um jornal ou uma revista tem credibilidade é o leitor e não um ser enigmático. Para reforçar meu argumento, filosofei: “A revista Veja tem credibilidade? Pra você pode ser que tenha, mas para mim não tem. A Folha de S. Paulo tem credibilidade? Para você deve ter, pra mim não tem nenhuma. A CBN tem credibilidade? Em minha opinião, não tem, pra você pode ser que tenha”.

O mais engraçado é que nesse momento o Milton Jung gritou da sua cadeira, cheio de indignação: “Tem credibilidade sim!”. Bom, o cara é funcionário da CBN, só faltava mesmo afirmar que ela não tem credibilidade, não é mesmo? Embora a questão não fosse essa, afinal eu nem afirmei que a CBN não tinha credibilidade, apenas que para mim ela não tinha. Acho que o Jung não entendeu minha colocação e, como todo funcionário fiel do PiG, exaltou-se e correu para fazer a defesa do patrão sem necessidade, dando um tiro no pé que acabou reforçando tudo que eu estava querendo dizer!

Vale lembrar que a CBN é a rádio de “vomitadores de opinião” do nível de Arnaldo Jabor, Miriam Leitão, Carlos Sarderberg, Max Gehringher, Lúcia Hippólito, Marcos Petucelli, Merval Pereira, Gilberto Dimenstein, entre outros. Praticamente uma seleção brasileira de “jornalistas” que fazem oposição ao governo Lula e a tudo que cheirar esquerda enquanto juram de pé juntos que são imparciais, isentos, apartidários... Quanta credibilidade, não?

Mas nem todos representantes do PiG ficaram bravos comigo. A jornalista do Bom Dia, Julianna Granjeia, elogiou minha colocação e falou sobre o repúdio que sentiu quando um cacique do PSDB de Jundiaí, ao ser questionado sobre os 7 processos de cassação do atual prefeito, afirmou que vivíamos numa época pior que a ditadura, pois lá a democracia era melhor (ou alguma besteira do gênero). Detalhe: Juliana ainda se declarou frequentadora assídua do meu blog! Só falta mesmo o Obama dizer que eu também sou "O CARA"!

Enfim, brincadeiras à parte, foi muito bacana o debate. Um espaço aberto, cheio de professores, representantes de movimentos sociais, jovens interessados em políticas, tucanos, petistas e muito mais, onde qualquer pessoa consciente pode perceber claramente quem está interessado em levar transparência à prática política e quem quer que tudo continue sendo feito às escondidas, sem participação da população.

Quem quiser, dê um pulo no blog do Milton Jung para ver o que ele escreveu sobre o assunto. Não deixem de ver o ato falho que cometeu ao chamar o “PSDB Jovem” de “Comissão da Juventude da Prefeitura de Jundiaí”. É, jornalista famoso também erra...

P.S.: Segundo o comentário deixado nesta postagem pelo coordenador da ONG "Voto Consciente", Henrique Parra, o Presidente do PSDB Jovem também se identificou como membro da Comissão de Juventude em sua apresentação. Eu, confesso, não ouvi isso. Mas acredito no Henrique, portanto, quem errou fui eu.

9 comentários:

Voto Consciente Jundiaí disse...

Boa tarde, André,

*Não deixem de ver o ato falho que cometeu ao chamar o “PSDB Jovem” de “Comissão da Juventude da Prefeitura de Jundiaí”

Precisamos corrigi-lo.

O sr. Márcio Ferrazzo se identificou como membro da Comissão de Juventude, tanto que sua ação será a de envolver esse conselho para a divulgação da "Adote".

*Milton Jung gritou da sua cadeira, cheio de indignação: “Tem credibilidade sim!”

Nessa hora o sr. Milton Jung apenas comentou, em tom de humor, "pow, fala que a CBN tem"

O debate teve discussões, mas era um ambiente bastante tranquilo e bem humorado.

O restante do texto é de opiniões e percepções pessoais, ou seja, não cabe correção.

Parabéns por ter feito esse resumo, mais um ponto de vista para que as pessoas que não compareceram possam entender a Adote e o debate.

Um abraço,
Henrique

André Lux disse...

Henrique, valeu pelas correções.

Eu me lembro do rapaz se identificando apenas como Presidente do PSDB Jovem. Pode ser que eu não ouvi o resto.

Sobre o Milton, eu ouvi ele gritando "Tem sim" na hora que eu afirmei que a CBN não tinha credibilidade pra mim. Pode ter sido em tom de gozação, mas pra mim o cara se incomdou.

Como você mesmo disse, são divergências de opinião, até porque você estava em um local da sala e eu em outro, então a percepção das coisas muda totalmente.

E você tem razão em dizer que o ambiente era agradável e tranquilo, embora tenha ocorrido sim alguma debate mais acalorado. Espero que meu texto não tenha dado a impressão que ocorreram brigas ou que o clima foi hostil. Não era essa minha intenção, pelo contrário.

Abraços e valeu pela participação!

Ricardo Melo disse...

Pena que eu perdi (de novo) esse debate. Ainda bem que a blogosfera independente contou com a colaboração do André Lux.

Abraços.

Voto Consciente Jundiaí disse...

Trabalhamos muito esses dias e conseguimos colocar tudo o que rolou no debate nesse grupo:
http://groups.google.com.br/group/adotejundiai?hl=pt-BR

Temos fotos, vídeo, as matérias feitas sobre o debate, resumos e o mais importante:
Um plano das ações que foram produzidas aí, o que cada um fará etc!

Assim vocês podem saber o que foi debatido e saber que isso continuará através de ações, além de saber exatamente quais são elas!

Anônimo disse...

Receba, desde já, toda a minha solidaredade em eventos como este.

Os porcos chafurdam - vide a Rolha de Sumpaulo, bíblia da crasse mérida local ... de tanto espernear perdeu o rumo total.

Deve ter redator cheirando qlqr coisa lá dentro, prá cairem tanto em tao pouco tempo. Até peido brabo, se der barato.

Me responda qem puder:

Qual a diferenca entre a Fábrica Nacional de Grampos e Dossies (ex-veja) e a Rolha?

ZERO, nenhuminha mesmo.

Acho q, por Lula ser mesmo muitos, toda, repito, toda a direita asqerosa está em desespero.

Serrassuga é a última cartada deles.
Se nao emplaca, leia-se elegem o bandido do Bandeirantes, teremos toda a nossa história reescrita: nossa elite terá q se re-educar na história moderna.

E ... qerendo ou nao, encolherá.

(hehe, adoro escrever isso)

E, mais 1 vez, to contigo.

Inté,
Murilo

Arthur Augusto disse...

Perfeito o resumo feito do debate, embora tenha presenciado como ouvinte sem poder falar e debater, por estar com um problema na gargata por fazer o Buzinaço no anchieta, suas colocações sobre a imprensa corporativa foi linda,causando um desconforto total na imprensa corporativa ali presente.

espero presenciar mais debates como estes, acredito que nossas noites ficarão mais agradaveis. rsrs

Julianna Granjeia disse...

Pois é, eu frequento mesmo seu blog. Eu ainda durmo com minha consciência tranquila, o que me tira o sono é testemunhar certas coisas... O que eu posso fazer é escrever. Pra quem não leu, aí vão duas notas da coluna Bastidores do dias 05/04.

Credibilidade
O membro do Forcis (Fórum Regional da Indústria, Comércio e Serviço), Maurício Rappa Santos, filho do presidente do PSDB, Sérgio Del Porto, questionou a campanha Adote um vereador, durante o debate promovido pela ONG Vote Consciente. Para ele, uma campanha sem dono e com blogs onde qualquer cidadão pode participar não tem credibilidade.

Cidadania
Durante o debate, o jornalista e um dos idealizadores da campanha, Milton Jung, explicou (o que já está explicado nos sites) que tanto ele como a ONG fazem o papel de provocadores e estimulam o exercício da cidadania. Os adotadores divulgam o trabalho de seus vereadores, cabe a cada um tirar suas conclusões. A campanha não é institucionalizada.

Milton Jung disse...

André,

Apenas para esclarecer aos leitores do seu blog e para que não se cometa os mesmos erros que criticamos e assistimos na mídia tradicional.

Assim como você não deve ter prestado atenção na fala do rapaz que se apresentou como representante da Comissão da Juventude - confesso que não sabia da existência desta instituição, em Jundiai -, também não o fez ao me ouvir falar sobre a leitura de jornais.

Em nenhum momento disse a frase que você usou entre aspas. Além disso, tirou do contexto algo parecido que falei sobre a cobertura jornalística.

Falei. sim, que os jornais são fontes de informação, assim como emissoras de rádio, de TV, revistas, portais de internet, blogs, grupo de amigos, colegas de profissão ou pessoas com as quais você convive em diferentes comunidades. Em nenhum momento fiz juízo de valor sobre a cobertura de cada um desses canais. Apenas quis mostrar que nós - cidadãos, e eu me considero assim - temos condições de acompanhar o trabalho dos vereadores. Basta termos interesse.

Aliás, talvez você estivesse mais atento a opinião do participante que pedia um “selo de qualidade” nos blogs que acompanham o trabalho dos vereadores - da qual também discordo e deixei isso claro no encontro - e, por isso, tenha confundido o meu comentário durante a sua fala e ouvido nele um tom “cheio de indignação”. Não havia indignação ali da mesma maneira que não houve durante a nossa conversa após o encontro, quando em nenhum momento você demonstrou discordância ao que eu disse, inclusive nos cumprimentamos amigavelmente.

Aproveito para convidar os leitores do seu blog a conhecerem a ideia do Adote um Vereador e aderirem ao projeto, assim como você fez, fiscalizando o trabalho dos parlamentares. Teremos um cidadão mais bem informado, sem dúvida.

Márcio Ferrazzo disse...

Apenas hoje, quase 1 mês depois do debate, tomei contato com este conteúdo. Eu, como membro do Conselho Municipal da Juventude, me propus a contribuir com a campanha efetivamente. Também presido a Juventude do PSDB, mas a manifestação do meu amigo, que não tem filiação partidária, nada tem a ver com esse fato. Inclusive discordo dela. "Há aquele que turvam as águas para que elas pareçam mais profundas", André. Tive a impressão que você é um deles.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...