segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Boas Festas... E um ótimo 2009!

Desejo a todos boas festas e um ótimo 2009!

Que juntos possamos continuar ajudando o Brasil a melhorar, trazendo à tona tudo aquilo que a imprensa de direita esconde ou deturpa.

E que possamos também ajudar a eleger um sucessor digno do Lula!

Força! E que o nosso trabalho de formiguinha continue, para o desespero dos "donos da verdade" e para os "vomitadores de opinião" do PiG...

P.S.: Este blog estará em recesso durante os feriados. Voltarei a postar só depois do dia 10 de janeiro, afinal ninguém é de ferro.

Abraços a todos!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Provando do próprio veneno... Ombudsman da Cultura é atacado por Pitbull da Veja

Quem acompanha o blog do Luis Nassif já sabe que o Ombudsman da TV Cultura está sob ataque do Pitblogeiro da Veja. Isso por causa das críticas que teceu ao desempenho dos entrevistadores no fatídico programa "Roda Viva" (vulgo "Puleiro de Tucanos") com o Darth Vader do STF, Gilmar Mendes - mais chapa branca impossível.

Não vou comentar o lixo que aquele indíviduo vomita em seu blog, que eu nunca li e nunca vou ler mas pelo que ouvimos falar é coisa do mais baixo nível que um ser humano pode chegar, sob patrocínio da revista Veja.

Porém, por mais que a gente se sensibilize com o jornalista da TV Cultura e abomine os ataques chulos e rasteiros do pitblogueiro, uma coisa é preciso ressaltar. Durante anos esse sujeito asqueroso foi convidado de honra do programa "Roda Viva" quando o entrevistado era algum petista ou pessoa de esquerda que a TV do PSDB precisava detonar.

Foi depois de ver o referido cidadão atacando com sua retórica vil e agressiva um petista no centro daquela verdadeira "Roda de Torturas" que eu decidi nunca mais assistir àquele lixo.

Ou seja, para fazer esse tipo de serviço sujo contra adversários dos "donos" da TV Cultura, o tal pitbull servia às mil maravilhas e com certeza recebia muitos tapinhas nas costas no final do programa.

Agora, porém, o feitiço virou contra o feiticeiro e a baixaria do sujeito voltou-se contra os funcionários da TV Tucana que ousaram criticá-lo!

Bem que dizem: aqui se faz, aqui se paga. Será que estão gostando de tomar do próprio veneno? Duvido muito...

Quem sabe agora eles pensem duas vezes antes de convidar esse tipo de pessoa para participar do "Puleiro de Tucanos"?

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Enquanto isso... no "Roda Viva"

Séries: THE BIG BANG THEORY



Se você é, como eu, um nerd assumido, não pode perder a série "The Big Bang Theory", que passa no canal da Warner e está atualmente na segunda temporada.

Fanáticos por "Star Trek", "Star Wars", "Planeta dos Macacos" e cinema em geral, quadrinhos, video-games, computadores, internet, física, química e tudo que diz respeito ao universo dos outrora conhecidos como CDFs vão encontrar muitos motivos para se divertirem com as confusões armadas pelos quatro amigos que têm em comum a paixão por tudo aquilo que as pessoas ditas "normais" abominam ou simplesmente ignoram (como o prazer de assistir à segunda temporada de "Batlestar Galactica" com comentários do diretor!).

Os astros da série são Sheldon Cooper e Leonard Hofstadter, dois Doutores em Física de vinte e poucos anos que dividem um apartamento e, segundo minha esposa, são meus alter-egos. Eles interagem com o engenheiro (mas não Doutor!) Howard Wolowitz, um nerd metido a conquistador, o indiano Rajesh Koothrappali, Ph.D. que só consegue falar com mulheres se estiver sob efeito do alcool, e Penny a vizinha gostosa pela qual Leonard é apaixonado e que não entende absolutamente nada da nerdisse implacável dos quatro amigos.

Alguns episódios trazem momentos antológicos, como todos vestidos a caráter para uma maratona dos seis filmes da série "Planeta dos Macacos", Sheldon virando Spock para aturar uma feira de antiguidades cheia de erros históricos ou quando respondem "William Shatner" para a pergunta "Qual é o homem mais sexy do mundo?".

O bacana é que o universo nerd é tratado com o devido respeito, mas sem esquecer de brincar com as esquizitices e manias dos protagonistas e, principalmente, a falta de habilidades para se relacionarem com as mulheres bonitas - maldição que aflige 9 entre 10 nerds (eu sou a excessão, é claro).

Enfim, se frases como "Ajoelhe-se perante Zod!" ou "Tire suas patas de mim, seu maldito macaco sujo!" fazem sentido para você, então "The Big Bang Theory" é a sua praia.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O coronel do Mato Grosso: Roda Viva e o caso Diamantino

O repórter Leandro Fortes, da CartaCapital, escreveu o texto abaixo, publicado no blog do Nassif, em referência a uma pergunta dos telespectadore (a única!) apresentada ao presidente do STF, ministro Gilmar "Dantas" Mendes.

Leiam, pois é muito esclarecedor.

Roda Viva e o caso Diamantino

Por Leandro Fortes

O filtro de perguntas montado pela direção do programa Roda Viva durante a entrevista do ministro Gilmar Mendes separou, entre aquelas enviadas por telespectadores, uma que, supostamente, se referia à reportagem "Nos rincões dos Mendes", publicada na edição número 522 de CartaCapital, de minha autoria.

Na época, estive em Diamantino (MT), terra de Gilmar Mendes, que há oito anos era dirigida pelo prefeito Chico Mendes, irmão do presidente do STF. A matéria resume a história de dominação coronelista da família Mendes no município, as muitas falcatruas protagonizadas pelo prefeito e a ampla atuação política de Gilmar Mendes em prol do clã do qual, ferozmente, faz parte.

A certa altura da reportagem, eu escrevi o seguinte: "O futuro prefeito, Erisval Capistrano, estranha que nenhum processo contra Chico Mendes tenha saído da estaca zero e atribui o fato à influência do presidente do STF".

Mais adiante: "Segundo Capistrano, foram impetradas, ao menos, 30 ações contra o irmão do ministro, mas quase nada consegue chegar às instâncias iniciais sem ser, irremediavelmente, arquivado". Pois bem, e qual foi a pergunta selecionada pelo Roda Viva? Algo assim: "O sr. tem alguma idéia do porquê das mais de 30 ações impetradas contra o seu irmão ao longo dos anos jamais terem chegado sequer à primeira instância?". Ora, eu jamais escrevi isso. Mas Gilmar Mendes aproveitou para relacionar a formulação equivocada (deliberada?) da pergunta para insinuar que ela estava sintonizada com o "nível" da revista (a Carta) que publicou a informação. E foi em frente.

Ninguém mais tocou no assunto. Nem nas demais denúncias levantadas pela revista sobre o escolinha de direito de Mendes em Brasília, montada a preço de banana e com contratos sem licitação. Nem das relações de Mendes com o coronel Sérgio Cirillo, ligado a Hugo Chicaroni, condenado por subornar um delegado federal em nome de Daniel Dantas. É a falta que faz uma bancada bem informada de jornalistas de verdade, dispostos a fazer jornalismo de verdade. Não fosse a atuação de Eliane Cantanhêde, aquilo teria sido o funeral simbólico do programa.

Tortura: Ato extremo de covardia e sadismo

O famigerado AI-5 acaba de completar 40 anos. Ou seja, há exatas quatro décadas a ditadura cívico-militar que destruiu o Brasil por mais de 20 anos extinguiu os direitos dos cidadãos e oficializou a tortura contra seres humanos que não concordavam com o regime ou simplesmente tinham ideologias distintas dos então donos do poder.

O repórter Rodrigo Viana escreveu um bom texto sobre esse assunto, em seu blog: “ÀS FAVAS, SENHOR PRESIDENTE, COM OS ESCRÚPULOS DE CONSCIÊNCIA”.

Esse é um assunto que me causa profundo horror. Sobre isso tenho a dizer: não existe maior covardia do que torturar um semelhante indefeso. Alguém que é capaz de efetivamente torturar outra pessoa, seja física ou psicologicamente, é no mínimo mentalmente desequilibrado, demente ou simplesmente psicopata. Sem dizer, é claro, extremamente covarde. Pessoas que praticaram esse tipo de ato deveriam ser julgadas e encarceradas pelo resto da vida.

E quem defende essa prática hedionda é igualmente canalha e covarde. Assim como são os que tentam justificá-la em nome de um "bem maior".

Porque a tortura é bem diferente de um ato impensado, feito num momento de descontrole emocional, tipo "briga de trânsito" ou "crime passional". Eu consigo entender (embora não endosse) uma pessoa que, acuada no meio da rua por um valentão reaja com violência e até um marido ou esposa traídos perdendo a cabeça e fazendo besteira. Mas, vejam bem, mesmo assim tudo isso ainda é considerado crime.

Agora, a tortura é bem diferente, pois é feita com frieza, sem emoção - exceto, talvez, a emoção doentia ligada a algum tipo de prazer sádico. Só mesmo um covarde altamente degenerado pode, em sã consciência, infligir tamanha dor e horror a um semelhante indefeso enquanto fuma um cigarro ou conversa tranquilamente com um colega.

O mais terrível, todavia, é que a tortura é tratada pela nossa cultura como algo justificável e, muitas vezes, até louvável. Repare a quantidade de filmes e shows televisivos em que a tortura é mostrada como algo necessário. Quem já assistiu seriados grotescos como "24 Horas" (foto ao lado) ou o novo "Battlestar Galactica" sabe do que estou falando.

Até mesmo filmes bem intencionados, como "Mississipi em Chamas", tentam justificar a tortura como algo desculpável. "Torturamos um racista malvado para conquistar um bem maior: prender todos os outros racistas", parecem tentar justificar os autores. E o que poderia ser considerado apenas como um "lapso criativo" de artistas do passado, hoje virou regra especialmente depois que o terrorista George Bush Jr. chegou ao poder - sem dúvida o ponto mais baixo na governança de um país que nunca se fez de rogado em violar direitos humanos quando precisava defender os interesses dos podres de ricos.

Não dá. Tortura é tortura. E não existe justificativa! Confissões obtidas sob tortura deveriam ser consideradas inválidas sob qualquer circunstância. Porque sob tortura a maioria de nós certamente acabaria dizendo qualquer coisa para se livrar daquele horror. Admiro muito quem consegue resistir às torturas e não revela informações, sejam elas verdadeiras ou falsas - mas esses são minoria.

O Brasil é um país que está cheio de torturadores, tanto do passado quando do presente. Muitos deles usam terno e gravata e fazem parte de partidos políticos. Muitos estão na polícia ou fazendo "segurança" de fazendeiros e altos figurões. Mas existem muitos outros covardes torturadores pelo mundo afora...

Espero, sinceramente, que todos encontrem um dia o longo braço da Lei e sejam retirados do convívio social. E que fiquem em suas celas refletindo sobre o horror inconcebível que praticaram contra seus semelhantes.

E isso é uma das coisas que mais me orgulham no governo Lula. Pela primeira vez nesse país esse tema está sendo tratado com a seriedade que merece. Muito ainda tem que ser feito, com certeza. Mas só o fato de termos um governo que está dando a devida atenção e empenhado em reparar as injustiças e até em punir os criminosos do passado já é um tremendo avanço.

E cabe a nós, que temos horror à tortura, ficar atentos, apoiar e cobrar dos governos o combate a essa prática e a punição exemplar de seus agentes.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Como o PiG noticiaria a "Guerra nas Estrelas"?

Como o Partido da imprensa Golpista (PiG) iria dar as notícias se os fatos mostrados nos filmes "Guerra nas Estrelas" realmente estivéssem acontecendo? Abaixo, minhas sugestões.

PARTE I: UMA NOVA ESPERANÇA (clique nas figuras para vê-las em tamanho real).







PARTE II: O IMPÉRIO CONTRA-ATACA (clique para vê-las em tamanho real).






PARTE III: O RETORNO DE JEDI (clique para vê-las em tamanho real).

 






E se você acha que isto é apenas uma brincadeira que nunca aconteceu ou aconteceria na vida real, dê uma olhada nas capas de alguns jornais brasileiros no dia seguinte ao golpe cívico-militar de 1964 que durou 21 anos, ou da Veja durante o regime ditatorial e pense novamente...










Abaixo, algumas mais recentes, porém igualmente grotescas:



Jornalismo de esgoto da TV Cultura: Gilmar "Dantas" Mendes no "Puleiro dos Tucanos"

Leiam o texto abaixo do blogueiro Idelber Avelar e vejam a que ponto chega o jornalismo de esgoto praticado atualmente no Brasil - mais especificamente na TV Cultura, cujo outrora glorioso programa de entrevistas Roda Vida transformou-se num ridículo "Puleiro de Tucanos".

Leiam tudo, pois vale a pena e não deixem de protestar:

Escreva para o ombudsman da TV Cultura você também. Faz diferença. E entre no site do Roda Viva para postar perguntas: Vai lá.

Gilmar Mendes entrevistado na TV Dantas

Os escalados para entrevistar Gilmar Mendes são Eliane “vacinem-se contra a febre amarela!” Cantanhêde, Reinaldo Azevedo, cuja ignorância, truculência e hidrofobia dispensam comentários, Carlos Marchi, do Estadão e Márcio Chaer, editor do site Consultor Jurídico, de conhecidas ligações com Gilmar Dantas Mendes.

- por Idelber Avelar (http://www.idelberavelar.com/)

Como já sabem a torcida do Corinthians e os leitores do Mello, do Luiz Nassif e do Paulo Henrique Amorim, o Roda Viva, da TV Cultura, vai ao ar nesta segunda com uma entrevista a Gilmar Dantas Mendes, o presidente do Supremo Tribunal Federal. Até mesmo para os padrões do horrendo jornalismo que se pratica no Brasil, é vergonhosa a operação realizada pela TV Cultura com o Roda Viva desta segunda.

Os escalados para entrevistar Gilmar Mendes são Eliane “vacinem-se contra a febre amarela!” Cantanhêde, Reinaldo Azevedo, cuja ignorância, truculência e hidrofobia dispensam comentários, Carlos Marchi, do Estadão e Márcio Chaer, editor do site Consultor Jurídico, de conhecidas ligações com Gilmar Dantas Mendes.
O Roda Viva escalou quatro levantadores de fazer inveja a Ricardinho. A TV Cultura realizaria algo mais próximo do jornalismo se escalasse como entrevistadores quatro capangas ou funcionários de Mendes. A obviedade da manobra terminou, pelo que parece, saindo pela culatra. Uma enxurrada de protestos chegou ao site da TV Cultura.

Mas a coisa ainda piora. O ombudsman – cargo que Houaiss define como jornalista que, de maneira independente, critica o material publicado e responde às queixas dos leitores – resolveu tecer suas próprias teorias sobre a avalanche de protestos que lhe chegaram. Num texto em que abdica completamente da função para a qual foi contratado, Ernesto Rodrigues afirma, sobre os emails, que em todos eles, exatas 10380 palavras, independentemente se eram de remetentes simpáticos ou não à bancada escolhida de entrevistadores, não houve uma única linha com sugestões de perguntas, cobranças ou acusações específicas a serem feitas ao ministro Gilmar Mendes na entrevista. O que só reforça a sensação de que esses telespectadores remetentes, em especial, não pareciam muito interessados no conteúdo da entrevista. Parece brincadeira, mas essas são as palavras de um ombudsman -- um sujeito que é pago para te representar, leitor.

Tendo acompanhado a reação na internet, fica difícil acreditar que nem um único email contivesse sugestões de perguntas a serem feitas a Gilmar Dantas Mendes. No espírito, então, de colaborar com o ombudsman da TV Cultura, enviei-lhe o seguinte email:

Prezado Jornalista Ernesto Rodrigues:

No texto em que Sr. comenta a indignação que tomou conta dos telespectadores da TV Cultura ante a escalação da bancada que entrevistará Gilmar Mendes nesta segunda-feira no Roda Viva, o Sr. afirma que nem um único email continha sugestões de perguntas a serem feitas ao entrevistado. Confesso que não entendi a frase acerca dos emails conterem 10380 palavras, talvez por deficiência minha na descifração de anacolutos. Confio que este email não repetirá o cabalístico número.

No espírito de corrigir o que certamente terá sido uma indesculpável desatenção dos missivistas, incluo aqui 25 perguntas que eu – e, tenho certeza, muita gente mais – gostaria que fossem feitas ao Presidente Gilmar Mendes.

1.O sr. sabe algo sobre o assassinato de Andréa Paula Pedroso Wonsoski, jornalista que denunciou o seu irmão, Chico Mendes, por compra de votos em Diamantino, no Mato Grosso?

2.Qual a natureza da sua participação na campanha eleitoral de Chico Mendes em 2000, quando o sr. era advogado-geral da União?

3.Qual a natureza da sua participação na campanha eleitoral de Chico Mendes em 2004, quando o sr. já era ministro do Supremo Tribunal Federal?

4.Quantas vezes o sr. acompanhou ministros de Fernando Henrique Cardoso a Diamantino, para inauguração de obras?

5.O sr. tem relações com o Grupo Bertin, condenado em novembro de 2007 por formação de cartel? Qual a natureza dessa relação?

6.Quantos contratos sem licitação recebeu o Instituto Brasiliense de Direito Público, do qual o sr. é acionista, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso?

7.O sr. considera ética a sanção, em primeiro de abril de 2002, de lei que autorizava a prefeitura de Diamantino a reverter o dinheiro pago em tributos pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Diamantino, da qual o sr. é um dos donos, em descontos para os alunos?

8.O sr. tem alguma idéia do porquê das mais de 30 ações impetradas contra o seu irmão ao longo dos anos jamais terem chegado sequer à primeira instância?

9.O sr. tem algo a dizer acerca da afirmação de Daniel Dantas, de que só o preocupavam as primeiras instâncias da justiça, já que no STF ele teria “facilidades”?

10.O segundo habeas corpus que o sr. concedeu a Daniel Dantas foi posterior à apresentação de um vídeo que documentava uma tentativa de suborno a um policial federal. O sr. não considera uma ação continuada de flagrante de suborno uma obstrução de justiça que requer prisão preventiva?

11.Sendo negativa a resposta, para que serve o artigo 312 do Código de Processo Penal segundo a opinião do sr.?

12.Por que o sr. se empenhou no afastamento do Dr. Paulo Lacerda da ABIN?

13.Por que o sr. acusou a ABIN de grampeá-lo e até hoje não apresentou uma única prova? A presunção de inocência só vale em certos casos?

14.Qual a resposta do sr. à objeção de que o seu tratamento do caso Dantas contraria claramente a súmula 691 do próprio STF?

15.O sr. conhece alguma democracia no mundo em que a Suprema Corte legisle sobre o uso de algemas?

16.O sr. conhece alguma Suprema Corte do planeta que haja concedido à mesma pessoa dois habeas corpus em menos de 48 horas?

17.Por que o sr. disse que o deputado Raul Jungmann foi acusado “escandalosamente” antes de que qualquer documentação fosse apresentada?

18.O sr. afirmou que iria chamar Lula “às falas”. O sr. acredita que essa é uma forma adequada de se dirigir ao Presidente da República? O sr. conhece alguma democracia onde o Presidente da Suprema Corte chame o Presidente da República “às falas”?

19.O sr. tem alguma idéia de por que a Desembargadora Suzana Camargo, depois de fazer uma acusação gravíssima – e sem provas – ao Juiz Fausto de Sanctis, pediu que a "esquecessem"?

20.É verdade que o sr., quando era Advogado-Geral da União, depois de derrotado no Judiciário na questão da demarcação das terras indígenas, recomendou aos órgãos da administração que não cumprissem as decisões judiciais?

21.Quais são as suas relações com o site Consultor Jurídico? O sr. tem ciência das relações entre a empresa de consultoria Dublê, de propriedade de Márcio Chaer, com a BrT?

22.É correta a informação publicada pela Revista Época no dia 22/04/2002, na página 40, de que a chefia da então Advocacia Geral da União, ou seja, o sr., pagou R$ 32.400 ao Instituto Brasiliense de Direito Público - do qual o sr. mesmo é um dos proprietários - para que seus subordinados lá fizessem cursos? O sr. considera isso ético?

23.O sr. mantém a afirmação de que o sistema judiciário brasileiro é um “manicômio”?

24.Por que o sr. se opôs à investigação das contas de Paulo Maluf no exterior?

25.Já apareceu alguma prova do grampo que o sr. e o Senador Demóstenes denunciaram? Não há nenhum áudio, nada?

Se pelo menos duas ou três dessas perguntas forem feitas ao entrevistado nesta segunda-feira, caro jornalista, eu me juntarei a V. Sra. na avaliação de que a revolta que se viu na internet não é representativa do pensamento da maioria dos telespectadores do Roda Viva.

Atenciosamente, me despeço, desejando boa sorte à sua credibilidade,

Idelber Avelar

Ação e reação: Jornalista iraquiano joga sapatos em Bush!

Sou contra a violência. Por isso tenho nojo do sr. Bush Júnior, eleito com dinheiro das indústrias bélicas dos EUA para provocar guerras que gerassem lucro para seus acionistas e, de quebra, para dominar as reservas de petróleo no Iraque e os gasodutos no Afeganistão. Tudo isso travestido de "luta contra o terrorismo e pela democracia" que só mesmo pessoas muito burras ou ingênuas podem levar a sério.

De qualquer maneira, quem planta violência, colhe violência. É ação e reação, uma lei imutável da física que vale também para as reações pessoais e para a política.

Veja o vídeo abaixo que mostra um jornalista iraquiano jogando seus sapatos no terrorista que governou os EUA nos últimos 8 anos, aos gritos de "É o beijo de despedida, seu cachorro!".

sábado, 13 de dezembro de 2008

A pergunta que não quer calar: Afinal, por que a Classe Média é tão burra?

Vira e mexe essas perguntas vêm à tona em discussões entre amigos: qual o problema com o pessoal da Classe Média, por que são tão burros e insistem em apoiar políticos que só querem tomar o poder para beneficiar meia dúzia de amigos bem nascidos, seus familiares inescrupulosos e aqueles que os financiam?

Um parêntese: esse tipo de político, que disfarça cinicamente suas verdadeiras intenções mesquinhas com um discurso moralista e conservador, está melhor representado hoje no Brasil em partidos como o PSDB e o DEMo (ex-PFL).

Mas isso pode mudar amanhã se os podres de ricos acharem que essas pessoas não os estão mais representando adequadamente...

Para mim, a resposta é óbvia: a turma da Classe Média não tem "consciência de classe". E você não precisa ler as obras do Marx para enteder o que isso quer dizer. É fácil.

Converse com uma pessoa pobre, à beira da miséria. Ela sabe que é pobre, não tem ilusões sobre a sua condição social. Pode ser que não faça nada para mudar isso e passe seu tempo dentro de uma igreja, onde é invariavalmente ensinada a se conformar com sua situação com frases do tipo "a pobreza é sua cruz e vai te garantir um lugar nos céus", ou vendo as alienantes novelas da Globo. Porém, mesmo que não se de conta disso racionalmente, essa pessoa tem consciência de classe.

A mesma coisa vale para os podres de rico. E aqui estou falando dos Antônio Ermírios, dos Daniel Dantas da vida, sujeitos que tem mansões (no Brasil e no exterior), fazendas, iates, helicópteros, aviões, carros, importados, ilhas, etc, etc - ou seja, um tipo de gente que pobres mortais como eu e você só vemos no cinema ou na capa da revista Exame. Esses caras têm cosciência de classe, podem ter certeza!

É só ver como adoram ver os outros (pobres e remediados) seguindo as Leis e os códigos morais que seus lacaios inventam e disseminam para controlá-los, ao mesmo tempo que infringem todos eles... Por que vocês acham que eles têm verdadeiros batalhões de advogados a servi-los 24 horas?

E é no meio disso que se encontra a Classe Média, que no Brasil se subdivide em três tipos:

1) Classe Média Alta - sabe aquele tipinho que trabalha como escravo num alto cargo de multinacional para manter uma casa de dois andares num condomínio fechado, três carros de luxo na garagem, um apê no Guaruja, paga alta mesada para aos filhos e centenas de plásticas à esposa perua (para não encherem o seu saco enquanto se esbalda com amantes e prostitutas de luxo) - e ainda assim se acha membro da "raça superior" só porque, um dia na festa de fim de ano, o dono da empresa deu um tapinha nas costas dele? Pois é, esse é o preferido dos podres de rico, o mais fácil de ser comprado e manipulado...

2) Classe Média Média - tem um nível de vida razoável, algum conforto, um apêzinho de três quartos na periferia, carrinho popular zero (com prestações a perder de vista), educa os filhos em colégios elitizados e vive no limite do cheque especial para manter isso. É o tipo que trabalha hoje para pagar as contas amanhã. Esse eu conheço bem, pois fui criado como um deles pelo menos até os meus 18 anos (saiba como consegui obter, às duras penas, minha "consciência de classe" lendo meus relatos "Eu Também Já Fui Papagaio da Direita" e "Como Comecei a Ver e Sentir a Matrix"). São aqueles que vivem com medo de perder tudo, sempre no limite do estresse e manipulados pelo terrorismo midiático, ao mesmo tempo que morrem de raiva de quem é igual a eles, porém está do "outro lado" do muro, à esquerda, lutando por um mundo melhor.

3) Classe Média Baixa - resumidamente, são aqueles que trabalham hoje para pagar as contas de ontem, mas mesmo assim ainda são capazes de morar numa casinha bonitinha, ter um carrrinho mais ou menos novo e dar um mínimo de conforto e educação aos filhos (de preferência em escolas estaduais gratuitas). Não são tão raivosos quanto o acima citado, porém num misto de conformismo, alienação e vontade de subir na vida, são capazes de tudo para agradar os "de cima". Esses, infelizmente, são os melhores tipos para serem usados como jagunços dos poderosos, como se fossem os capitães do mato pós-modernos (para quem não sabe, capitão do mato era um escravo recém libertado que acabava sendo contratado pelo ex-dono para perseguir escravos fugitivos).

Então, entre os pobres que mal conseguem se manter vivos e os podres de ricos que acham divertido pagar R$ 7.000 num sapato na Daslu, estão os pobres coitados da Classe Média. 

Espremidos entre a miséria total e a riqueza absoluta, vivem sonhando que um dia vão "chegar lá" no topo da pirâmide e virar um "chapa" do Antônio Ermírio.

E para isso, deliram: basta trabalharem bastante, serem bonzinhos, não questionarem as regras e, acima de tudo, defenderem os interesses daqueles chiques e famosos - afinal de contas, são seus próprios interesses já que um dia eles mesmo poderão também estar lá em cima comprando suas ilhas particulares, não é mesmo?

Essa foi, na minha opinião singela, a grande "sacada" dos podres de ricos: inventar a Classe Média dando um pouco mais de migalhas a uma parcela dos trabalhadores, para depois convencê-los por meio de seus aparatos midiáticos (cinema, televisão, jornais, revistas, etc, de que eles estão mesmo bem mais próximos do topo da pirâmide do que da base e que para chegar lá em cima não é difícil, basta ter esforço e dedicação...

É aquela velha piada do cara sentando em cima do trabalhador com uma cenoura na ponta de uma vara de pescar - o de baixo vai sair correndo para tentar pegar a cenoura, enquanto carrega o outro nas costas sem nunca coseguir alcançar seu "prêmio".

Se a turma da Classe Média tivésse a mínima consciência de classe, estaria sempre ao lado dos pobres e miseráveis lutando por melhor distribuição de renda, respeito aos direitos humanos e por Justiça social. E não faria isso por altruísmo ou caridade, mas sim por necessidade, para garantir sua própria sobrevivência e um futuro melhor para seus filhos.

O motivo para isso é óbvio, não? Quanto menos pobreza e injustiças existirem no mundo e quanto menor for o abismo que separa as classes sociais, menos chance de perder tudo e viver na miséria as pessoas vão ter. Assim, ao invés de ficarem agarrados desesperadamente ao pouco que tem - tornando-se presa fácil do discurso cínico dos "conservadores" - a Classe Média poderia viver em paz, sem medo do amanhã e sem ódio dos que ousam ter consciência de classe e lutam por um mundo melhor para todos.

Enfim, ouçam abaixo a música "Classe Média", do Max Gonzaga, que resume bem o que eu tentei dizer aqui.

Enquanto isso, em Jundiaí... A liminar - parte I

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Às favas com a credibilidade: Barões da mídia dão o tom do desespero dos tucanos

Quando os barões da mídia decidem jogar às favas o pouco de credibilidade que seus panfletos ideológicos ainda mantém junto à maioria da população é sinal de que a coisa está feia e que o desespero por um possível fim da impunidade e do "coronelismo" aumenta a cada dia...

Mas, ao invés de assumirem abertamente em editoriais suas (óbvias) preferências político-partidárias e arcarem com as conseqüências desse ato de coragem (como fazem muitos veículos assumidamente conservadores no dito primeiro mundo), esses representantes midiáticos do arcaico sistema feudal tupiniquim, onde "manda quem pode e obedece quem tem juízo", continuam fingindo que seus veículos de propaganda reacionária são "isentos" e "imparciais". Isso ao mesmo tempo em que tentam enfiar goela abaixo dos incautos opiniões travestidas de notícias - e vice-versa.

Azar deles, que insistem em dar tiros nos próprios pés, chegando muitas vezes a serem mais realistas que o próprio rei! Depois não entendem porque perdem assinaturas e leitores todos os dias, ainda mais nesse época onde qualquer um pode achar informação de qualidade na internet.

Esse é um problema em ser conservador e reaça: o sujeito fica tão preso a dogmas e técnicas de manipulação ultrapassados que acaba sendo atropelado pelas novas idéias e pelas novas tecnologias de comunicação.

Em Jundiaí, o absurdo chega às raias do ridículo quando a provinciana imprensa local - especialmente "Jornal de Jundiaí" e "Jornal da Cidade" - tenta transformar uma mera liminar numa vitória definitiva dos candidatos do PSDB contra as seis cassações por crimes eleitorais - conforme as sentenças do Juiz da cidade. O único que manteve um certo compromisso com a verdade factual foi o "Bom Dia", que estampou a seguinte manchete: "Miguel ganha o direito de se diplomar para assumir dia 1º - Prefeito eleito tem sucesso em liminar no TRE, o que suspende temporariamente as cassações.

Não vou falar mal dos profissionais que trabalham nesses veículos, pois tenho certeza que muitos são honrados e tentam seguir à risca a prática do bom jornalismo. Estou certo que essas pessoas se revoltam em silêncio quando testemunham, indignadas, tamanhas aberrações estampadas nas capas dos jornais onde, infelizmente, são obrigados a trabalhar para ganhar o pão honestamente...

Aí eu pergunto: por que será que os barões da mídia local fazem tanto malabarismo para distorcer a realidade até que ela se encaixe naquilo que os partidos de direita querem fazer a população acreditar? O que ganham divulgando mentiras como se fossem verdades absolutas, destruindo assim a credibilidade de suas empresas que vendem notícias? Alguém aí sabe a resposta...?

Se preferir, faça para eles essas perguntas:
leitor@bomdia.com.br
redacao@jj.com.br
opiniao@jj.com.br
redacao@jornaldacidade.com.br

O ninho dos tucanos está caindo... Protógenes conta como FHC enriqueceu

Deu no blog do meu amigo Antônio Mello:

"O delegado Protógenes Queiroz deu uma longa entrevista à revista Caros Amigos que está nas bancas agora. Nela, o delegado fala de sua carreira, da Satiagraha, mas também do passado – do seu passado e do de outras personalidades de nossa história, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que estaria envolvido em um caso escabroso de corrupção.

Abaixo, reproduzo trecho da revista que trata desse caso de FHC, mas você deve ir a uma banca de jornal e comprar seu exemplar, porque a entrevista é longa, há denúncias contra um neto de Jorge “Essa Raça” Bornhausem, Paulo Maluf, Pitta etc., além de outros artigos que valem a leitura."


Clique aqui para ler trechos da entrevista bombástica do corajoso delegado da Polícia Federaç que prendeu o mega-mafioso Daniel Dantas.

Tremei, tucanos! O ninho está caindo. A época dos "coronéis" está acabando...

Chore de tanto rir: Veja um pittboy tucano virtual em ação!

Fazia tempo que não me divertia tanto. Cheguei a chorar de rir!!
O mais engraçado é que é pura verdade. Meu blog recebe a visita de uns tipinhos histéricos assim de vez em quando. Aqui em Jundiaí tá cheio, ainda mais agora que a máfia está sentindo pela primeira o longo braço da Lei em ação... Vejam e comprovem!

Vergonha para Jundiaí: Tucanos cassados vão assumir prefeitura na marra!

Mais uma notícia que envergonha o povo trabalhador e honesto de Jundiaí: os candidatos do PSDB que foram cassados SEIS VEZES por crimes eleitorais, Miguel "A Múmia" Haddad e Luiz "Papagaio de Pirata" Machado, obtiveram uma liminar na Justiça para poder assumir o poder na marra!

Reproduzo o que meu colega blogueiro Kalango Doido escreveu: "Eles conseguiram somente uma liminar para poder realizar a festa da posse, em momento algum ele está livre dos processos, sendo que nenhum ainda foi votado, isso quer dizer que ele continua cassado! Estão querendo enganar a população, a matéria do JJ contribui para essa farsa, afirmando que ele está livre, manchete vergonhosa e mentirosa! Jundiaí não irá festejar e sim estará de luto!"

Isso tanto é verdade que no site do TSE tanto "A Múmia" quanto o "Papagaio de Pirata" continuam sendo considerados INAPTOS (Cassados)! Clique na figura abaixo para ver as reproduções do site em tamanho real.

Será que a força da grana e da truculência vai vencer a Justiça mais uma vez? Se for assim, Jundiaí perde e os filhotes da ditadura ganham de novo...

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Rir para não chorar Enquanto isso, em Jundiaí...

Clique nas figuras para vê-las em tamanho real.



Jundiaí exige Justiça! Ato no Fórum e no Cartório Eleitoral

Seguem abaixo as fotos que tirei da manifestação suprapartidária que começou em frente ao Fórum e terminou no Cartório Eleitoral, onde estavam sendo recontados os votos graças à cassação dos candidatos da coligação encabeçada pelo PSDB de Miguel Haddad, cujo recorde nacional de seis cassações envergonha Jundiaí.

Como se pode ver, dezenas de pessoas participaram do ato mesmo num dia e horário complicados de terça-feira, às 13h30.

Todavia, o número de participantes não importa, já que tais atos são apenas simbólicos e servem para mostrar à imprensa conservadora, à Justiça e aos donos do poder econômico que existem pessoas ligadas no que está acontecendo. O importante é que a Justiça está punindo, pela primeira vez na história da cidade, os crimes eleitorais cometidos pelos partidos de direita. E isso conta com o apoio de todos os jundiaenses que querem eleições honestas na cidade.

E a reação histérica dos "coronéis" de Jundiaí e de seus lacaios na imprensa corporativa local mostra que, desta vez, eles estão realmente preocupados.


Ato em frente ao Fórum


Entrega de panfletos com esclarecimentos à população


Manifestantes seguram suas faixas


Durval Orlato entrega panfletos


Manifestantes tomaram os dois lados da rua do Fórum


Panfletagem


Início da caminhada pelo calçadão


Pedro Bigardi estava presente


Manifestação em frente ao Cartório Eleitoral


O juiz Stradiotto explica o óbvio ao funcionário do PiG

Final do ato em frente ao Cartório Eleitoral
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...