Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Jornalismo de esgoto: Para o Estadão, tortura é motivo de piada

.
E a tortura virou motivo de piada

- por Renato Rovai, editor da revista Fórum

No embalo da mais do que infeliz pergunta do senador José Agripino Maia (DEM-RN) à ministra Dilma Rousseff, quando ele insinuou que Dilma poderia mentir à CPI por já ter feito o mesmo sob tortura na época da ditadura, o jornal O Estado de S. Paulo publicou, no dia 12 deste mês, a carta de um leitor fazendo graça com o tema:

"A gente já sabia, mas ao depor na comissão do Senado a ministra Dilma confirmou: nem sob tortura ela fala a verdade. Foi uma grande verdade".

Indignado, encaminhei ao responsável pelo Fórum dos Leitores do jornal o seguinte e-mail:

"Tenho inúmeras restrições ao jornalismo de O Estado de S. Paulo, mas assino-o em nome da minha empresa e por conta da minha atividade profissional, sou jornalista e editor. Hoje, porém, tive engulhos ao ver publicada a carta do leitor Mauro Miler. A publicação desse tipo de ‘piada’ grotesca atenta contra os direitos humanos e os valores mais caros da democracia. A prática da tortura é crime hediondo. Um jornal que se preze deve tratá-la sempre assim."

A resposta do editor de Fórum dos Leitores de O Estado de S. Paulo chegou-me na noite daquele mesmo dia.

"Caro senhor, claro que a prática de tortura é crime hediondo, ninguém pode discordar. E mordaça o que seria? Liberdade de expressão, sempre. E viva a democracia! Gratos pela atenção, Fórum dos Leitores".

Apesar de a resposta ser de um simplismo tosco e de uma pequenez insuportável, decidi abordar o assunto neste espaço exatamente porque quem respondeu pelo jornal utilizou o discurso da "liberdade de expressão" como manto para justificar um erro, no mínimo, ético do veículo.

O jornal tem garantido o direito de publicar tudo o que lhe pareça conveniente. Aliás, direito conquistado pela luta de pessoas como Vladimir Herzog, Rubens Paiva e Luiz Eduardo Merlino. Gente que foi torturada e assassinada durante a ditadura por ter cometido o bárbaro "crime de opinião".

O buraco é mais embaixo

Mas o caso não é esse e não pretendo me alongar nisso. O jornal tem garantido o direito de publicar o que lhe pareça correto, mas, se for sério, deve fazê-lo com base no respeito aos direitos humanos, à ética do seu tempo e aos limites da legislação do seu país. Tem garantido o direito de questionar a lei vigente, evidente, mas não deve confrontar aquelas cláusulas pétreas constitucionais do seu território, principalmente quando diz atuar em defesa do Estado democrático e de direito.

Por isso mesmo, não é aceitável que um veículo de comunicação que se diz sério ainda tenha dúvida em relação ao que significa fazer graça com o tema da tortura. Também por esse motivo não pode ser considerado sério e respeitável um jornalista ou um jornal que utiliza a bandeira da "liberdade de expressão" como justificativa para publicar uma carta onde a tortura é tratada de forma torpe e sem nenhum contraponto.

Mas se esses dois argumentos não bastam, vou recorrer ao exemplo do Estado de S. Paulo para ver se faço o jornal e o seu editor do Painel do Leitor entenderem do que estamos tratando. Esse e-mail que enviei e que foi respondido não foi publicado pelo jornal. Também não foram publicados e-mails enviados pelos leitores do meu blog. Por que o jornal fez isso? Censura, mordaça ou critério de edição?

Sem esquizofrenia, fico com a última opção. Acho que o editor do espaço preferiu divulgar aquilo que lhe parecia mais conveniente. No caso da carta que fazia "piada" com a tortura é isso que também parece ter acontecido. O editor do espaço quis publicar o lhe parecia uma crítica a uma ministra, a uma integrante do governo, quis mostrar que o jornal é de oposição.

Mas o buraco era e continua sendo mais embaixo. Tortura não é assunto que diga respeito a governo ou oposição. E felizmente muitos opositores do atual governo têm certeza disso. Como também defenestrar a tortura e não ceder espaço a quem a defende — ou a quem acha engraçado fazer piada com tema — não tem nada a ver com mordaça.

Fazendo graça

Essa carta publicada pelo O Estado de S. Paulo demonstra que estamos muito longe de ter um entendimento mínimo sobre quais devem os procedimentos éticos de um veículo de comunicação. Até porque, depois que tratei do assunto no meu blog recebi comentários dando conta de que cartas semelhantes foram publicadas em outros veículos impressos, inclusive de grandes centros como o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul.

Dar vivas à liberdade de expressão por conta da publicação de cartas do tipo da que tratei é apostar na barbárie jornalística.

Ainda bem que, por conta da luta do povo judeu, hoje é considerado crime fazer piadas com o Holocausto. O mesmo se pode dizer em relação ao racismo no Brasil. Mas, infelizmente, parece que as vítimas e os parentes dos que sofreram violências na luta contra a ditadura ainda terão de lutar para que alguns jornalistas e seus veículos aprendam como tratar do tema. E como não tratar.

23 comentários:

Luiz.Monteiro4 disse...

Vc é muito corajoso. Meter o pau em toda a imprensa não é fácil.

Anônimo disse...

André, todo mundo sabe que a tortura é coisa de seres nojentos, mas porque vc não condena a tortura praticada pelo governo cubano e o governo chines?quero ver se vc tem coragem de publicar este post.

André Lux disse...

Não existe nenhum registro de tortura praticada pelo Estado em Cuba ou na China. O que existe é pena de morte, igual nos EUA ou na Arábia Saudita.

Quero ver se você tem coragem de assinar o próprio nome...

Cristina Castro disse...

Concordo com você, André. Todo jornal precisa fazer uma filtragem das cartas que publica, ou corre o risco de levantar bandeiras de atentado aos direitos humanos que nenhuma imprensa deve (ou pode) levantar.

mario disse...

ANDRÉ, NÃO SEJA COVARDE, O QUE O GOVERNO CHINES FAZ COM O POVO DO MIANMAR É O QUE?

André Lux disse...

Eu nunca disse que concordo com o regime chinês. Mas isso não prova que promovam torturas - como você afirmou, certo Mário?

Mais fatos e menos bravatas, por favor.

mario disse...

ORA ANDRÉ, ENTÃO PORQUE VC OMITE O FATO DE DILMA E SEUS 'COMPANHEIROS' TEREM TENTADO IMPLANTAR NO BRASIL UM REGIME DITATORIAL, IGUAIS OS DA CHINA E O DE CUBA. E DIZER QUE CHINA NÃO PROMOVE TORTURA É NO MINIMO IMBECILIDADE, ONDE ESTÃO OS ESTUDANTES DA PRAÇA CELESTIAL ANDRÉ?

André Lux disse...

Fico triste ao lembrar que até os 18 anos eu pensava e vociferava igualzinho ao "mario"...

mario disse...

ORA ANDRÉ, RESPONDA ESTA PERGUNTA, ONDE ESTÃO OS ESTUDANTES DA PRAÇA DA PAZ CELESTIAL?É SÓ ISSO QUE EU QUERO QUE VC RESPONDA...

André Lux disse...

Devem estar presos ou então foram executados, como manda lei chinesa, que é igual às leis de muitos Estados dos EUA por sinal...

roberto disse...

andré, eu acho que esse tal de mario tem um pouco de razão, afinal o que o regime cubano e chinês fazem com seus povos é lamentavel e grotesco.Não existe diferença entre esses regimes e a ditadura militar brasileira, todos distruiram e destroem vidas inocentes.Um abraço para vc andré, praticamente tudo q vc comenta em seu blog eu concordo, só acho legal vc querer defender ditaduras, só porque são de 'esquerda', ditadura é ditadura e ponto final.

mario disse...

ERA AI QUE EU QUERIA CHEGAR, AQUELES ESTUDANTES SÓ QUERIAM LIBERDADE PARA A CHINA, E SEREM PRESOS OU EXECUTADOS, POR LUTAR POR SEUS IDEIAIS É TÃO GROTESCO QUANTO OS ATOS DA DITADURA MILITAR E O REGIME NAZISTA

mario disse...

E TEM MAIS ANDRÉ, DILMA E OS 'COMPANHEIROS' QUERIAM QUE O BRASIL FOSSE UMA DITADURA IGUAL A DE CUBA E A DA CHINA, JÁ PENSOU SE ELES TIVESSEM VENCIDO?

André Lux disse...

Pois é Roberto, por isso sou contra qualquer tipo de tortura ou pena de morte, especialmente contra inimigos políticos. Eu nunca defendi o regime chinês que se fosse mesmo "comunista" não receberia elogios de VEJAs e afins...

Já em Cuba, a história é outra.

Mário, sabemos que a luta de Dilma e afins não era essa que você acredita, mas, seguindo sua lógica, quer dizer então que você é a favor da tortura e do assassinato só em caso de pessoas que "lutam para implantar ditaduras iguais à de Cuba"?

mario disse...

NÃO QUEIRA COLOCAR PALAVRAS EM MINHA BOCA ANDRÉ, TORTURA E EXECUÇÕES SÃO GROTESCAS EM QUALQUER OCASIÃO, MAS A QUESTÃO É QUE DILMA QUIZ POSAR DE HEROINA, COISA QUE ELA NUNCA FOI, POIS ELA E SEUS COMPANHEIROS ASSALTAVAM BANCOS, SEQUESTRARAM PESSOAS INOCENTES, E MATARAM OUTROS INOCENTES TAMBÉM, DA MESMA MANEIRA QUE OS ANIMAIS DA FARC.

roberto disse...

não concordo com vc nesse aspecto andré, os regimes cubanos e chines em termos de ditadura são a mesma coisa, pois negam liberdade a seus povos e executam quem tenta se opor, afinal de contas caro andré as prisões cubanas estão cheias de presos politicos e outros tantos foram executados, um abraço caro andré.

André Lux disse...

mario, Dilma é uma pessoa corajosa que luto pela liberdade enquanto muitos se acovardaram ou apoiaram os golpistas. Se você enxerga a realidade de outra forma, não é problema meu. Vir até meu blog vomitar suas opiniões formadas a partir do que lê na Veja ou aprende na tv Globo não vai mudar nada...

roberto (ou será mario?) sua opinião sobre o regime cubano não coincide com os fatos. Direito seu falar o que quiser, porém não espere ser levado a sério.

roberto disse...

andré o problema é que as vezes vc quer ser o dono da verdade, pois por mais esquerdista que uma pessoa possa ser, ela não deve negar a verdade, ou vc vai ter a coragem de negar que em cuba não existe presos politicos?

André Lux disse...

Sei que em Cuba, assim como em qualquer outro país do mundo, pessoas que tentam praticar atos terroristas contra o governo são presas. Nos EUA é assim também. Experimenta você ir até o palácio dos bandeirantes com uma dinamite protestar contra o Serra pra ver onde vai parar...

Não sou dono da verdade, apenas não tenho dois pesos e duas medidas como vocês da direita, que acham um absurdo a pena de morte na China, mas batem palmas para ela nos EUA e nos países alinhados.

Mas, coerência não é mesmo o forte dos direitistas, que ainda não têm nem coragem de assinar o nome verdadeiro quando tentam provocar, certo?

Cristina Castro disse...

André, me permita fazer uma crítica construtiva a seu modo de debater: tente ser mais sereno e rebater os argumentos dos outros com "realidades" tangíveis, com dados, fatos históricos, etc, em vez de rebater com exaclamações e com a simples desconstrução das idéias divergentes da sua.

Descontruir o argumento do seu interlocutor dizendo que você, até os seus 18 anos, "vociferava" como ele, não é coisa de pessoa adulta e centrada. E o pior: embora você tenha boas idéias e bons argumentos, eles perdem força quando são apresentados com tamanha agressividade e arrogância.

A impressão que fica para nós, espectadores da discussão, é de que você realmente se porta como "dono da verdade". Aliás, é a impressão que fica desde que li seu artigo sobre a saída da Matrix.

É ótimo saber que você não mais acredita em tudo o que a Veja diz, não é mais viciado em televisão e tem um senso crítico aguçado em relação às grandes mídias. É bom saber que alguém migrou do espectro da direita mais reaça do Brasil para um espectro esquerdista. Mas isso só vai ser útil para nós, de esquerda, se você souber conversar de maneira inteligente e aberta, respeitando pontos de vista divergentes e contrapondo os argumentos dos "direitistas" com outros argumentos objetivos.

Por favor, não me leve a mal, nem seja agressivo comigo. Esse negócio de falar as coisas por escrito é um perigo, porque a educação pode ser lida como ataque. Só estou dizendo isso tudo a você porque respeito seu posicionamento, acredito que você respeite o meu e muito me incomoda ver que seu discurso está tão desperdiçado na agressividade - como, aliás, tem sido muito comum entre os esquerdistas. Justamente por te considerar um sujeito inteligente é que tenho devotado parte dos meus intervalos de hoje para participar e debater em seu blog, expondo claramente (e serenamente) minhas opiniões e sugestões.

Abraço.

George Pedrosa disse...

Muitos dos que lutaram contra a Ditadura Militar tinham ideais socialistas democráticos ou até libertários. Anarquistas também participaram de tais movimentos. Muitos apenas queriam um retorno à democracia. Sei disso porque conheci alguns. Generalizar os guerrilheiros como defensores de uma ditadura à la Cuba é uma falácia preconceituosa e infantilóide, digna de veículos como a Veja... e dizer que, se eles tivessem vencido, o Brasil passaria por uma ditadura ainda pior, é apenas um eufemismo para dizer que você é a favor da Ditadura Militar e de suas atrocidades. Ao menos tenha coragem de admitir isso.

André Lux disse...

Cristina, tenho muito prazer em debater serenamente com pessoas de qualquer espectro ideológico desde que tenham coragem de assumir suas posições e defendê-las - mesmo que seja de forma incoerente repetindo as instruções que Jornal Nacional, Veja e Folha lhes ensinam.

Já com aqueles que só sabem atacar a ideologia alheia, não assumem posição nenhuma e, via de regra, não tem coragem nem de assinar seus nomes, não perco meu tempo tentando apresentar "argumentos sólidos".

Até porque, como já descobriu lendo minhas "Memórias de Um Alienado", sei bem o que se passa na cabecinha dessas pessoas, pois já fui igualzinho. Não me enganam nem um minuto com esse papinho furado. O querem mesmo é irritar e provocar para tentar se sentirem menos complexadas e infelizes devido às suas indigências intelectuais. Freud explica.

Agora, se você acha certo e tem estômago para ficar debatendo com essse tipo de gente tosca e covarde, não vou criticá-la. Pelo contrário. Acho até bacana.

Eu não consigo. Até porque pessoas assim só mudam se quiserem. Tem que ser algo de dentro pra fora (eu sei bem como é esse processo).

Se isso passa a impressão de que me acho "dono da verdade", paciência. Se nem o Jesus Cristo agradou a todos, imagina um pobre coitado como eu...

Abraços.

Ary disse...

Uma coisa é certa: A ditadura de direita realmente existiu,promovida pelos EUA,diga se de passagem,e fez muito mal para o país,isso é fato.
Nunca houve ditadura de esquerda no Brasil,a idéia de q uma ditadura esquerdista no país estava em andamento não passa de meras falácias,com bases em meras hipóteses,das alas direitistas do país; Pois bem:Não me parece nem um pouco sensato usar uma suposta ditadura para justificar outra ditadura.Aqueles q usam esse argumento para defender a ditadura, agem de má fé,pois se eram contra a ditadura comunista,deveriam ser contra a ditadura direitista.Essa história de ditadura necessária,é argumento de gente de miolo mole.Depois dizem que são os esquerdistas é que usam uma coisa pra justificar outra.Então tá.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...