Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quarta-feira, 5 de março de 2008

Aos doutrinados pela mídia corporativa: Perguntas que não querem calar

Quando você se assume como sendo de "esquerda", isto significa, ao menos no meu caso, que você luta pelo paz, pelo humanismo, pela justiça social, pelos direitos iguais, pelo fim da exploração do homem pelo homem, pelo respeito às leis (desde que justas e igualitárias), pelo fim do racismo, do preconceito, da homofobia, do chauvinismo machista, do fanatismo (religioso e ideológico), entre outras coisas.

E daí, obviamente, você vai se alinhar a outras pessoas que também lutam pela mesma coisa ou que, pelo menos, lutam pelo maior número possível de itens da sua lista particular. Nem sempre todos os esquerdistas lutam exatamente pelos mesmos ideais ou concordam sobre qual é a melhor forma de conquistá-los. Mas, em linhas gerais, existe um consenso de que quem é de esquerda é progressista e libertário.

A partir do momento que você assume publicamente essa posição, começa imediatamente a ser "questionado" pelos doutrinados pela mídia corporativa de direita, que busca o lucro acima de tudo e de todos e está alinhada sempre ao que há de mais reacionário, conservador e intolerante. Essas pessoas, em sua raiva cega e sem sentido, não percebem o quanto são incoerentes e obtusas.

Mas agora é a minha vez de questionar esse pessoal com algumas perguntas básicas. Vamos ver se algum deles se manifesta. Se bem que eu duvido muito, afinal, nunca encontrei alguém que tenha coragem de se assumir como sendo de direita...

1) Por que vocês vivem indignados com o regime socialista de Cuba e sua suposta "falta de liberdade", mas não dirigem sua raiva a regimes muito mais selvagens e totalitários que o cubano, como os da Arábia Saudita ou do Kuwait, por exemplo? Será que é porque a mídia que vocês consomem nunca contou que esses países são governados por verdadeiros "faraós" que dominam a população com mão de ferro e praticam os piores tipos de perseguição política? Será que é porque esses países são aliados de primeira linha dos EUA, cuja doutrina imperialista dita o que a mídia corporativa mundial deve ou não divulgar, condenar, denunciar ou esconder?

2) Por que vocês estrebucham em feridas quando lembram das execuções cometidas pelo regime cubano contra criminosos julgados e condenados juridicamente, mas não soltam um pio em relação às execuções cometidas até hoje nos EUA da mesma forma? Bush Jr., por exemplo, foi o rei das execuções quando governou o Texas. Ele pode e o Fidel não pode? Por que essa indignação seletiva?

3) Por que todos vocês chamam Hugo Chávez de "ditador" mesmo sabendo que ele foi ELEITO por voto democrático pela maioria absoluta de seu país por nada menos que três vezes, sendo aprovado inclusive em um plebiscito no meio do primeiro mandato? Será que é porque Chávez é contra o imperialismo dos EUA e luta pra proteger os interesses da nação dele, ao contrário do que faziam os governantes antes dele, que vendiam a preço de banana as reservas do país e deixavam a maioria da população na maior miséria?

4) Por que vocês não chamam de ditador Pervez Musharraf, que chegou ao poder no Paquistão depois de um golpe militar em 1999 e massacra e prende qualquer pessoa que ouse ir contra seu governo? Será que é porque Musharraf é favorável às políticas imperialistas dos EUA e deixa seu país ser usado como base pelo exército estadunidense?

5) Por que vocês têm ódio da FARC, que é uma guerrilha que realmente usa de práticas condenáveis como o sequestro, mas adoram o Álvaro Uribe, que era aliado de narcotraficantes como Pablo Escobar, tem a seu serviço milícias para-militares que assassinam sindicalistas e serve com capacho de Bush Jr. para usar a Colômbia como quintal de seus interesses nada nobres na região?

6) Por que vocês têm orgasmos toda vez que algum petista ou esquerdista é linchado publicamente pela mídia, sem qualquer prova ou direito de resposta, mas ficam revoltados quando o mesmo acontece com algum parente ou amigo de vocês?

7) Vocês protestam o tempo todo contra a suposta "falta de liberdade" em Cuba, mas se amanhã rolar um novo golpe militar no Brasil e Lula for derrubado, não vão vibrar quando derem a ordem de "prender e arrebentar" essa corja de petistas, lulistas e esquerdistas em geral? Em 1964 foi assim. Os mesmos que xingavam a revolução cubana e a dita falta de democracia deles, batiam palmas para os milicos na rua, para as prisões, torturas, perseguições políticas, assassinatos e desaparecimento dos corpos, não é mesmo?

8) Vocês dizem que em Cuba o povo não pode pegar um avião e ir para a Europa. Poder, eles podem, só que lá ninguém tem dinheiro para fazer isso. Já aqui no Brasil, terra da liberdade, qualquer um pode ir para a Europa a hora que quiser, certo? Ah, não pode? Por que será, hein?

9) Ok, confesso que eu não tenho medo de dizer que admiro pessoas como Che Guevara, Ghandi, Olga Benário, Fidel, Lennon, Chomsky, Ramonet, Lenin, Marighella, Lamarca, Mino Carta, Vladmir Herzog e muitas outras figuras que, sim, são controversas, mas ao menos lutaram e lutam por um mundo mais justo e igualitário. E vocês? Têm coragem mesmo de se alinhar a gente como delegado Fleury, coronel Ubiratan, Mussolini, Hitler, Jorge Bornhausen, ACM, Garrastazu Médici, Pinochet, Bush Jr., Geisel, Carlos Lacerda, Uribe e outros figurões da extrema-direita, que faziam e fazem seu serviço covarde e sujo em nome da manutenção dos privilégios de meia-dúzia de podres de rico?

Bom, eu poderia fazer muitas outras perguntas, mas vou parar por aqui.
Vamos ver se alguém se manifesta de forma coerente, sem apelar para os velhos clichés do anti-esquerdismo midiático de sempre...
.

24 comentários:

Jurandir Paulo disse...

Clap! Clap! Clap! Assino embaixo.

Ricardo disse...

André, gostei dessa materia, como eu acho que vc colocou as questões cubanas por causa de minhas duvidas, eu esclareço, eu repudio qualquer forma de ditadura, tanto a cubana, a brasileira, a do paquistão, a chinesa, eu repudio sendo de direita ou de esquerda, pois acredito que a liberdade e a democracia são o bem mais valioso de uma nação.O que não pode é vc querer justificar uma ditadura, simplesmente porque existe outras, piores ou não, o mal não pode justificar o mal, pois é assim que muitas direitistas pensam, violencia gera violencia.Toda ditadura é ruim, vc não acha?seja a cubana ou as do oriente médio.

André Lux disse...

Ricardo, não foi pra você que escrevi isso.

Também sou contra qualquer tipo de ditadura. Inclusive, se o governo diz ser de esquerda, mas vira ditadura (caso da URSS e Alemanha Oriental) pra mim já é de direita. Esquerda pra mim pressupõe luta por igualdade e liberdade.

Sobre Cuba o buraco é mais embaixo. Embora a mídia de direita adore dizer que lá é uma ditadura, eu não vejo dessa forma. Primeiro, porque em Cuba existem eleições. Não são feitas num sistema como o nosso, mas não deixam de ser.

Segundo, porque se fosse mesmo uma ditadura, a população já teria se revoltado várias vezes até derrubar os ditadores, como aconteceu em todos os outros países totalitários. E não é o que acontece em Cuba. Pelo contrário. Fidel é adorado pela esmagadora maioria da população - exceto, é claro, pelos mafiosos de Miami e as viúvas do ditador Batista.

Existem problemas, defeitos e erros no regime cubano? Com certeza. Ninguém nega isso. Agora, querer equiparar o sistema de lá com, por exemplo, o regime do Pinochet, do Franco, do Médici ou com o que existe na Arábia Saudita de hoje, é no mínimo falta de conhecimento.

Abraços.

Ricardo Melo disse...

IMPERDÍVEL:
Um excelente texto sobre Cuba, escrito por um conhecido, o professor André Catani.

Vale a pena ler o seu NOVO blog:
http://isthereanysenseatall.blogspot.com/

Aí vai o texto do Catani:


A ILHA.

"É claro que eu não podia deixar de tocar no assunto: Fidel, quem diria, renunciou ao poder em Cuba. Conheci alguns cubanos. Entre eles, uma que ficou amiga, a Rosabel. Quem me conhece um pouco sabe muito bem, sempre me agradou a idéia do que aconteceu em Cuba: dar uma banana bem dada a um bando de gringos chupins, e mostrar que dá pra ter alfabetização, dentes na boca, boa música, atletas decentes e vacinas de ponta sem dizer amém para o império (com i minúsculo mesmo). Viver lá não tem sido fácil, eu sei. Cansei de ouvir da Rosabel as histórias (que até ela mesma protagonizou), de malas cheias dos confortos mínimos da "vida moderna", como sabonetes perfumados, abridores de lata, canetas hidrográficas e videocassetes, que cada cubano carregava ao voltar pra Cuba. Mas também ouvi de todos os cubanos que conheci, sempre sadios e divertidíssimos, a história de seu povo e de seu país de cabo a rabo, contada com um sentimento de orgulho e propriedade que me faziam passar vergonha. Isso sem falar no quanto sabem do mundo, das atualidades, de tudo que acontece por aí.

Queria estar errado, mas acho que Cuba não vai resistir. Eles vivem a poucos quilômetros do maior playground do mundo, que os sacaneia com suas dezenas de emissoras de rádio e tv de antenas voltadas para a ilha, enchendo a cabeça da meninada com os afetados da MTV e os "60 minutes" narrando histórias comoventes de cubanos molóides que não agüentaram o repuxo e correram pra abraçar o Mickey. Os jovens cubanos de hoje não são mais os filhos da revolução, mas os netos. Uma coisa é ouvir da boca do seu pai as coisas que ele viveu. Outra é a história ser contada por sua avó. Uma coisa é ter visto um país com 25% de analfabetos erradicar o problema em vinte anos. Outra é ter nascido numa ilha onde não existem analfabetos. Não sei até onde ou até quando La Revolución poderá estender seus braços, mas algo me diz que bugigangas eletrônicas, grifes famosas e lucro desonesto têm poder de sedução um pouco maior. Travestido de "democracia", o velho, moribundo e asqueroso modelo econômico dominante entoa o seu canto de sereia para os netos mais incautos da revolução.

É mais do que compreensível que Cuba tenha enfurecido os Estados Unidos e o resto da corja dominante dos países "emergentes" (sempre penso num vaso sanitário...), como uma praga a ser dizimada a todo custo. Alguém já parou pra pensar por que motivo uma potência econômica descomunal como os EUA sempre estiveram tão interessados em embargar por mais de 50 anos uma ilhota perdida no Caribe? Por que aquela meia-dúzia de ilhéus socialistas causa comoção quando vira assunto no domingão regado a uísque 12 anos? É simples: Fidel e o povo de Cuba apontam o dedo na cara do mundo e mostram que É POSSÍVEL construir uma sociedade em outras bases. Um país sem território, sem indústria, sem riquezas minerais pode, com decência e determinação, enfrentar por mais de meio século um embargo econômico covarde e mostrar excelência em áreas vitais como a saúde pública e a educação. Fico imaginando o que Cuba seria hoje, se o mundo capitalista não tivesse se rebaixado e se humilhado perante os EUA, e tivessem permitido aos cubanos o livre acesso a combustíveis, insumos e outras trocas comerciais e culturais estratégicas...

Torço muito para que os cubanos consigam preservar suas principais instituições. Seus princípios de educação e saúde públicas, de prevalência das grandes questões sociais sobre as particulares, da valorização incondicional de sua História. Torço para que sejam hábeis o bastante para não vender por um punhado de dólares um sonho tão duramente construído. Que sigam sempre como um sinal luminoso de que uma outra sociedade é possível, com menos neon e mais escola, menos celebridades e mais saúde."

Maria José disse...

Mais ou menos como escreveu Alon em seu blog:
"A direita vive a falar mal dos nossos heróis porque não tem como falar bem dos heróis dela própria. O financista que, graças aos juros escorchantes, remove da formação social as manchas de atraso representadas pela pequena propriedade ineficaz. O grande sonegador de impostos que drena as arcas do Tesouro e, com isso, evita a concentração de recursos da sociedade nas mãos de um estado ineficiente -para que, com mais dinheiro no bolso, a sociedade possa criar ela própria a riqueza que vai proporcionar um mundo melhor para todos. O ricaço dono de imóveis que despeja o modesto inquilino por falta de pagamento e, assim, ajuda a consolidar a regra de que contratos são feitos para serem cumpridos, de que a segurança jurídica é um valor universal. O executivo de sucesso que promove um downsizing capaz de levar a empresa a patamares inimagináveis de produtividade. Quem se candidata a fazer um filme com tais personagens como heróis? Ninguém. Esse pessoal só é herói em revistas de negócios. Em nenhum outro lugar."

Miguel disse...

Muito bom o texto, mas as farcs são um bando de bandidos mesmo, pois praticar sequestro de gente inocente e traficar drogas são crimes idiondos e inaceitaveis.

André Lux disse...

Interessante o comentário do Miguel. As FARC são "um bando de bandidos" porque sequestram e traficam drogas. Mas ele não faz nenhuma referência ao Uribe, que também é (comprovadamente) ligado a traficantes do peso de Pablo Escobar e a milícias de direita que matam inocentes... Por que será, não? Sempre dois pesos e duas medidas.

miguel disse...

Claro andré, Alvaro Uribe é um canalha, mas querendo ou não ele foi eleito democraticamente, seus metodos são inaceitaveis, mas não se compara a dor que os sequestros que as farcs promovem, se eles querem reivindicar direitos, que façam legalmente, criando um partido politico, como já disse o presidente Lula em uma ocasião.Mas traficar drogas e armas e sequestrar pesssoas inocentes não é coisa de revolucionário, é coisa de bandido mesmo, e isso só vai alimentar a sede de sangue dos governos da colombia e do eua, isso só prejudicar a america latina.

Carlos disse...

Engraçado, no final do texto, o andré citou nomes de pessoas que ele admira, e do lado da direita colocou nomes de canalhas, mas se esqueceu de mencionar do lado esquerdista, mao, pol-pot, stalin,e a familia que governa a coreia do norte com mãos de ferro, vc quer dizer que quem disser que é de direita, tem de admirar fascinoras como bornhausen e hitler?isso é covardia de sua parte

André Lux disse...

Miguel, obviamente você não deve lembrar das denúncias de fraude nas eleições da Colômbia. E também não deve saber que as FARC já abandonaram a luta armada, criaram um partido político em 1984, depois de firmarem um acordo com o governo de direita do país. Só que, logo depois das eleições (onde eles chegaram a eleger oito congressistas, 11 prefeitos e 13 deputados regionais) seus militantes forma perseguidos e ASSASSINADOS, culminando na morte de cerca de 4 mil pessoas.

Pois é... isso é o que dá confiar nas informações que a mídia corporativa vende como "verdade única".

André Lux disse...

Carlos, não considero figuras como Stalin, Mao e Pol-Pot como governantes de esquerda. Eles podiam dizer que eram de esquerda (para deleite da direita que usava isso para denegrir a luta das esquerdas), mas eram tão fascistas quanto os outros ditadores.

Só não coloquei o nome deles ao lado dos de Hitler, Bornhausen e seus outros ídolos para não confundir a cabeça das pessoas, embora no fundo sejam tudo farinha do mesmo saco - e não é à toa, portanto, que foram derrubados pela sua própria população ou só conseguem manter seus regimes com mão de ferro.

Entendeu?

Anônimo disse...

"Vamos ver se alguém se manifesta de forma coerente, sem apelar para os velhos clichés do anti-esquerdismo midiático de sempre..."

Um momento.......e você usou o que nesse seu texto? Perguntas coerentes? Que nada!! São todas clichês da esquerda. Faça perguntas mais inteligentes e não essa baboseira toda.

Carlos disse...

Com a mesma mão de ferro que fidel mantem a ditadura em cuba?

André Lux disse...

Os dois últimos aí, não apenas vestiram a carapuça de manipulados pela mídia como também agiram como bons e velhos direitistas: atacaram ao invés de defender. Também, pudera, como é que o sujeito vai defender algum dos íncones da direita, não é mesmo? Melhor mesmo atacar (de preferência anonimamente)...

Aline Couto disse...

Dear André,

entendo e concordo com quase tudo o que você disse; quase tudo porque quando você diz:

"Têm coragem mesmo de se alinhar a gente como delegado Fleury, coronel Ubiratan, Mussolini, Hitler, Jorge Bornhausen, ACM, Garrastazu Médici, Pinochet, Bush Jr., Geisel, Carlos Lacerda, Uribe e outros figurões da extrema-direita, que faziam e fazem seu serviço covarde e sujo em nome da manutenção dos privilégios de meia-dúzia de podres de rico?"

A esmagadora maioria dessa casa grande e senzala, quer dizer, desse país, não tem sequer noção de estarem se alinhando à qualquer coisa, são simplesmente doutrinados, como vc mesmo disse. Não são seres dotados de capacidade de raciocínio...
A rede golpe, quer dizer, globo, raciocina por eles...

H.Pires disse...

Parabéns ao Andre Lux, excelente matéria. Inclusive com relação as respostas. Aqui sou aluno. Forte abraço.

Rodrigo disse...

Em entrevista exclusiva ao jornal A Verdade, James J. Brittain, sociólogo, ph.D. em sociologia com ênfase em economia política e professor assistente do Departamento de Sociologia da Acadia University, no Canadá, fala sobre as Farc-EP (sigla das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército do Povo), contando um pouco de sua história e esclarecendo vários mitos difundidos sobre a guerrilha. Brittain passou mais de cinco anos vivendo em meio às Farc-EP, participando de várias de suas atividades, conhecendo suas estruturas e entrevistando combatentes e camponeses residentes nas regiões sob domínio da insurgência. Parte dessa pesquisa, juntamente com uma extensa bibliografia, resultaram em seu livro Revolutionary social change in Colombia – the origins and direction of the Farc-EP, lançado em 2010, e que já é considerado referência básica no assunto.

http://averdade.org.br/2011/09/as-farc-nao-serao-e-nao-podem-ser-derrotadas/

Vale a pena ler.

Me decepcionei com esse post, André Lux, pois você passa a reproduzir algumas mentiras do PIG contra governos de esquerda ao compará-los com outros governos de direita, fazendo uma equiparação das ditaduras da burguesia (como o país onde vivemos, por exemplo) com as ditaduras do proletariado, o que é deveras simplista e fazer isso é tão manipulador quanto o que fazem aqueles você critica no blog.

Luiz disse...

Li coisas aqui que eu não via desde os anos 70... quando a maior parte das idéias aqui reproduzidas foram para o seu devido lugar...

Um elogio a "ditadura do proletariado" como a prolatada pelo assinante Rodrigo, enche meus olhos de saudades dos anos 70 quando podíamos ser inconseqüentes e acreditar nestas coisas...

André... eu vou adorar responder suas perguntas. Apesar de achar que elas se resumem a 3. Há uma coisa meio super -cubana.... poderia ser um pouco menos... Mas eu vou responder. Por hora passei por aqui para comentar a acusação de contra-revolucionário que o Rodrigo te fez.

Mao fez muito isto.... Pol Pot não se dava ao desfrute e Stalin, bem...Stalin era um demente e só. Mas eles tudo podiam... eram a Ditadura do Proletariado (nossa, senti agora um perfume de patchouli. Acho que vou colocar um vinil de Mercedes Sonsa)....

Luiz disse...

André Lux, vou ter que copiar seu primeiro parágrafo, devidamente "aspado"....

"Quando você se assume como sendo de "esquerda", isto significa, ao menos no meu caso, que você luta pelo paz, pelo humanismo, pela justiça social, pelos direitos iguais, pelo fim da exploração do homem pelo homem, pelo respeito às leis (desde que justas e igualitárias), pelo fim do racismo, do preconceito, da homofobia, do chauvinismo machista, do fanatismo (religioso e ideológico), entre outras coisas".

Este parágrafo me impressionou. É como se você retirasse as pessoas que não pensam como "os de esquerda" de toda e qualquer bandeira justa e nobre. Como se não pudessem partilhar de bons sentimentos e serem pessoas que batalham em prol da humanidade porque são...... DE DIREITA!!

Ora, então vejamos, da sua lista: Eu sou engajado (e ativamente engajado) em lutas pela paz, pela justiça social, pelo respeito as leis (sem "desde que..." porque isto é outro papo), pelo fim do racismo sob qualquer forma, tenho asco de qualquer forma de preconceito, acho homofobia doença a ser combatida na força da lei, sou pela luta das mulheres por seus direitos - todos eles, sou avesso a qualquer forma de fanatismo.

Pulei: humanismo (conceito largo demais a ser apoiado), exploração do homem pelo homem (conceito arcaico demais a ser explorado), direitos iguais (porque vc não explicou bem o que quis dizer com isto).

Mas eu sou um anti-esquerdista. Como posso partilhar das suas bandeiras?????

Acho que toda luta começa pequena antes de crescer e se tornar madura. Talvez fosse o caso de vc travar uma consigo mesmo em relação à sua bandeira: FANATISMO.

Me parece que esta divisão do mundo em esquerdistas e direitistas, além de cheirar a mofo, deixa as pessoas com este senso obtuso da verdade. Não é válido você puxar para "o seu lado" todas as bandeiras dignas e justas, deixando "para o nosso lado" todo o resto (isto para não cair na tentação do corolário... ou seja, se um esquerdista luta contra o racismo, um direitista é.... racista!!).

O problema da esquerda no Brasil é que ela padece de auto comprovação. Você - homem - explorou quantos homens esta semana? Ahh mas não sou eum quem explora.. o sistema é que me obriga. Não!!!! Assim é zona de conforto demais. A pessoa alega "sou de esquerda e sofro porque o sistema no meu país me obriga a levar uma vida de.... capitalista arrependido... mas SOU DE ESQUERDA".

Este é o discurso de 99,9999% dos "comunistas" que conheço. Claro que não é dito assim, com estas palavras. Mas ao analisarmos a ideologia x o modo de vida, é uma conclusão.

Pois bem (e até porque não sou liberal de direita que tem que se esconder de ninguém... nem entendi aquele outro post... como se nós estivéssemos em pela URSS staliniana e eu tivesse que ser um contra-revolucionário underground) que resolvi protestar aqui e dizer que as suas bandeiras, salvo vc me apresentar a nota fiscal, não lhes pertence.

Luiz disse...

E agora vou responder suas perguntas, tão somente pelo amor ao debate democrático (até porque você não fez perguntas, você fez ilações com pontos de interrogação no final. Mas vou fazer o meu melhor).

1) Vou fazer igual o imbecil do latifundiário Marcos Palmeira: Você já foi a Cuba??? Eu já. Cinco vezes, a trabalho. Já passei mais tempo na "ilha" que a maior 99% dos adoradores do regime de Castro. Eu tive oportunidade de conversar com muito cubanos que, infelizmente, não eram gente do povo. Acho muito bacana admirar a distância o "sucesso" do projeto Cubano, quando vc não é Cubano nem mora lá.

A falência do regime, sob o ponto de vista econômico é tão gritante que vou me esquivar. Mas a ausência de liberdade é pior. O povo vive em estado de letargia.... Sabe aquelas bandeiras que vc levantou no parágrafo de introdução? Eles não sabem do que se trata. Não estou contando o que me contaram pessoas daqui... não estou replicando o que foi dito na mídia mundo afora. Eu posso te relatar as dificuldades diárias deste povo que sofre uma ditadura falida...

Este é meu problema com Cuba. Eu conheço, eu vi. Nunca fui ao Kuwait nem a Arábia Saudita. Mas sei que as teocracias podem ser piores e mais perversas que os regimes totalitários que não envolvem religião.

Sou um democrata!! (ver abaixo a reposta sobre Chavez). Tenho verdadeiro horror a qualquer totalitarismo (ver abaixo a resposta sobre o golpe de 64). Assim sendo condeno, com distância maior por desconhecimento de causa in loco, as ditaduras islâmicas e condendo de perto a ditadura Cubana.

Muito me estranhou você ter retirado desta lista o Irã. Por que? A ditadura de lá é aceitável? É estranho que as pessoas tolerem "algumas" ditaduras e se declarem "progressista e libertários", como vc mesmo se intitulou.

2) Julgados e condenados (podia pular o juridicamente né?) por CRIMES POLÍTICOS NA MAIOR PARTE DAS VEZES (na enorme parte das vezes) condenados por tribunais do próprio regime que estão lá para condenar as vozes discordantes à morte!!! Defender isto e lutar pela paz é de uma incoerência absurda!!!!!! Desculpe. Não consegui entender o que você quis dizer na comparação com os Estados Unidos. Sou contra a pena de morte. Mas comparar as duas coisas é insano.... Minha indignação nada tem de seletiva. Sou contra a pena de morte mas consigo entender sua aplicação em casos extremos de crimes hediondos... Mas eu não coloco "crimes políticos" na mesma toada dos crimes hedidondos que são punidos com pena de morte em alguns Estados nos EUA.


Vou ter que dividir minha resposta em duas....

Luiz disse...

3) Você já respondeu para mim.... "mesmo sabendo que ele foi ELEITO por voto democrático pela maioria absoluta de seu país por nada menos que três vezes, sendo aprovado inclusive em um plebiscito no meio do primeiro mandato?"

Minha resposta está aí no meio. Você me parece uma pessoa inteligente. Seja razoável.... Chavez que em sua origem é um golpista (NÓS não gostamos deles, certo?) manteve-se no poder a custa de uma inversão constitucional no país, que levou a Venezuela a uma situação econômica nunca antes vivida, sem qualquer indício de melhora nas condições de vida da população (opa! outra bandeira NOSSA).

Chavez é um ditador a moda do século XXI. Se perpetua no poder através de consultas populares e estupro constitucional. Não conta. Chavez é sacanagem, perco meu tempo com ele não. Acho que é um menino maluquinho perigoso.

4) Musharraf e Chavez são farinha do mesmo saco (de novo com um ponto negativo para a teocracia paquistanesa - disfarçada). O mais impressionante é vc livrar a cara do Chavez e querer a punição do outro. Cara de um focinho do outro. Eu acho os dois abomináveis.

Luiz disse...

5) Bom, eu vou pular a cinco e o faço em homenagem a você. Acho tenso você nos perguntar porque odiamos as FARC e em seguida apresentar, você mesmo, uma excelente razão para que VOCÊ SE UNISSE A NÓS EM UMA SÓ VOZ PARA DIZER QUE ALÉM DE BANDIDOS E TRAFICANTES DE DROGAS ELES SÃO DESUMANOS EM SUAS CONDUTAS. São assassinos, gente que entregou sua vida a bandidagem... aquilo sequer tem cheirinho de ideologia.

o resto do meu texto se perdeu..... e eu nao tinha salvo... me deu preguiça de redigitar.... qq dia continuo

André Lux disse...

Meu texto pegou fundo, hein Luiz? Bom, gosto disso. Já é meio caminho andado.

Luiz disse...

Sem desmerecer seu texto... eu diria que eu sou um amante do debate... ele não pegou fundo... apenas levantou questões.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...