Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Nova Seção: LEITURA RECOMENDADA

.
Inauguro hoje em meu blog a seção "Leitura Recomendada" apresentando um texto escrito pelo meu amigo Ricardo Melo, geógrafo e escritor, que recomenda alguns livros que merecem a sua atenção. Não deixem de ler até o final, pois vale a pena!

Dos quatro livros que ele destaca, eu li apenas "Confissões de um Assassino Econômico" e posso dizer com tranquilidade que é excelente. Leitura obrigatória para quem quer conhecer como funcionan as engrenagens ocultas do capitalismo selvagem. Boa leitura!

- André Lux

LEITURA RECOMENDADA

“O Ministério da Saúde adverte: a absorção sem critérios da produção da mídia dominante pode causar sérios danos cognitivos, físicos e até na alma do consumidor”.

- Por Ricardo Mello, geógrafo e escritor.

A saúde do consumidor de informação no Brasil é um problema sério, mas que poderia ser solucionado com uma profunda mudança de “hábitos alimentares da alma”. A advertência do início do texto poderia ser impressa na primeira página de várias publicações nacionais, a maioria das quais eu nem pretendo citar o nome por uma questão de ética e estética.

Mas enquanto estou divagando aqui, vamos pensar nos milhares de vítimas da indigestão midiática que assola o Brasil, um caso aparentemente sem solução. Na verdade, existe uma solução. Existem inúmeras obras que, uma vez assimiladas, mesmo por um contumaz consumidor de junk-midia,têm o poder de causar evidentes benefícios aos seus complexos cognitivos.

É a partir desse escopo que eu gostaria de recomendar um pequeno Cardápio Literário. São apenas 4 obras que constituem uma “refeição intelectual”, capaz de instilar no mais contumaz consumidor da mídia brasileira alguns questionamentos fundamentais, como:

- O que é bom para os EUA é realmente bom para o Brasil?
- O FHC é realmente o gênio da "raça"?
- A liberação da “mão mágica do Mercado” é realmente uma ação segura para o meu bolso?

O cardápio a seguir não pode ser considerado um milagre. Mas podemos considerar que a sua leitura pode, conforme demonstra ampla literatura a respeito, causar benefícios até mesmo em indivíduos portadores de evidente atrofiamento das regiões cerebrais relacionadas à memória e ao questionamento da realidade. Vamos então ao dito cardápio!

Aperitivo.
Eu começaria com um livro pequeno, de bolso mesmo, mas que já vai direto ao ponto: "O que o Tio Sam realmente quer", de Noam Chomsky. É uma obra concisa do famoso lingüista e pesquisador do nada menos que MIT - Massachussets Institute of Technology.

Apesar de pequeno e facilmente digerível, vai fundo na análise do planejamento estratégico dos EUA nas relações internacionais: terrorismo internacional, intervenção política e contenção econômica. Tudo com um grande destaque para a América Latina. Tudo embasado em farto material pesquisado em Washington, obtido de agências e secretarias de Estado.

A edição que eu encontrei foi editada pela UNB. Mas uma “amostra grátis” pode ser saboreada em arquivo pdf neste link.

Prato Principal.
E aí, tomou gosto pelo assunto? Agora quer ver mesmo "the real thing"? Se o primeiro livro realmente abriu o seu apetite, você pode ficar muito contente pois "Formação do Império Americano - da guerra contra a Espanha à guerra no Iraque" vai responder a todas "as dúvidas que você tinha a respeito do imperialismo estadunidense e tinha medo de perguntar". É porrada mesmo, cara (disso, eles entendem). O livro também é uma porrada, são 851 páginas com um pouco de quase tudo sobre os EUA e as suas conseqüências para o mundo: colonização, independência, guerra da secessão, expansão desde o século XIX até hoje.

É um material super atual, chegando até as Torres Gêmeas e a Guerra do Iraque. Tudo está lá: Destino Manifesto, Doutrina Monroe, Big Stick ("carregue um grande porrete, fale macio e irá longe"), todas as "operações encobertas" que desestabilizaram e manipularam os governos do mundo, principalmente da coitada da América Latina, as operações "abertas" de invasões, etc.

Quer mais? Tentativa de golpe contra o Chavez da Venezuela, tudo sobre a ALCA, o cercamento da América do Sul e da Amazônia com bases militares e aeroportos, o escambau... Grande destaque também para o chamado complexo industrial-militar, que, vide Bush, dá as cartas das Relações Internacionais da atualidade.

O autor é brasileiro, um monstro intelectual cuja família teve um grande destaque na diplomacia brasileira. Ele mesmo, Luiz Alberto Moniz Bandeira,tem títulos mundo afora (governo da Alemanha, da Argentina). Washington não quer saber dele, não sei porquê.

Se achar que é muita coisa, não se impressione. O livro é cronológico, então, se você preferir ler os períodos e fatos que mais interessar, no final vai acabar tomando gosto pela coisa e assimilando todo o resto, pode acreditar.

Bom, aí vão os dados do livro: "Formação do Império Americano - da guerra contra a Espanha à guerra no Iraque", Luiz Alberto Muniz Bandeira, Civilização Brasileira. (Compre neste link).

Sobremesa.
"A Melhor Democracia que o Dinheiro Pode Comprar". Esse é demais, o autor entrega toda a cambada que gerou o neoliberalismo nos EUA, a tal da sacana "nova economia" e o modo como um grupelho se apoderou do Estado norte-americano, decidindo algumas coisas básicas: quem vai ser o presidente, qual vai ser a empresa de água e luz, quem vai ser o dono dessas empresas, o modelo de gestão delas (preços altíssimos, serviços precários), etc. E as indústrias de armamento, as produtoras de petróleo? Essas não ficam desamparadas, muito pelo contrário.

Embora oficialmente o EUA sejam um país “livre”, com “liberdade de opinião”, o autor do livro não é mais publicado lá. Ele simplesmente foi censurado na grande imprensa, os seus artigos sumiram de lá, do mesmo modo como os desafetos de Stalin sumiam das fotos oficiais...

Esse autor, o Greg Palast, tem um estilo muito bom: irônico, completamente sarcástico, mas não se engane, o cara é muito sério. Tudo o que ele fala é baseado em documentações reais, relatos verdadeiramente escandalosos. O cara escreve atualmente para jornais do Reino Unido, como The Guardian, Obsever, etc.

Um "chegado" dele é nada mais nada menos do que "Joseph Stiglitz", ex-diretor do Banco Mundial, que botou a boca no trombone, ou melhor, contou que a verdadeira intenção do Banco Mundial era endividar, comprometer, quebrar as economias do Terceiro Mundo. Com o país quebrado, chegava a "galera" do FMI/BIRD oferecendo bilhões se esses países adotassem o seu receituário: mais recessão, quebra dos sindicatos de trabalhadores, privatização das empresas públicas. E quem iria comprar essas empresas públicas? A pequena "galera", a mesma que tem eleito presidentes dos EUA...

Se isso tudo lhe parecer familiar, tem um capítulo sobre a reeleição do FHC.

Aí vão os dados: "A Melhor Democracia que o Dinheiro Pode Comprar", Greg Palast, W11 Editores. (Compre neste link).

Cafezinho.
"Confissões de Um Assassino Econômico". John Perkins, no decorrer de sua vida profissional, se especializou em uma tarefa: oferecer serviços financeiros a países do Terceiro Mundo, com planos muito bem elaborados visando à construção da infra-estrutura necessária para o seu desenvolvimento e independência econômica. Bonito, não?

Agora, falando sério. Ele superestimava tudo, desde os custos até o lucro que esses empreendimentos iriam dar, fazendo com que o valor do empréstimo ficasse muito maior do que a real capacidade de pagá-lo. Com o país endividado, aí ele (o país) ficava comprometido, deixava de investir na sua população, os juros aumentavam. Depois viria o pessoal do FMI/BIRD para dar as suas "receitas" para recuperar a economia, já descritas acima.

John Perkins oferecia a grana e ficava ao mandatário do país a decisão de aceitá-la ou não. Mas ai do cara se não aceitasse...

Interessou? É um livro autobiográfico, pois o autor se arrependeu e botou a boca no mundo. Um detalhe importante é que ele atuava sob o manto de uma empresa privada norte-americana que, no entanto, seguia as orientações de organismos de Estado do seu país. É uma maneira inteligente de o Estado se fazer representado por empresas particulares no sentido de agir nos países pobres, quebrando e endividando-os.

Não é um livro de grande profundidade, é mais um testemunho pessoal que só corrobora algumas coisas melhor apresentadas nos livros anteriores.

Atualmente é um dos best-sellers dos EUA, é mole?

Dados do livro: Confissões de um Assassino Econômico. Autor: Perkins, John. Editora: Cultrix. (Compre neste link).
.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...