Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

terça-feira, 23 de outubro de 2007

A vingança dos homens de bem: Comentários confirmam fascismo de "Tropa de Elite"

.
Quando dizemos que "Tropa de Elite" errou feio em suas supostas boas intenções tem gente que discorda, dizendo que o filme não é fascista nem endossa as "soluções finais" usadas pelo BOPE para chacinar favelados.

Vejam abaixo dois comentários deixados por representantes dos manipulados pela mídia corporativa aqui no meu blog na crítica do filme e reflitam.

carlos disse...
eu acho que vc está exagerando, tropa de elite é só uma obra de ficção feita para divertir e passar o tempo, vc está querendo criar uma tempestade em copo d'água, eu não sou de classe média, muito menos playboy, mas nem por isso gosto de bandido, pois as vezes é o que parece que algumas pessoas pessam, que pobre tem que está do lado do bandido só porque a maioria dos bandidos tem origem pobre, bandido é bandido, rico ou pobre, tem que exterminar mesmo, talvez por isso algumas pessoas estão vendo cap. nascimento como um herói, pois os bandidos também não respeitam nossos direitos, porque ser bonzinho com eles? tem que botar pra quebrar mesmo.

miguel disse...
as pessoas apenas estão se sentindo 'vingadas' por tudo que acontece de ruim neste pais, especialmente pela impunidade que os bandidos tem, o cap. nascimento é uma especie de rambo que usa de todas as armas para combater o crime, pode não ser a melhor, mas alguém poderia sugerir outra? essa história que os bandidos são vitimas da situação social é pura cascata, pois se fosse por isso, o brasil teria uma imensa maioria de bandidos pois a maioria do brasil é pobre, eu mesmo só da classe baixa da população, as poucas coisas que consegui são frutos do meu trabalho, bandido tem que ser tratado como bandido mesmo, direitos humanos para humanos direitos.

Reparem que ambos são categóricos em afirmar que bandidos têm que ser exterminados sumariamente, sem direito a qualquer tipo de julgamento. O que nos leva à pergunta: o que é "ser bandido" para essas pessoas? Bandido é todo mundo que desrespeita as leis, sejam elas quais forem? Ou são apenas os pobres que desrespeitam as leis?

Tenho certeza eu eles vão responder a primeira opção: bandido é todo aquele que desrespeita as leis. Faço então algumas perguntinhas aos dois direitistas, adeptdos do "prendo e arrebento". Já que todo bandido deve ser sumariamente exterminado, o que vocês achariam se:

1) Um amigo ou primo de vocês fosse pego dirigindo bêbado depois de uma balada forte no sábado? Dirigir embriagado é contra a lei. Deveriam, portanto, os dois serem exterminados ali mesmo no carro deles?

2) Sabe aquele parente seu que adora "molhar a mão" do guarda de trânsito para escapar da multa? Então, suborno é contra a lei. Tudo bem o policial metralhar esse criminoso no acostamento da estrada após a tentativa de suborno?

3) Lembra da empregada doméstica que limpa o chão da sua casa todos os dias? Você sabe se ela tem registro em carteira para fazer essa função? Se não tem, então seu empregador está fora da lei. Tudo bem a gente mandar o capitão Nascimento e sua gangue passar fogo em todo mundo aí na sua residência?

4) Estudantes de Direito gostam de brincar de sair de restaurantes sem pagar a conta. Isso é contra a lei. Se o dono do estabelecimento chamar um policial e ele chacinar todos os estudantes na porta com tiros na cabeça, vocês bateriam palmas também?

5) Na hora de declarar o Imposto de Renda, seu pai esqueceu de listar alguns ítens. Que tal, ao invés de receber um aviso da Receita Federal com direito de se defender, receber a visita do capitão Nascimento com a escopeta pronta para dar um tira na cara dele? Ué, bandido é bandido e sonegar o Imposto de Renda é crime...

A questão é uma só: ou a lei e os direitos humanos valem para todos ou não valem para ninguém. Se não valem para os "bandidos" favelados, então não devem valer para o resto da sociedade. Aí vamos voltar à época do bangue-bangue. Se você me olhar torto e eu não gostar, puxo minha arma, te mato e pronto - igual fazem aqueles playboys na praia quando alguém olha para a namoradinha deles.

E dizer que a maiorida dos bandidos é de origem humilde é uma aberração. Só se forem os bandidos pequenos, porque os maiores bandidos do mundo usam terno e gravata e andam de mercedão, como todo mundo sabe.

Se eu fosse o diretor José Padilha tentaria o suicidio depois de ver o tipo de reação deplorável que meu filme está provocando nas pessoas as quais, supostamente, deveriam se sensibilizar com a horrível realidade mostrada nas telas...

Quando assistia "Tropa de Elite" procurei, como sempre faço, ver o filme como qualquer outro espectador, deixando ele me levar, independente da minha ideologia política e de preconceitos.

E, infelizmente, a construção narrativa adotada pelo diretor me levou a "torcer" para que o esquema de vingança do capitão Nascimento tivesse sucesso. O fato dele estar torturando e matando friamente e acima da lei ficou em segundo plano ali no calor dos fatos narrados. O que importava era ver ele e seus amigos vingando a morte do parceiro e matando os vilões monstruosos da favela.

Ao adotar esse tipo de construção estética pobre e maniqueísta, "Tropa de Elite" não fica muito diferente de um filme como "Rambo II" e similares. O fato de eu achar tudo isso repugnante tem a ver com minha ideologia política, mas é fato que os manipulados pela mídia de direita e os fascistas (enrustidos ou não) estão todos torcendo pelo Nascimento e sua gangue de policiais - vide os comentários acima. E isso é grave.

É por isso que eu acho que o diretor falhou em suas pretensões. E falhou feio. E estão aí a Veja e o Luciano Huck batendo palmas para o filme...
.

20 comentários:

George Pedrosa disse...

Essa de "direitos humanos para humanos direitos" é o argumento mais rídiculo, imbecilóide, irritante e infantil que já vi na minha vida. Quem vai julgar quem é um "humano direito"? Ou é direitos humanos para todos, ou para ninguém... povinho infantil...

srta.pepper disse...

para mim o filme foi muito bom por dois motivos:
1º que sempre houve problema nas favelas.A situação do tráfico e a ''guerra'' entre polica e traficante não é de hoje e suas raízes bem mais profundas, mas o governo resolve interfirir quando lhe convém.Ou seja, no caso do filme a visita de nossa ex- ilustríssima santidade (auqela merda de Papa).
2º que a melhor maneira que ele viu para cessar a guerra garantir o ''o sono do Papa'' (veja bem a interferência é temporária ,assim como a preocupação)foi convocando o esquadrão do BOPE pra matar geral.
Ou seja,a situação lá caótica pra caralho e só se preocupam porque o papa resolve vir aqui e resolve o problema com um genocídiozinho básico!!
Se essa foi uma crítica do Padilha,ele poderia ter deixado essa crítica mais clara.

miguel disse...

andré, gostei de vc ter respondido minha opinião, isso mostra que vc é democratico. Ao contrário do que vc pode pensar, eu não sou de classe média alta, sou um estudante que luto o dia a dia, para ver se consigo melhorar de vida, mas vc não respondeu a minha perguta, qual a solução para combater a violência? eu só não gosto quando algumas pessoas insistem em dizer que bandidos são frutos de ambiente onde vivem, isso é irresponsavél,todo mundo tem uma escolha na vida, ou o lado do crime ou o lado do trabalho, felizmente a maioria do povo brasileiro escolhe a segunda opção, a maioria dos brasileiros acorda cedo, pega onibus lotado, aguenta chefe chato, mas dormem tranquilos e orgulhosos de conseguirem as coisas do o próprio esforço vc não acha? no filme o cap. nascimento tortura uma mulher para consegui informação, mas cara, ela é esposa de um traficante, caramba isso é no minimo cumplicidade, a tortura claro que não é o melhor caminho, claro que não. Mas a maioria dos traficantes tem armamento pesado, não nenhum respeito pela vida humana, matam jovens, crianças, idosos, e não pagam pelos seus crimes, chega uma que a gente não aguenta mais. Ou vc acha que se um bandido for assaltar vc ou um amigo seu, ele vai pergutar se vc é playboy? ele quer é te roubar, e olhe lá. Vc tem que entender uma coisa, quando eu falei 'tem exterminar mesmo' eu acho que exagerei na dose, mas é vc tem que admitir, que as vezes a violência cansa, quando eu vejo nas manchetes os crimes que esses bandidos cometem eu não quero nem saber se os bandidos são ricos ou pobres, eu quero mais é que eles sejam punidos, desde aquele promotor assassino até os monstros que mataram o menino joão hélio, tem punir mesmo, qual a punição que vc aplicaria nesses dois casos? valeu pela resposta até mais, esta discussão é muito boa.

André Lux disse...

Miguel, eu começaria liberando e legalizando as drogas. Quer fumar maconha? Quer cheirar cocaína? Então vai até a farmácia ou ao supermercado e compra. Assim, quem fabrica e comercializa a droga paga imposto, gera emprego com carteira assinada, obtém certificado ISO 9000 de qualidade... Igualzinho quem produz e vende bebidas alcóolicas e cigarro, drogas que fazem mal igual as outras, certo?

Isso com certeza já acabaria com o tráfico de drogas, que é o grande responsável pela violência atual nas metrópoles.

Agora, por que não liberam as drogas? Porque tem muito "figurão" por aí lucrando horrores com isso tudo, pois não paga imposto e conta com um trabalho quase escravo (quando não totalmente) e com a certeza de que os jovens de classe média alta vão continuar consumindo - ainda mais que, por ser proibido, atiça a vontade de contrariar as leis, típica dos adolescentes.

Sobre a maioria da população ser honesta e trabalhadora, concordo plenamente com você. O problema é que o capitão Nascimento não é um herói, ele é um bandido tão ou mais cruel do que aqueles que diz combater. E, pior, ele só extermina "bandidos" pobres, enquanto ignora os ricos e os próprios corruptos da polícia.

Nós vimos o resultado da ação do BOPE na favela da Coréia semana passada. Dezenas de "suspeitos" metralhados e uma criança de 4 anos morta. Seguindo o que você falou da mulher do Baiano, chegamos a conclusão que eram todos bandidos, então mereceram morrer. Será mesmo?

Eu fiz várias perguntas no meu texto. Como você responderia elas? Faço mais uma: e se um dia seu irmão (ou outro parente próximo) for pego vendendo drogas? Tudo bem a polícia entrar na sua casa e te torturar até você contar alguma coisa sobre ele? Não? Ué, mas ele é seu irmão, então no mínimo você estava sendo cúmplice dele, certo?

Analise bem essa lógica que você usa. Ela pode se voltar contra você... Se invadir favelas e exterminar "suspeitos" service para alguma coisa, o Brasil já estaria livre da violência. Afinal, os caras já vêm fazendo isso há décadas, não é mesmo? E o efeito é contrário: a violência só gera mais violência!

Ariadne Carvalho disse...

Oi André,
Não fiz a postagem na Fórum para defender o filme ou a imagem do Cap Nascimento!

Fiquei indignada em ter o Tropa de elite comparado ao Batismo de sangue...

Convenhamos...
A discussão criada na revista era se o filme não "ensinaria adolescentes a práticas de tortura" !!!

" Ela(Cecília Coimbra) se diz preocupada com a reação de jovens, como os que se apresentam em vídeos na internet reproduzindo os métodos do Capitão Nascimento."

Tenha a santa paciencia!
Não vamos ser tão razos...

Como diz minha amiga Manu:
"O combate à impunidade este é o cerne do debate suscitado pelo filme, e este é o nosso verdadeiro desafio."

Aqui cito um trecho dum artigo que recebi por e-mail:
"Os protestos contra a violência retratados no filme são performances no estilo "viva rico", em que a burguesia e a pequena-burguesia vão para a orla pedir paz, como se fosse possível acabar com a violência com velas e roupas brancas, ou seja, como se tratasse de um problema moral ou cultural e não social.

A burguesia passa incólume pelo filme, a não ser pela caricatura de seus filhos que, na Faculdade, fumam um baseado e discutem Foucault. Um personagem chamado "Baiano" (sutil preconceito) é a personificação do tráfico de drogas e de armas, como se não passasse de um desses meninos pobres, apenas mais espertos que os outros, que se fazem "Chefe do Morro" e que não chegam aos trinta anos de idade, simples varejistas de drogas e armas, produtos dos mais rentáveis do capitalismo contemporâneo. Nenhuma menção a como as drogas e armas chegam às comunidades, distribuídas pelos grandes traficantes capitalistas, sempre impunes, longe das balas achadas e perdidas.E ainda responsabilizam os consumidores pela existência do tráfico de drogas, como se o sistema não tivesse nada a ver com isso!A grande sacada do filme é que o personagem ideológico principal não é o artista principal. Este, branco, é o que mais mata. Ironicamente, chama-se Nascimento. É um tipo patológico, messiânico, sanguinário, que manda um colega matar enquanto fala ao celular com a mulher sobre o nascimento do filho."

Temos que modificar sim o sistema.

Se não reagirmos, daqui a pouco a classe média vai para as ruas pedir mais BOPE e menos direitos humanos e, de novo, fazer o jogo da burguesia, que quer exterminar os pobres, que só criam problemas e ainda por cima não contam na sociedade de consumo.
Abraços,

Ariadne Carvalho

Meu e-mail: ariadne_ade@yahoo.com.br

Anônimo disse...

Ariadne, depois de exterminado o último favelado, quem seriam os próximos da lista senão nós da classe mérdia?

Andreis disse...

Olá André Lux. Quero dizer que admiro seu blog bem como seus posts em outros blogs, como, acho, o PHA. Você é um ótimo defensor da esquerda e excelente rebatedor. Com relação à essas declarações que transmitem uma certa tolerância com intolerância e com "os meios justificam os fins", acho que, no fundo, é uma primeira reação que, como você mesmo disse, é orientada pelo narrador. O que é preciso é mais espaço para a discução de temas assim. Um filme como esse, posto em exibição num momento como o atual do Brasil, certamente há de provocar tais reações. O que precisamos, como sociedade politizada, é amadurecer.

André Lux disse...

Concordo com você, Andreis. O filme ao menos está provocando um debate importante, mesmo que seja pelos motivos errados...

miguel disse...

andré desculpe pela demora, mas vc também não me respondeu que punição vc acha que aquele promotor assasssino e os monstros que mataram o joão helio merecem. Com certeza o capitão Nascimento não é nenhum herói, mas algumas pessoas, inclusive eu, estão cansadas, extressadas com a violência do dia, e quando vimos o capitão nascimento pegando pesado com os bandidos, apenas extravasamos nossos medos, com certeza eu gostoria de ver o capitão nascimento dando uma lição naquele promotor assassino e naqueles vermes que matarão a criança joão hélio, vc não?

André Lux disse...

Não, Miguel. O lugar do capitão Nascimento é atrás das grades, assim como qualquer outra pessoa que desrespeita as leis - seja o promotor assassino ou os ladrões que causaram a morte do menino. E desde que julgados e condenados pela justiça.

Violência só gera mais violência. Se chacinar "bandidos" (favelados) fosse a solução para o problema da violência urbana, o Brasil seria hoje o país mais pacífico do mundo.

Essa "solução final" que muitos defendem (vista no "Tropa de Elite") apenas agrava ainda mais a situação, como podemos comprovar há anos.

miguel disse...

mas vc sabe andré, que aqui no brasil, a justiça não funciona, dificilmente aquele promotor assassino irá para a prisão, e aqueles animais que mataram o menino joão hélio, não passaram mais de 10 anos atrás das, aquele animal que é menor de idade, não vai passar nem 3 anos atrás das grades, vc acha isso justo?Infelizmente o capitão Nascimento virou heroi por causa da falencia de nossa justiça.

André Lux disse...

Tudo isso está falido porque foi criado e administrado pelos "cidadãos de bem" que estiveram no poder desde que o Brasil foi invadido por Cabral.

Os mesmo que vivem sob a filosofia do "para os amigos tudo, para os indiferentes a lei e para os inimigos a barbárie". Os mesmos que hoje pregam a solução final para resolver a situação caótica que deixaram o país. Os mesmos que ficam ricos graças à corrupção enquanto vomitam discursinhos moralistas hipócritas.

O capitão Nascimento, que arrebenta favelados suspeitos enquanto fecha os olhos para a corrupção dos políticos e dos policiais, é realmente o herói deles... e de quem se deixa manipular pela mídia que eles controlam.

miguel disse...

vc ainda não respondeu qual a punição que aquele promotor assassino e os vermes que mataram violentamente o garoto joão helio merecem, qual punição vc aplicaria, vc acha justo aquele verme que é menor de idade ficar apenas 3 (no máximo) atrás das grades, vc acha que uma sociedade tem que dá uma segunda chance para um animal daquele?

André Lux disse...

Miguel, não acredito na filosofia do "olho por olho, dente por dente" que imperava no tempo em que os homens viviam em cavernas.

Um país que possui um abismo social absurdo como o nosso só pode mesmo gerar pessoas e situações que levam à barbárie. E esse abismo foi criado por essa elite que mandou aqui desde que Cabral aportou e agora faz-se de indignada e "cansada".

Aumentar a punição ou a violência não traz nenhum resultado. Pelo contrário, apenas piora tudo. Acho que todo mundo merece uma segunda chance, desde que passe por algum processo efetivo de ressocialização. Simplesmente jogar os caras numa prisão, verdadeiras "escolas do crime" também não vai adiantar nada...

miguel disse...

então as familias das vitimas da violência que se danem não é? vc acha que a os pais do jovem assassinado por aquele promotor ou os pais do menino joão hélio e todos os pais de vitimas destes malditos traficantes, sequestradores e assassinos, algum dia vão conseguir viver em paz? vc está indiretamente protegendo estes assassinos, que nos ameaçam e tornam nossa vida um inferno, vc dizer que aumentar a punição não adianta é de uma tremenda falta de bom senso, eu só queria ver se fosse com vc ou com algum conhecido seu, que sofre-se alguma viôlência desses animais que se dizem 'vitimas do sistema', eu só queria ver se vc iria querer que um verme menor de idade ocasiona-se mal a algum amigo seu, se vc iria querer que ele ficasse apenas 3 anos atrás das grades.

André Lux disse...

Meu caro, qualquer que seja a punição dada aos criminosos ela não vai trazer de volta os entes queridos mortos. Em vez de se preocupar em arrumar novos estilos de vingança, deveríamos tentar melhorar a vida de todas pessoas, para que a violência causada pelas desigualdades sociais diminuam.

De que adianta endurecer as leis se existem milhões de brasileiros que vivem à margem da sociedade, sem direito a nada e, devido à isso, sem qualquer conhecimento das leis?

Veja o exemplo de Cuba. Lá quase não existe mais violência ou crimes. Por que aumentaram a repressão? Negativo. Porque lá erradicaram o analfabetismo, ninguém vive na miséria, todas as crianças vão à escola...

Esse negócio de achar que tudo tem que ser resolvido na porrada, no tiro e no "olho por olho" é coisa de fascista, de quem lê e se deixa manipular pelas Vejas da vida, de quem vê um criminoso como o capt. Nascimento como um herói.

Em vez de ficar perdendo tempo pensando que loucura eu faria se alguém matasse um ente querido meu, prefiro lutar para construir uma sociedade mais justa e menos desigual.

miguel disse...

é realmente vc acaba de demonstrar que não está nem para a violência, as pessoas que se danem, e seja o que Deus quiser. Eu preferiria 10 Cap. Nascimento do que 10 fernandinho beira-mar, e a grande maioria das pessoas também, pois bandido não se combate com flores.
ou vc acha que a policia tem que subir o morro carregando vazios de flores, para atirar petalas nos bandidos?

André Lux disse...

Miguel, não se faça de desentendido. Por que a "violência" só se combate com policiais criminosos subindo o morro e matando "suspeitos" pobres? Por que eles não sobem também nos apartamentos de luxo para chacinar os criminosos do colarinho branco ou os playboys que praticam violências até piores do que a dos traficantes (como roubar bilhões dos cofres públicos ou colocar fogo em mendigos)?

Ou matam todos os criminosos ou não matam nenhum. Esse "dois pesos e duas medidas" que você e outros defendem é que dá nojo em qualquer pessoa consciente...

Sem falar que os capitães Nascimento já sobem os morros e matam os "suspeitos" favelados há décadas e a violência só vai aumentando. O próprio "Tropa de Elite" narra um fato ocorrido em 1997! Adiantou alguma coisa eles terem "limpado" a área? Ou só piorou?

miguel disse...

então porque vc não leva estes bandidos para sua casa? porque vc não entra em presidio dizendo que quer resocializar traficantes, sequestradores e assassinos? duvido que vc tivesse coragem. Eu queria ver se fosse policial e tivesse que subir o morro um dia, e vc fosse atacado por esse bando de animais, se vc não iria puxar a sua arma para se atirar.

Patrick disse...

André, cheguei tarde nesse debate, mas permita-me acrescentar duas informações relevantes. Primeiro, a lei que aliviou o réu primário não foi iniciativa de algum defensor dos direitos humanos. Pelo contrário, foi obra da ditadura militar para livrar a cara do Delegado Sérgio Fleury, condenado por homicídio em função de sua participação no esquadrão da morte. Referência: "Meu depoimento sobre o esquadrão da morte", de Hélio Bicudo. Segundo ponto: o código penal brasileiro não é da época de Getúlio Vargas. Esse erro pode ser justificável para leigos, mas para profissionais do direito é pura má-fé. A parte geral (a mais importante) do código penal foi completamente revogada e alterada em 1984, durante o governo de Figueiredo. Esse monte de regras que favorece a impunidade de quem tem condição financeira abastada é obra da ditadura militar, e não de "defensores de bandidos/direitos humanos". O maior amigo dos criminosos do colarinho branco é o Ministro queridinho da mídia, Marco Aurélio de Mello. Os bandidos/pretos/favelados nunca gozaram de impunidade: ou são mortos pelo bope ou - vide o caso da garota do Pará - são jogados às feras para serem seviciados diariamente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...