quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

Conheça a incrível origem do "Crítico-Spam"

O "crítico-spam" em ação!
Muita gente me escreve perguntando por que me autodenomino “Crítico-Spam”. É uma longa e aborrecida história. Embora eu tenha horror de falar de mim mesmo, vou tentar contá-la rapidamente para matar a curiosidade de quem me conheceu agora.

Tudo começou na época em que, como bom nerd assumido, mandava minhas opiniões sobre filmes para a minha lista de e-mails, a qual incluía única e exclusivamente amigos e conhecidos. Com o passar do tempo, essa lista foi aumentando já que muitos mandavam meus textos para pessoas de suas listas e alguns me respondiam pessoalmente. 

Não sei por qual motivo, foi incluído em minha lista de “spams” um profissional da opinião nordestino, cujo nome me foge à memória (e estou muito cansado para vasculhar a net à sua procura). Apesar de ser um tremendo de um PIMBA (Pseudo-Intelectual-Metido-a-Besta) o sujeito até que escrevia opiniões interessantes sobre a sétima arte. Todavia, tudo desandou quando denegriu a trilogia “O Senhor dos Anéis”. Até aí, vá lá, era só a opinião do cidadão.

O problema é que, em sua ânsia de trucidar a obra e seus apreciadores, incorreu em erros imperdoáveis para alguém que ganha a vida tecendo opiniões sobre o trabalho dos outros, tais como afirmar que a trilha musical da trilogia foi composta pela Enya, quando era do conhecimento do mundo mineral que o autor era Howard Shore, enquanto a cantora de soporíferas baladas new-age compôs apenas duas canções para o primeiro filme da trilogia.

Nerd atento e prestativo que era, logo enviei e-mails de protesto contra o deslize amador cometido pelo vendedor de opiniões. Pra que... o sujeito respondeu com violência, publicando em seu blog um texto infernal no qual me citava nominalmente, me tachando de “crítico-spam”, e insinuava que eu não passava de um fanático por Tolkien que vivia na Terra-Média e, concluiu, não fazia sexo! Infâmia das infâmias! Logo eu que adoro sexo e sempre defendi o amor livre sob todas as formas... Minha esposa, depois de ler o tal texto nojento contra mim, soltou sonoras gargalhadas, vestiu-se de Elfa e... melhor tirar as crianças da sala!

Enfim, ficou por isso mesmo, embora confesso ter enviado umas mensagens mal criadas ao meu depreciador. Coisas de ex-nerd inconformado de ser acusado de não praticar sexo, depois de ter ficado tantos anos “na mão” tentando seduzir meninas mostrando minha coleção de trilhas do Jerry Goldsmith.

Tempos depois, fui “convidado” para tocar o site e-pipoca. Convidado é brincadeira. Na verdade, o negócio estava (e continua) falido e eu, como bom nerd prestativo e ingênuo, me ofereci para atualizar o site diariamente, além de ir até São Paulo assistir a pré-estréias e lançamentos. Detalhe: sem receber nada em troca, nem um tostão, vale-refeição ou reembolso de gasolina! O que a gente não faz pelo amor ao cinema...

Fiquei uns, mais ou menos, sete meses até que o saco encheu e a carteira esvaziou. Uns dias antes de eu ser obrigado a pular fora dessa barca furada, que apesar de tudo até me dava algum prazer, um outro profissional da opinião invocou comigo e escreveu novo texto furibundo e gigante contra mim, onde ele basicamente deu nó em pingo de água para provar que, vejam só, “uma crítica não é uma opinião”!

Na verdade, não li a missiva em sua plenitude, até porque era imensa e muito mal escrita, mas quem leu garante que era hilariante. Imaginem só: uma crítica não é uma opinião... o que é então? Uma verdade absoluta? A palavra de Deus? Só rindo mesmo.

E o motivo desse ódio todo contra mim? Primeira e verdadeira razão: porque eu havia apontado (que mania...) os erros grosseiros que o rapaz escreveu em sua opinião sobre o filme “Matrix Reloaded” e porque eu havia discordado quando afirmou que “o cinema não estimula a violência” (isso, pasmem, vindo de um Crítico de Cinema, ou seja, alguém que passou a ganhar a vida escrevendo sobre aquilo que o influenciou!).

O segundo motivo (alegado), era um texto medíocre e ligeiro que eu havia publicado no e-pipoca onde eu tentava defender a profissão do crítico afirmando que uma crítica é nada mais do que uma opinião, igual à sua ou a de qualquer um, exceto pelo fato de ter sido escrita por alguém mais gabaritado no assunto (que estudou, trabalhou na área e tal). Em resumo eu queria dizer: “calma gente, não precisa querer matar o crítico toda vez que ele falar mal de um filme que você adora, afinal é só uma opinião e opinião é que nem joelho: cada um tem o seu...”

O site recebeu inúmeras cartas de elogio ao meu texto, alguns dos quais respondi pessoalmente e com cujos autores mantenho relações de amizade até hoje! O mais divertido, contudo, é que baseei minha argumentação num texto escrito pelo famoso Rubens Ewald Filho, publicado no mesmo e-pipoca, que terminava da seguinte forma: “Ninguém é perfeito, nem eu. Por isso mesmo, vamos assumir: toda critica é relativa e parcial.”

Bom, pra resumir, o tal profissional da opinião enfurecido (cujo nome não vou revelar, mas basta dizer que é um rapaz que se gaba de fazer parte do site “Tomates Podres”, cuja maior qualidade é juntar no mesmo link diversas críticas e onde qualquer um que tenha uma carteirinha de "crítico profissional" pode se registrar) sonhou que eu sai do e-pipoca por causa dele e, segundo sou informado por amigos gozadores, fica até hoje falando mal de mim sempre que pode em seu site. 

O sujeito (ou alguém se fazendo passar por ele) chegou até a postar uma mensagem aqui no meu blog, afirmando que eu havia plagiado sua crítica do filme “Superman Returns” – como seu eu fosse perder meu tempo lendo o que nerds obsessivos e que se levam a sério escrevem! Será que eles acham que eu vou derreter, igual à bruxa do "Mágico de Oz", por causa disso tudo?

Ok, confesso também que troquei uns e-mails agressivos com o sujeito e cheguei até a escrever besteiras provocativas no perfil do orkut dele (que depois me arrependi, pois poderiam ser interpretadas da forma errada, como foram, é claro). 

Quem mandou mexer, né não? Naquela época eu ainda perdia meu tempo com esse tipo de queda-de-braço virtual, coisas de ex-nerd que ainda não se acostumou em viver no mundo real, sabem como é... Ninguém é perfeito!

Já me estendi demais e esse é um assunto chato. Acho engraçado saber que ainda existe gente que fica tentando me detonar por aí, como se isso fosse trazer algo de bom para eles ou me incomodar. Pelo contrário: ao fazerem isso apenas demonstram que são eles que se incomodam comigo e com o que eu escrevo tão despretensiosamente... O que não deixa de ser irônico!


"Como assim ele não concordou comigo???"
Felizmente, não vivo de vender minhas opiniões e, se o fizesse, certamente não seria arrogante ou presunçoso como a maioria desses babacas. 

Embora, é claro, eu entenda perfeitamente porque são tão inseguros e desesperados por se auto-afirmarem e provarem o quanto são bons para todos: os caras não fazem nada de produtivo, o ganha-pão deles depende única e exclusivamente de emitir opiniões sobre o trabalho de outras pessoas. Imaginem só o nível de medo e insegurança dessas pessoas!

Por isso tudo, ser chamado de "Crítico-Spam" por esses panacas infelizes acaba sendo um grande elogio. Afinal, como diz a sabedoria popular, "falem mal, mas falem de mim"!

11 comentários:

Marco Aslan disse...

Ola Andre, se lembra de mim? Nao? no problem

Sou aluno de cinema e televisao, tenho 22 anos, e fiz estes curtas.

http://www.youtube.com/watch?v=tdUOw5EwT64

http://www.youtube.com/watch?v=G7bBGa3KedM

Me fala oq vc acha dos filmes, valeu

Abs,
Marco

Elton disse...

Essa questão ao meu ver também é corporativa. Explico: Quem se acha "confortávelmente instalado" em um determinado campo de atividade depois de algum tempo passa a temer pela aproximação de outros mais competentes (seu caso!) e isso provoca naquelas pessoas a insegurança e reações hidrófobas como a do sujeito que te rotulou de crítico spam. No mais é "seguir em frente", rebatendo e não aceitando difamações. Abraço.

amanda disse...

quando pessoas se manifestam em ataques contra voce ou qualquer pessoa como voce que tem uma opiniao concreta e que nao se vende mostram o quao fragil e sem credibilidade o carater delas e'.

Anônimo disse...

Se você está falando sobre o Pablo Villaça (a respeito da tal missiva no parágrafo 8), tenho algo a dizer: eu acompanho o site e as críticas dele e, mesmo não concordando muitas vezes com o que ele escreve, tenho de admitir algo: ele escreve muito bem! Ele sabe embasar seus argumentos com maestria e objetividade, ofício de um jornalista. Mas, se você não leu o texto inteiro... como julgar? Claro, isso SE for o Pablo Villaça. SE não for... esquece, vai! Ass.: Marcelo Moreira

Vinicius disse...

Cara, tem certeza que a crítica é só uma opinião?

Digo, se a crítica é embasada, tem método, é lógica, no fim, não é uma opinião, é uma conclusão (toda coberta por métodos). Uma opinião seria somente um pitaco sem base, julgamentos estéticos arbitrários e etc.

É interessante que, se toda crítica é uma opinião, então tudo é uma questão de opinião, pois a formação da própria linguagem acontece na base dos opostos. Os opostos automaticamente se criticam. Porém, o mundo não é uma questão de opinião, ele é material, objetivo, e nossa linguagem, assim como a própria cosmovisão, tem como objetivo a descrição objetiva do mundo. Não do 'nosso' mundo, mas do mundo como um todo.

Essa noção de que todo discurso é uma opinião advém do desconstrucionismo de Derrida, que foi porcamente incorporado pela ideologia e é reproduzido "na louca", justificando a noção de que problemas estruturais são, no fim das contas, problemas culturais.

André Lux disse...

Tenho certeza sim.

Alexandre Figueiredo disse...

Conheci seu site pesquisando a web e gostei muito. Sou novo por aqui e o amor pelo cinema e assuntos denunciativos que não se lê em todos os sites me trouxeram aqui. Não liga pra esses caras não, André, são no fundo invejosos.

Marce C. disse...

Muy divertida la historia. No estoy seguro que una crítica sea solamente una opinión.. Parece una cuestión fácil de decidir, pero si tenemos en cuenta que una crítica especializada sigue un método, etc.. y una opinión es algo que cualquier persona, sin mayores conocimientos, puede emitir.. No estoy muy seguro... De cualquier manera la historia está muy buena y el blog es excelente.

Marce C. disse...

Ahora sé lo que es un "crítoco-spam"! Gracias! jaja

ellasampa disse...

Amei... hj procurando o blog do barbeiro (aikiódiu), não tem nada escrito! Não sei pq, vi um outro blog que era este e to rindo muito. Com tempo e em casa (sim, ainda estou no trabalho), vou ler mais e melhor...

Talita disse...

Acabo de ver Blade Runner pela primeira vez e gostei muito apesar de não ter entendido direito. seu blog é demais. Obrigada! e parabéns =) (engraçado é eu me sentir um robô impostor enquanto escrevo aqui e a Internet me pede pra provar que não sou um robô) XD

(X) não sou um robô

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...